Conecte-se conosco

Cidades

Saúde alerta sobre os cuidados para evitar a doença de Chagas

No Tocantins, foram notificados, entre 2007 e 2018, 47 casos; dentre esses, 39 foram por transmissão oral

Publicados

em

A doença de Chagas é uma condição infecciosa aguda e crônica causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi

A doença de Chagas é uma condição infecciosa aguda e crônica causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi. No Tocantins, foram notificados, entre 2007 e 2018, 47 casos; dentre esses, 39 foram por transmissão oral. Os surtos já ocorridos no Estado tiveram como fonte de contaminação a ingestão de alimentos como bacaba, açaí e palmito de babaçu. No norte do Estado, cerca de 30 pessoas que consumiram suco de bacaba no município de Araguaína estão em investigação. No dia 6 de fevereiro, iniciou a investigação dos casos, sendo que, até o momento, foram confirmados seis casos da doença de Chagas aguda, a investigação está sendo realizada pela vigilância epidemiológica de Araguaína, com orientações da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A analista em controle de zoonoses estadual, Carina Graser Azevedo, destaca que é realizado um trabalho de suporte ao município de Araguaína neste momento

De acordo com informações repassadas pela Gerência de Vigilância e Controle de Doenças Tropicais Negligenciadas, os casos de doença de Chagas aguda foram diagnosticados por meio do exame parasitológico direto com resultado positivo para Trypanosoma cruzi. Esses pacientes adoecidos estão sendo atendidos pelo Hospital de Doenças Tropicais de Araguaína. Os demais casos suspeitos seguem em investigação, com a realização de exames.

Trabalho de vigilância e atenção à saúde

Os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde recomendam, aos profissionais de saúde que atuam nas unidades básicas de saúde, atenção aos sintomas da doença de Chagas em pessoas que apresentem febre prolongada, por mais de sete dias, e os demais sintomas compatíveis com a Doença de Chagas Aguda (DCA).

A analista em Controle de Zoonoses estadual, Carina Graser Azevedo, destacou que é realizado um trabalho de suporte ao município de Araguaína neste momento. “Estamos trabalhando em conjunto com o município. Conforme a vigilância municipal levanta informações e repassa para a nossa área técnica estadual, esclarecemos dúvidas quanto à suspeita e à investigação da doença e orientamos o município a seguir os protocolos existentes quanto ao manejo correto do paciente chagásico nesta fase da doença”, explicou.

Carina também relatou que o Tocantins já tem um trabalho constante e reconhecido de vigilância e controle do vetor da doença de Chagas. “No Tocantins, ao longo dos anos, nós construímos um sistema de vigilância da doença, baseado em um processo de trabalho que monitora o vetor nos domicílios dos 139 municípios do Estado, realizando pesquisa entomológica através de busca ativa seletiva programada e busca passiva do vetor, o inseto barbeiro. Esta última é considerada o padrão ouro na nossa vigilância, pois essa ação visa estimular a população, por meio do trabalho de educação em saúde, a entregar insetos suspeitos de serem transmissores da doença de Chagas”, explicou.

Neste trabalho de busca passiva, o morador é orientado a capturar o inseto que invadiu o seu domicílio usando um saquinho plástico, onde ele captura sem tocar diretamente no mesmo, e entregar ao agente comunitário de Saúde. Esse profissional encaminhará o inseto à sua unidade básica de saúde, de onde o inseto será enviado para o laboratório de entomologia local, para ser identificado e examinado. Logo após o resultado, são desencadeadas as ações, dentre elas pode ser feita a borrifação, seguindo os critérios preconizados pelo Ministério da Saúde e também a investigação epidemiológica em todos os residentes do domicílio, caso o vetor esteja infectado peloTrypanosoma cruzi, desencadeando assim todos os procedimentos pertinentes à atenção básica ao usuário do SUS exposto ao risco de ter sido infectado, conforme preconiza a Secretaria de Estado da Saúde.

Principais sintomas

Febre prolongada por mais de sete dias, associada a edema de face e de membros, exantema, dores nas articulações, dor de cabeça, dor muscular, fraqueza, aumento de fígado e baço, cardiopatia aguda, manifestações hemorrágicas, sinal de Romaña e chagoma de inoculação.

Casos

No Tocantins, entre 2007 e 2018, foram notificados 47 casos de doença de Chagas aguda, 39 desses casos foram por transmissão oral, tendo como fonte de infecção os alimentos bacaba, palmito de babaçu e açaí.

O último surto ocorrido foi no município de Aparecida do Rio Negro, onde foram notificados 15 casos por transmissão oral (bacaba).

A transmissão da doença de Chagas pode ocorrer de diferentes formas:

• contato com fezes/e ou urina de triatomíneos hematófagos (insetos popularmente conhecidos como barbeiro, por via direta (vetorial);

• ingestão de alimentos contaminados com parasitos provenientes de triatomíneos infectados;

• via materno-fetal;

• transfusão de sangue ou transplante de órgãos;

· acidentes laboratoriais, pelo contato da pele ferida ou de mucosas com material contaminado.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

SESI Folia traz pré-carnaval com saúde em Gurupi; Bloco Bejá sorteará 1 abadá

O evento é gratuito e atende a todas as idades.

Publicados

em

SESI Folia em Gurupi 2018

O carnaval está chegando e com ele mais uma edição do SESI Folia em Gurupi que, este ano, acontece na próxima segunda-feira, dia 25/02, aberto a participação de toda a comunidade. A atividade vai ser realizada na Unidade do Serviço Social da Indústria (SESI)tendo como atração principal um aulão gratuito de Zumba e Ritmos que começa às 19h.

Uma novidade neste ano é a parceria do bloco de carnaval Bejá que vai sortear 1 abadá entre os participantes do evento, além de outros brindes. Além de muita dança e música, o SESI Folia contará com degustação de Suco Detox para hidratar os foliões reforçando a importância dos cuidados com a saúde no tradicional período de festa.

A aula de Zumba e Ritmos ajuda na queima de calorias, proporciona ânimo e disposição, além de reforçar a mensagem do SESI sobre a importância de praticar atividades físicas. A animação fica por conta dos professores Kamilla Souza e Roberto Mendes. No repertório estão músicas do momento de diversos gêneros, entre eles axé, funk e sertanejo.

Quem quiser aderir e cuidar da saúde, o SESI está com preços promocionais nas modalidades esportivas ABS – abdômen, GAP (Glúteo,Abdômen e Perna), Treinamento Funcional, Hidro Funcional, Natação Adulto, Natação infantil (a partir de 3 anos), Balé Infantil (a partir de 3 anos), Funcional Kids (a partir de 8 anos), Zumba Fitness (a partir de 12 anos) e Ritmos (a partir de 12 anos). A promoção vai até o dia 28/02 oferecendo 20% de desconto. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (63) 3311-1300.

Continue Lendo

Cidades

Primeira operação integrada de 2019 faz 10 abordagens em bares da Capital e interdita quatro por perturbação do sossego

Publicados

em

Além da GMP e Polícia Militar, participaram da ação Vigilância Sanitária, Polícia Civil, Bombeiros, Trânsito e fiscais de Obras e Posturas

Som alto em bares e em carros estacionados em frente a esses estabelecimentos, além de causar transtorno e estresse à população que tem seu momento de descanso interrompido, é a causa de maior demanda da Guarda Metropolitana de Palmas, principalmente nos finais de semana, quando poderiam estar atuando em outras frentes de segurança. Só nesse último sábado, 16, devido ao grande número de reclamações via SIOP – Centro de Operação Integrada – a equipe da GMP, juntamente com a PM, fez fiscalização em cinco bares da cidade. E na sexta-feira, 15, na ação paz e sossego outros cinco estabelecimentos foram abordados, quando quatro foram interditados.

A operação comandada pela PM foi a primeira integrada de 2019 e contou com o envolvimento da Guarda Metropolitana de Palmas, Polícia Civil, Bombeiros, Agentes de Trânsito, Fiscais de Obras e Posturas e da Vigilância Sanitária. Foram interditados quatro estabelecimentos, duas apreensões de bebidas e feitas 19 notificações. Segundo os organizadores, outras operações integradas como esta já estão agendadas e os pontos fiscalizados são os que geram maior número de reclamações, principalmente devido à perturbação do sossego.

Para o comandante da Romu, divisão especializada da GMP, Antônio Amorim, o objetivo da operação é preservar o sossego público, assim como a saúde da população palmense. “Agora os locais interditados terão que se regularizar segundo as normas do Corpo de Bombeiros, Obras e Posturas do Município e Vigilância Sanitária”, advertiu.

Quanto à perturbação do sossego, a GMP esclarece que a poluição sonora enquadra-se como crime ambiental, com base no disposto do Artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98, sujeita à multa que pode ir de R$ 5 mil a R$ 50 milhões. Amorim lembra que esse tipo de fiscalização não é uma competência exclusiva da GMP, mas também é de responsabilidade das polícias Civil e Militar e de órgãos de fiscalização ambiental. As denúncias podem ser feitas tanto via Siop pelo 190 como pelo 153 da GMP.

O Comandante da GMP, Florisvaldo Leal Borges, explica que devido à grande demanda nos finais de semana, algumas solicitações ficam sem ter o atendimento, pois além do grande número de denúncias, ocorre por vezes os trotes, que geram o deslocamento desnecessários das viaturas, que poderiam estar fazendo atendimentos a quem realmente precisa.

“É importante que a população saiba que a GMP não atua apenas no atendimento à perturbação do sossego, mas nossas equipes fazem ronda para garantir a segurança do palmense, atendendo denúncias de assalto, porte de armas de fogo, furtos e roubos, tráfico de drogas, captura de animais silvestres, além de inúmeras outras áreas que atuamos diariamente”, completa o comandante.

No último sábado, 17, o Siop recebeu inúmeras denúncias de som alto e de uma via obstruída no centro da Capital, o que provocou a presença das instituições de segurança pública estaduais e municipais em cinco estabelecimentos, a fim de garantir o direito de todos, principalmente dos presentes no local. A ação em conjunto com a PM foi pacífica, não encontrando resistência por parte dos proprietários em abaixar o som alto.

Infração de Trânsito

A Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana lembra ainda que a interdição ou obstrução da via só pode ser feita mediante autorização prévia dos órgãos competentes, o descumprimento incide em infração de trânsito, sujeito à multa. Som alto em automóvel, além de também poder enquadrar em crime ambiental,  é infração de trânsito considerada grave, perda de cinco pontos na CNH, retenção do veículo e multa.

Continue Lendo

Cidades

DPE-TO adere ao “Coleta Palmas” e se torna ponto para recebimento de materiais recicláveis

O programa de separação de resíduos sólidos para a reciclagem conta com contêineres de coleta na calçada que fica entre a sede da DPE-TO e o Fórum de Palmas

Publicados

em

Conteineres do projeto Coleta Palmas estão instalados no estacionamento da DPE-TO, em Palmas

Tem início nesta sexta-feira, 15, na sede Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO), na Capital, a estação do projeto “Coleta Palmas”, realizado pela Prefeitura da Capital. O programa de separação de resíduos sólidos para a reciclagem disponibiliza contêineres de coleta na calçada  entre a sede da DPE-TO e o Fórum de Palmas para que o local seja um ponto de coleta de materiais que possam ser reaproveitados. Além disso, na copa de cada andar e na lanchonete que funciona na DPE-TO haverá recipientes para o descarte de resíduos sendo um para lixo orgânico e outro para material reciclável.

De acordo com a engenheira ambiental que acompanha o “Coleta Palmas”, Roodineya Willians, outras cinco Estações do Programa estão sendo instaladas em fase de caráter experimental, monitoradas durante 30 dias. “Durante esse tempo é observada a qualidade do material depositado e se a comunidade está respondendo bem ao programa”, disse ela, acrescentando que após 30 dias será instalada a estrutura física permanente e o painel indicativo adesivado, explicando o que pode ser depositado em cada contêiner.

Diretor regional da DPE-TO em Palmas, o defensor público Leonardo Coelho considera que o Programa é de extrema importância, pois incentiva a sustentabilidade. “Estamos engajados nesta iniciativa que envolverá todos os servidores, membros e prestadores de serviço da nossa instituição”, declarou.

O objetivo é incentivar a coletiva seletiva desde a própria residência do cidadão até o descarte.

Na última semana, uma equipe do “Coleta Palmas” esteve na sede em Palmas da DPE-TO para sensibilização de membros e servidores. “Trabalhamos a sensibilização do cidadão sobre a necessidade de se adotar posturas positivas de preservação do meio ambiente e destinação correta dos resíduos sólidos”, disse.

Orientações
Para o descarte adequado de recicláveis é necessário seguir algumas orientações básicas, sendo que a principal é que os resíduos são classificados entre orgânicos e não-orgânicos. Destes, existem os contaminados – que não servem para a reciclagem (a exemplo de lixo de banheiro) e os que podem ser reaproveitados e transformados, gerando uma cadeia produtiva de renda e evitando agressão ao meio ambiente.

Os recicláveis se dividem em papel/papelão; plásticos; metal e vidros. Atualmente, em Palmas, a coleta seletiva não trabalha com a reciclagem de vidros. Os containers do Coleta Palmas são identificados para o descarte apenas de papel/papelão, plástico e metal.

Continue Lendo