Conecte-se conosco

Política

Flávio Bolsonaro se dispõe a prestar esclarecimentos ao MPRJ

Publicados

em

O deputado estadual e senador eleito pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro

O deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) pediu ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) uma cópia integral da investigação sobre as movimentações financeiras de funcionários do seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), apontadas no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

A solicitação foi divulgada hoje (10) pelo MPRJ. Em nota, o órgão diz que Flávio Bolsonaro informará local e data “para prestar os devidos esclarecimentos que porventura forem necessários”.

Em sua conta nas redes sociais, o senador eleito disse que recebeu o convite na última segunda-feira (7) e que precisava ter acesso aos autos para, só então, comparecer ao MPRJ. Segundo o parlamentar, foi por isso não atendeu à solicitação para comparecer hoje à sede do Ministério Público, no centro do Rio de Janeiro.

“Como não sou investigado, ainda não tive acesso aos autos, já que fui notificado do convite do MPRJ apenas no dia 7 de janeiro, às 12h19. No intuito de melhor ajudar a esclarecer os fatos, pedi agora uma cópia do mesmo para que eu tome ciência de seu inteiro teor”, afirmou Flávio Bolsonaro em seu perfil no Facebook.

O deputado estadual afirmou que vai prestar os esclarecimentos ao Ministério Público. “Comprometo-me a agendar dia e horário para apresentar os esclarecimentos, devidamente fundamentados, ao MPRJ para que não restem dúvidas sobre minha conduta. Reafirmo que não posso ser responsabilizado por atos de terceiros, como parte da grande mídia tenta, a todo custo, induzir a opinião pública.”

Na última terça-feira (8), parentes de Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista de Flávio Bolsonaro, também não compareceram ao MPRJ. Eles alegaram estar acompanhando Queiroz, que está em tratamento em São Paulo. Segundo o MPRJ, Queiroz foi submetido a uma cirurgia e está se recuperando.

De acordo com o Coaf, Fabício Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta bancária.

EBC

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Kátia Abreu reúne prefeitos do Bico com a presidente da BRK para tratar da expansão e qualidade da água

A senadora Kátia Abreu sugeriu que os serviços de recapeamento do asfalto pudessem ser feitos por meio do consórcio dos municípios do Bico.

Publicados

em

No Dia Mundial da Água, comemorado nesta sexta-feira, 22 de março, a senadora Kátia Abreu (PDT) reuniu-se com a presidente Nacional da BRK Ambiental, Teresa Vernaglia e com municípios 11 municípios atendidos pela companhia na região do Bico do Papagaio-TO. Todos falaram sobre as suas demandas em relação à concessão do fornecimento de água e tratamento de esgoto.

As principais demandas do prefeitos foram:

*Necessidade de ampliação dos serviços de rede de coleta e tratamento de esgoto.

*A demora da execução das obras de asfalto após a ampliação das redes.

 *Qualidade da água nos municípios de São Miguel, Buriti e Araguanã.

BRK Ambiental

Em sua fala, Teresa apresentou dados sobre a atuação da empresa no Tocantins e também os desafios como a interferência de variações minerais do solo na qualidade da água que afeta, em alguns casos, a cor e o sabor da água. A presidente revelou que, a BRK pretende investir nos próximos sete anos o valor de R$ 1,6 bilhões no Tocantins, destes, R$ 150 milhões no Bico do Papagaio. Garantiu que em 2025 universaliza as redes dos 47 municípios de sua área de atuação no Tocantins.

Kátia Abreu sugere soluções 

A senadora Kátia Abreu sugeriu que os serviços de recapeamento do asfalto pudessem ser feitos por meio do consórcio dos municípios do Bico.

Os prefeitos presentes foram Nalva Braga, de Palmeiras; Júlio Oliveira, de Augustinópolis; Patrícia Evelyn, Xambioá; Ivan Paz, Aguiarnópolis; Hernandes Neves Brito, Araguanã, Paulo Gomes, de Tocantinópolis, e Carlos Alberto Rodrigues, prefeito de Carrasco Bonito. A prefeita Elisângela Alves, de São Miguel do Tocantins foi representada pelo secretário municipal de Saúde, Dejacy Sousa.

Continue Lendo

Política

Em mobilização contra a reforma, presidente da Força Sindical-TO ressalta que Previdência é superavitária

Publicados

em

Mobilização realizada na manhã desta sexta-feira

Centrais sindicais, líderes sindicais e trabalhadores realizaram, na manhã desta sexta-feira, 22 de março, mobilização em Palmas contra proposta da Reforma da Previdência apresentada pelo governo federal. O ato, realizado em frente à sede do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), contou com cerca de 1 mil pessoas.

Para o presidente da Força Sindical-TO e da Fesserto (Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos do Tocantins), Carlos Augusto Melo de Oliveira (Carlão), há um desvirtuamento no debate sobre o tema, pois o sistema previdenciário brasileiro não é deficitário, mas sim superavitário. “Quem faz o prejuízo da Previdência é o governo federal, com a lei da DRU (Desvinculação de Receitas da União), que todo ano tira 30% da receita, dizendo que vai reaplicar o dinheiro em áreas à população, mas na real muito disso vai para alimentar a corrupção”, ressaltou Carlão.

O presidente da Força Sindical-TO disse, ainda, que a proposta apresentada pelo governo massacra o trabalhador comum, exigindo dele muitos esforços, enquanto não prevê qualquer iniciativa para cobrar os grandes devedores da Previdência, como os principais bancos do país.

“O governo mira apenas e tão somente nos trabalhadores. Isso está muito errado”, ressaltou.

Paralelamente a agenda de mobilização junto aos trabalhadores, os líderes sindicais iniciaram agenda de visitas aos congressistas do Estado.

Continue Lendo

Política

Na tribuna, Tiago Dimas cobra melhorias para a Adapec e providências para Projeto Sampaio

Congressista destacou importância do agronegócio para o Estado e elogiou o esforço dos fiscais e inspetores responsável pela defesa agropecuária

Publicados

em

O deputado federal Tiago Dimas (SD-TO) usou a tribuna da Câmara nesta quinta-feira, 21 de março, para cobrar melhorias para a com a situação da Adapec (Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins). O parlamentar lembrou que o Estado tem no agronegócio, seja de grande, médio o pequeno porte, a atividade principal da economia, com mais de 8,6 milhões de cabeças de gado e VBPA (Valor Bruto da Produção Agropecuária) de R$ 40 bilhões.

“Não podemos ter uma Adapec sem gasolina nos veículos de fiscalização, com prédios em situações precárias, sem refrigeração e com telefone e internet cortados”, ressaltou o congressista.

Tiago Dimas destacou que é a Adapec quem cuida da sanidade do gado tocantinense e tem a missão de garantir a manutenção da qualidade da produção agrícola do Estado, além de atuar para que doenças não infectem a lavoura.

“Os relatos de precariedade se espraiam por todas as unidades do Estado. Não há material de expediente e principalmente não há condições mínimas para que os fiscais possam fazer o tão relevante trabalho”, ressaltou o parlamentar, ao elogiar a atuação dos mais de 800 servidores, entre fiscais e inspetores, que atuam no órgão.

O deputado frisou entender a situação de dificuldade financeiras que o Brasil e o governo do Tocantins passam, mas destacou a necessidade de as providências de melhoria estrutural no órgão serem feitas com urgências.

Sampaio

Além da Adapec, o deputado voltou a falar do projeto Sampaio. O parlamentar vem trabalhando na questão, levantando informações junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional (ex-Ministério da Integração, pasta responsável por liberar recursos para a iniciativa), para que providências sejam tomadas. Localizado me Sampaio, no Bico do papagaio (Extremo-Norte do Tocantins), projeto já teve aplicação de R$ 135 milhões desde 2005 com a promessa de irrigar mais de 10 mil hectares.

Equipamentos foram comorados, mas nunca um hectare sequer chegou a ser irrigado. Tiago Dimas lembrou que, quando anunciado pelo governo federal e pelo governo do Estado, a promessa era criar milhares de empregos. Para o

“Chamo a atenção para que o governo do Tocantins e o governo federal encontrem uma solução para aquele projeto. Ainda há muito equipamento que pode ser aproveitado e creio que as autoridades têm a obrigação de achar uma alternativa, mesmo que seja redimensionando o projeto inicial, promovendo uma parceria público-privada para a fruticultura ou então uma irrigação tradicional em menor quantidade”, disse Tiago Dimas.

Durante o feriado de Carnaval, o deputado esteve em Sampaio e acompanhou pessoalmente o abandono do projeto e viu parte dos materiais e equipamentos apodrecendo no Rio Tocantins.

Continue Lendo