Conecte-se conosco

Polícia

Tribunal do Júri: Casal é condenado por morte e ocultação de cadáver em Dianópolis

Publicados

em

Casal acusado de matar uma cigana em 2015 e esconder o corpo dela foi condenado pelo Tribunal do Júri da comarca de Dianópolis, nesta segunda-feira (27/11). Conforme a sentença, a pena dos réus soma 14 anos de reclusão.

Conforme consta nos autos do processo, a vítima teria ido acampar na companhia do casal às margens de um rio na zona rural do Dianópolis. O corpo de Marinez de Sousa foi encontrado dois dias após o crime, enterrado no mesmo local. O laudo pericial constatou que lesões produzidas por arma de fogo foram a causa da morte. Os tiros atingiram o tórax e o coração da vítima.

Wandersom Nascimento Sousa foi o responsável pelos disparos e confessou ter praticado o crime por ter sido chamado de “corno”. A esposa dele, Diran Bispo dos Santos, ajudou o marido a esconder o corpo.

Para o conselho de sentença, Wanderson cometeu o crime por motivo torpe e classificou o ato como feminicídio. Tanto ele, quanto a esposa, foram responsabilizados por ocultação de cadáver.

Ao dosar a pena, o juiz Manuel de Faria Reis Neto, da 1ª Vara Criminal de Dianópolis, sentenciou Wanderson a 12 anos de reclusão pelo crime de homicídio, com a qualificadora de feminicídio, e um ano pela prática de ocultação de cadáver. Já Diran foi condenada por ocultação de cadáver e deverá cumprir um ano de reclusão, também em regime fechado.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Gaeco denuncia 11 pessoas pela prática de fraudes virtuais

Publicados

em

 

O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ajuizou, no último dia 15, denúncia criminal contra 11 pessoas, integrantes de uma organização criminosa que praticava fraudes pela internet.

Segundo a denúncia, eles criavam sites falsos, que espelhavam lojas virtuais conhecidas, e anunciavam produtos com preços muito abaixo do valor de mercado. A partir da simulação das vendas, capturavam dados de cartões de crédito, que eram utilizados em outras operações fraudulentas; e geravam boletos que direcionavam o valor pago para a conta bancária de um dos integrantes ou para a quitação de dívidas de terceiros.

Como exemplo, uma televisão com valor original superior a R$ 3 mil era oferecida nos sites falsos da organização criminosa por R$ 898,90; e um celular de R$ 1.331,78 era anunciado por R$ 589,00.

Segundo foi investigado, os integrantes da organização criminosa residem nas cidades de Itaguatins e Palmas e utilizavam um hotel da capital como “escritório” para suas reuniões. A partir do acesso à internet disponibilizado pelo estabelecimento, o grupo praticava as operações fraudulentas, dificultando a possibilidade de serem rastreados.

Eles se hospedaram no mesmo hotel da capital pelo menos 18 vezes, entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, quando foram presos em uma operação da Polícia Federal. As diárias eram sempre pagam com cartões de crédito de terceiros, em reservas efetuadas pelo site do estabelecimento.

Os membros da organização possuem pouca instrução escolar e declararam ganhos formais nulos ou muito baixos. Porém, as fraudes lhes proporcionavam adquirir bens de consumo como celulares de ponta, relógios de marca, computadores e veículos seminovos, além de poderem usufruir de uma vida social ativa.Foram denunciados pelo Gaeco Paulo Ricardo Brito Silva, suposto líder da organização criminosa, e os integrantes Adriano Dias da Silva, Antônio Rafael Carvalho de Sousa, Brenda Allana da Silva, Cristiano dos Santos, Dominik Moskowis dos Santos Saraiva, Felipe Almeida de Sousa, Glerson da Conceição Silva, Jany Pons Rodrigues, Jorge Fernando Farias da Silva e Wilkner Alves de Oliveira.

Entre outros crimes, eles são acusados de formação de organização criminosa e estelionato. Dois dos denunciados responderão também por lavagem de dinheiro.

As investigações que fundamentam a denúncia foram realizadas pela Polícia Federal.

Continue Lendo

Polícia

Homem é preso pela Polícia após tentar matar vítima com uma faca em Araguaçu

Publicados

em

 

Os policiais militares do 4º Batalhão prenderam um homem, 45 anos, por tentativa de homicídio em Araguaçu. A prisão ocorreu na noite de sábado, 18, após a equipe da PM ser informada que o acusado forçava a entrada no hospital para matar a vítima, que já havia sido perfurada por ele, alguns minutos antes.

O paciente, 21 anos, informou que estava em sua residência quando viu o autor pular o muro. Diante da invasão, a vítima solicitou que o indivíduo saísse do local, como não foi atendida empurrou o autor e este revidou usando uma faca. O morador foi atingido  no lado direito da clavícula.

Para defender-se a vítima acertou o infrator com uma cadeira, logo em seguida ela saiu da residência e recebeu ajuda de terceiros para conduzi-la ao hospital.

No momento da prisão o autor estava com uma faca na cintura e visivelmente embriagado. O envolvido foi conduzido à Central Flagrante para os procedimentos cabíveis.

Continue Lendo

Polícia

Polícia Release nº 126/2019 4º BPM com apoio de militares de Paranã prendem acusado de furto em Palmeirópolis e recuperam duas camionetes

Publicados

em

 

Na tarde deste domingo, 19, o 4º Batalhão com apoio de policiais militares de Paranã prendeu um homem, 43 anos, acusado de furto e recuperaram uma camionete GM/S10, cor branca, placa JET – 3718 de Alto Paraíso de Goiás – GO e uma camionete GM/D20, cor azul, placa KCV – 2849 de Palmeirópolis – TO.

A intervenção da PM aconteceu após o furto da camionete D20, ocorrida na cidade de Palmeirópolis. Na ocasião os policiais foram acionados pela vítima, que noticiou o crime e informou sobre o rumo seguido pelo veículo após o furto.

Diante dos fatos, os militares do pelotão de Palmeirópolis acionaram o plano de cerco e bloqueio com o apoio de policiais de Paranã, que interceptaram o veículo furtado e prenderam o acusado. Durante a entrevista o homem confessou a autoria do furto e disse ainda que havia abandonado outra camionete em Palmeirópolis, logo após a prática do crime.

Nas diligências subsequentes os policiais localizaram a camionete S10, que após consulta constataram a existência de registro de furto e/ou roubo contra ela. Ambos os veículos e o autor dos delitos foram apresentados na delegacia Central de Flagrantes de Arraias para os devidos procedimentos.

Continue Lendo