Conecte-se conosco

Polícia

Empresário foragido da Justiça do Paraná é preso pela Polícia Civil em Palmas

Carlos Henrique é acusado de mandar matar um motorista de coleta seletiva na cidade de Arapongas no Estado do Pará, no ano de 2015 e desde então permanecia foragido e vivendo no Estado do Tocantins

Publicados

em

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC, núcleos de Palmas e Araguaína, em operação conjunta com a Polícia Civil do Paraná, através da 22ª SDP de Arapongas, prendeu, em flagrante delito, na noite desta segunda-feira (26), em Palmas, Carlos Henrique Del Vecchio Artacho por uso de documento falso.

Conforme o delegado Leandro Risi, responsável pelo caso, as investigações começaram quando policiais civis do Paraná entraram em contato com a Polícia Civil do Tocantins informando a possível localização, na cidade de Palmas, do referido indivíduo. Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva em aberto expedido pela Justiça do Paraná pela prática do crime de homicídio, sendo que o homem já se encontrava há três anos foragido da Justiça daquele estado.

Dessa maneira, após um trabalho conjunto de compartilhamento de informações, os policiais civis da Deic efetuaram diligências na cidade, com o intuito de localizar o indivíduo. Durante as buscas, os agentes apuraram que, atualmente, Carlos Henrique estava trabalhando para seu primo, um cantor sertanejo, e tinha a função de conseguir contratos de shows para aquele, principalmente com o poder público, como o estado e municípios tocantinenses.

Dando continuidade às investigações, os policiais civis descobriram que parte da equipe do referido cantor estava hospedada em um hotel da capital. De imediato, os policiais civis foram até o local e, ao chegarem, depararam-se com Carlos Henrique, que após ser abordado, apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação falsa em nome de João Victor Alves Pereira.

Após levantamentos, os policiais civis constataram que tal identidade era utilizada para que o indivíduo transitasse, livremente, entre as cidades de Goiânia e Palmas, furtando-se a ação das autoridades que tentavam localizá-lo. Detido, Carlos Henrique foi conduzido a sede da Deic – Palmas onde foi autuado, em flagrante, pelo crime de uso de documento falso.

Na oportunidade, o delegado Leandro também deu cumprimento ao mandado de prisão em aberto, pelo crime de homicídio, que havia em desfavor do indivíduo.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, Carlos Henrique Artacho foi recolhido à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário da Comarca de Arapongas – PR, cidade para onde deverá ser recambiado a fim de que possa responder pela acusação que pesa contra o mesmo.

O crime

No dia 28 de setembro de 2015, Fernando Begali dos Santos, motorista de um caminhão de coleta seletiva da Prefeitura Municipal de Arapongas, então com 30 anos de idade, foi assassinado com pelo menos quatros disparos de arma de fogo, efetuados por um homem, enquanto trabalha dirigindo o referido veículo.

Após vários dias de investigação, a Polícia Civil do Paraná descobriu que Fernando havia sido morto por um pistoleiro, contratado por Carlos Henrique Del Vecchio Artacho, sendo que, inclusive, no dia do crime, o empresário teria sido o responsável por levar o matador até o Distrito de Aricanduva, local em que a vítima estava trabalhando.

Ainda conforme apontaram às investigações da PC do Paraná, o crime teria sido motivado por uma ação trabalhista que Fernando movia contra o empresário Carlos Henrique, após ter sido demitido da transportadora de propriedade do empresário.

Após a conclusão do inquérito policial, o delegado representou pela prisão preventiva de Carlos Del Vecchio, que, então, fugiu para o Tocantins e permaneceria foragido até esta segunda-feira, quando foi localizado e preso pela Polícia Civil Tocantinense.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Gaeco denuncia 11 pessoas pela prática de fraudes virtuais

Publicados

em

 

O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ajuizou, no último dia 15, denúncia criminal contra 11 pessoas, integrantes de uma organização criminosa que praticava fraudes pela internet.

Segundo a denúncia, eles criavam sites falsos, que espelhavam lojas virtuais conhecidas, e anunciavam produtos com preços muito abaixo do valor de mercado. A partir da simulação das vendas, capturavam dados de cartões de crédito, que eram utilizados em outras operações fraudulentas; e geravam boletos que direcionavam o valor pago para a conta bancária de um dos integrantes ou para a quitação de dívidas de terceiros.

Como exemplo, uma televisão com valor original superior a R$ 3 mil era oferecida nos sites falsos da organização criminosa por R$ 898,90; e um celular de R$ 1.331,78 era anunciado por R$ 589,00.

Segundo foi investigado, os integrantes da organização criminosa residem nas cidades de Itaguatins e Palmas e utilizavam um hotel da capital como “escritório” para suas reuniões. A partir do acesso à internet disponibilizado pelo estabelecimento, o grupo praticava as operações fraudulentas, dificultando a possibilidade de serem rastreados.

Eles se hospedaram no mesmo hotel da capital pelo menos 18 vezes, entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, quando foram presos em uma operação da Polícia Federal. As diárias eram sempre pagam com cartões de crédito de terceiros, em reservas efetuadas pelo site do estabelecimento.

Os membros da organização possuem pouca instrução escolar e declararam ganhos formais nulos ou muito baixos. Porém, as fraudes lhes proporcionavam adquirir bens de consumo como celulares de ponta, relógios de marca, computadores e veículos seminovos, além de poderem usufruir de uma vida social ativa.Foram denunciados pelo Gaeco Paulo Ricardo Brito Silva, suposto líder da organização criminosa, e os integrantes Adriano Dias da Silva, Antônio Rafael Carvalho de Sousa, Brenda Allana da Silva, Cristiano dos Santos, Dominik Moskowis dos Santos Saraiva, Felipe Almeida de Sousa, Glerson da Conceição Silva, Jany Pons Rodrigues, Jorge Fernando Farias da Silva e Wilkner Alves de Oliveira.

Entre outros crimes, eles são acusados de formação de organização criminosa e estelionato. Dois dos denunciados responderão também por lavagem de dinheiro.

As investigações que fundamentam a denúncia foram realizadas pela Polícia Federal.

Continue Lendo

Polícia

Homem é preso pela Polícia após tentar matar vítima com uma faca em Araguaçu

Publicados

em

 

Os policiais militares do 4º Batalhão prenderam um homem, 45 anos, por tentativa de homicídio em Araguaçu. A prisão ocorreu na noite de sábado, 18, após a equipe da PM ser informada que o acusado forçava a entrada no hospital para matar a vítima, que já havia sido perfurada por ele, alguns minutos antes.

O paciente, 21 anos, informou que estava em sua residência quando viu o autor pular o muro. Diante da invasão, a vítima solicitou que o indivíduo saísse do local, como não foi atendida empurrou o autor e este revidou usando uma faca. O morador foi atingido  no lado direito da clavícula.

Para defender-se a vítima acertou o infrator com uma cadeira, logo em seguida ela saiu da residência e recebeu ajuda de terceiros para conduzi-la ao hospital.

No momento da prisão o autor estava com uma faca na cintura e visivelmente embriagado. O envolvido foi conduzido à Central Flagrante para os procedimentos cabíveis.

Continue Lendo

Polícia

Polícia Release nº 126/2019 4º BPM com apoio de militares de Paranã prendem acusado de furto em Palmeirópolis e recuperam duas camionetes

Publicados

em

 

Na tarde deste domingo, 19, o 4º Batalhão com apoio de policiais militares de Paranã prendeu um homem, 43 anos, acusado de furto e recuperaram uma camionete GM/S10, cor branca, placa JET – 3718 de Alto Paraíso de Goiás – GO e uma camionete GM/D20, cor azul, placa KCV – 2849 de Palmeirópolis – TO.

A intervenção da PM aconteceu após o furto da camionete D20, ocorrida na cidade de Palmeirópolis. Na ocasião os policiais foram acionados pela vítima, que noticiou o crime e informou sobre o rumo seguido pelo veículo após o furto.

Diante dos fatos, os militares do pelotão de Palmeirópolis acionaram o plano de cerco e bloqueio com o apoio de policiais de Paranã, que interceptaram o veículo furtado e prenderam o acusado. Durante a entrevista o homem confessou a autoria do furto e disse ainda que havia abandonado outra camionete em Palmeirópolis, logo após a prática do crime.

Nas diligências subsequentes os policiais localizaram a camionete S10, que após consulta constataram a existência de registro de furto e/ou roubo contra ela. Ambos os veículos e o autor dos delitos foram apresentados na delegacia Central de Flagrantes de Arraias para os devidos procedimentos.

Continue Lendo