Conecte-se conosco

Cidades

Tamanho exagerado de porções em restaurantes contribui para obesidade

Estudo mostra que prato feito pode ser mais calórico que fast food

Publicados

em

Se a porção de comida é excessiva, a recomendação é não comer tudo, dividir

O tamanho das porções de comida servidas em restaurantes populares contribui para o aumento da obesidade. A conclusão é de um estudo que pesou e mediu o valor calórico de uma refeição completa, em cinco países: Brasil, China, Finlândia, Gana e Índia. Excetuando a refeição chinesa, o volume calórico por prato feito (PF), como se diz no Brasil, chega a ser, em média, 33% maior do que a de um lanche de fast food (comida rápida).

O consumo das porções servidas em restaurante populares fornece entre 70% e 120% das necessidades calóricas diárias para uma mulher sedentária, cerca de 2 mil quilocalorias (kcal).

“Os profissionais da área da saúde que lidam com pessoas obesas estão muito preocupados em orientar a população para não comer fast food, mas, na hora que vai ver a refeição completa, ela também está exagerada”, afirma a pesquisadora brasileira Vivian Suen, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

O trabalho, coordenado pela Tufts University e com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi publicado no British Medical Journal.

Na média, os fast foods ofereciam refeições com 809 calorias, enquanto as servidas à la carte (que constam do cardápio), 1.317 kcal. A pesquisadora alerta que o resultado não indica que o fast food é uma refeição mais saudável, pois não foi analisado cada nutriente, mas chama a atenção para o PF, que poderia ser uma refeição equilibrada e que, na verdade, está contribuindo para o ganho de peso.

Além da quantidade de comida oferecida pelos restaurantes em uma única refeição, também foram percebidos preparos que fazem aumentar o ganho calórico. Vivian cita como exemplo o arroz, que comumente está brilhante, indicando cozimento com excesso de óleo.

“O estudo não focou na qualidade, mas podemos dizer que tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo, essa alimentação não é saudável. Precisa prestar atenção nesse prato feito, que é uma refeição completa, mas que não está sendo saudável”, alertou. Os dados mostram que 94% os pratos à la carte e 72% dos servidos em fast foods continham mais de 600 kcal, mais que o consumo energético por refeição recomendado pelo Sistema de Saúde Pública da Inglaterra (NHS).

O estudo mediu as calorias de 223 amostras de pratos populares e de 111 refeições escolhidas aleatoriamente à la carte e de fast foods de restaurantes de Ribeirão Perto (Brasil), Pequim (China), Kuopio (Finlândia), Acra (Gana) e Bangalore (Índia). Eram considerados restaurantes que ficam a um raio 25 qiuilômetros de cada centros de pesquisa.

Conforme as medições, o tradicional PF brasileiro, com arroz, feijão, frango, mandioca, salada e pão, tem 841 gramas e 1.656 kcal. O clássico ganês fufu, com carne de bode e sopa, tem 1.105 gramas e 1.151 kcal. O típico prato indiano biryani de carneiro tem 1.012 gramas e 1.463 kcal.

Organismo resiste
A obesidade é considerada uma epidemia global pela OMS. Estima-se que 1,9 bilhão de adultos tenham sobrepeso, dos quais 600 milhões estão obesos. “Diabetes, colesterol aumentado, aumento do triglicerídeos, pressão alta, tudo isso que a gente sabe que acompanha a obesidade quando ela se torna uma doença crônica”, destaca Vivian.

A pesquisadora explica que as porções exageradas têm efeito no chamado mecanismo compensatório. “São pessoas que não conseguem compensar numa refeição seguinte o que ela comeu antes. O organismo do obeso desenvolve defesas contra perda de peso.” Segundo Vivian, a pessoa obesa perderia a percepção para regular a quantidade de comida necessária para a refeição subsequente.

Outro problema é que o organismo de pessoas obesas cria resistência à perda de peso. De acordo com a pesquisadora, que há casos descritos na literatura médica em que, à medida que se reduz a ingestão calórica, a pessoa em tratamento começa a gastar menos calorias. “Parece que o organismo, a partir de certo peso, tenta manter o peso que tinha antes. Ninguém sabe explicar ainda como é que isso realmente funciona.”

Vivian diz que o melhor é prevenir o ganho de peso. “Se você vai a um desses restaurantes em que a porção é excessiva, divida. Não coma tudo. E tente, dentro daquilo que existe disponível, escolher as opções mais saudáveis. Depois que a pessoa ganha peso é muito difícil perder”, recomenda a pesquisadora, que aconselha ainda mudanças no ato de comer, como mastigar devagar e dar mordidas menores na comida.

EBC

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Pedidos do MPE são aceitos e líder religioso é condenado a 12 anos por estupro e ameaça

Publicados

em

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Filadélfia, obteve nesta sexta-feira, 15 de março, decisão favorável que resultou na condenação de Flávio Costa da Silva a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de estupro e ameaça. O crime ocorreu no mês de fevereiro de 2016 quando Flávio, mediante violência e se valendo da condição de pastor evangélico, obrigou uma jovem de 15 anos a manter conjunção carnal de forma forçada. A vítima era frequentadora da igreja comandada pelo condenado.

O pastor de 45 anos de idade começou a frequentar a casa da família da vítima, visando relacionar-se com a jovem. Porém, os pais perceberam o objetivo e proibiram as visitas.

No decorrer dos fatos, o condenado tomou conhecimento de que a vítima dormiria na casa de uma tia em uma determinada noite. De posse da informação, Flávio chegou ao local, entrou em um quarto com a adolescente e trancou a porta, alegando fazer uma oração, ocasião em que tirou a roupa da vítima e forçou-lhe a manter relações sexuais, tapando a boca da adolescente para evitar que esta gritasse.

Segundo o apurado, a tia da vítima ouviu o barulho oriundo do quarto, momento em que perguntou o que estava acontecendo, tendo o denunciado lhe ameaçado, dizendo para ficar quieta, caso contrário a mataria.

Por fim, o laudo pericial de corpo de delito confirmou a ocorrência de conjunção carnal com ruptura himenal cicatrizada, compatível com a data alegada pela vítima. Flávio Costa da Silva deverá cumprir a pena de 12 anos e um mês de detenção em regime fechado. O condenado já se encontrava preso de forma cautelar desde o dia 14 de abril de 2018. A pena, que inicialmente seria de 8 anos, foi elevada para 12 anos em função de, à época do crime, ser o pastor líder religioso da vítima.

Antecedentes

Antes da condenação por estupro e ameaça, Flávio encontrava-se foragido da Justiça quando foi autuado pela Polícia Militar do Distrito Federal por embriaguez ao volante. Durante a abordagem, foi constatado que havia um mandado de prisão expedido pela Justiça tocantinense contra ele.

Ainda durante o curso do processo que culminou com a recente condenação, foi confirmada a existência de uma Medida Protetiva da Lei Maria da Penha no Poder Judiciário do Estado da Bahia. Por fim, Flávio Costa da Silva ainda é réu em um processo de crime doloso contra a vida, cometido no Estado da Bahia.

Continue Lendo

Cidades

Dia da Autonomia homenageia luta de antepassados pela emancipação do norte de Goiás

Comemoração se dá no dia 18 de março, data em que em 1809 o príncipe regente Dom João VI editou alvará que determinou a criação da comarca de São João das Duas Barras

Publicados

em

A criação do estado se concretizou com sua inclusão nas Disposições Transitórias da Constituição Brasileira de 1988

O Dia da Autonomia foi instituído pela Lei nº 960, de 17 de março de 1998, considerando-o feriado estadual. “A data é uma forma que temos de homenagear os desbravadores e incansáveis lutadores que, com seus conhecimentos, compromisso e dedicação, conseguiram fazer a Corte voltar os olhos para as famílias que aqui viviam e sofriam com o isolamento”, esclareceu o ex-governador Siqueira Campos.

A luta pela autonomia do Tocantins teve momentos de altos e baixos, com várias lideranças encampando essa bandeira, até 1988, quando o Estado foi criado

A data para comemoração da autonomia foi escolhida porque no dia 18 de março de 1809 o príncipe regente Dom João VI editou alvará, que determinou a criação da comarca de São João das Duas Barras, instalada na confluência dos rios Itacayúnas e Tocantins. A criação da comarca dividiu a capitania de Goyaz em duas e tinha por objetivo promover o desenvolvimento da região.

A luta pela autonomia do Tocantins teve momentos de altos e baixos, com várias lideranças encampando essa bandeira, até 1988, quando o Estado foi criado

“É imprescindível que nós guardemos na memória a história do nosso povo. A luta pela autonomia começou há quase dois séculos no antigo norte de Goiás, que era totalmente isolado e esquecido. O dia 18 de março é o marco inicial do desmembramento de Goiás e a conquista da liberdade. Não podemos esquecer nossa história, por isso homenageamos Pio Pinto de Cerqueira, Joaquim Theotônio Segurado e Antônio Felipe Cardoso, que foram os primeiros a encampar esta luta. Povo sem história é povo sem rumo na construção do futuro”, concluiu Siqueira Campos.

O governador Mauro Carlesse afirmou que é importante a celebração da data e para que os tocantinenses relembrem toda a luta que foi travada pela criação do Tocantins, desde Theotônio Segurado até Siqueira Campos. “Agora precisamos nos inspirar nesses líderes e na luta do nosso povo, para juntos, construirmos um Tocantins cada vez melhor, que seja um estado justo e que o nosso Governo consiga prestar um serviço de qualidade para nossa população, que é isso que o povo espera de nós”, afirmou.

Para o governador Mauro Carlesse a data serve para que os tocantinenses relembrem toda a luta que foi travada pela criação do Tocantins, desde Theotônio Segurado até Siqueira Campos

A luta pela autonomia do Tocantins teve momentos de altos e baixos, com várias lideranças encampando essa bandeira, até 1988, quando o deputado Siqueira Campos conseguiu aprovar a criação do estado do Tocantins pela Comissão de Sistematização e pelo Plenário da Assembleia Nacional Constituinte. A criação do estado se concretizou com sua inclusão nas Disposições Transitórias da Constituição Brasileira de 1988, promulgada no dia 5 de outubro daquele ano.

O feriado do Dia da Autonomia deixou de existir em 2009, quando foi sancionada a Lei nº 2.013, de 18 de fevereiro, que invalidou a Lei º 960, de 17 de março de 1998. No entanto, a Lei nº 2013/2009, estabelece em seu Parágrafo único: “São os órgãos dos diversos poderes responsáveis por promover ações a fim de comemorar esse dia, organizando festividades nas diversas comunidades do Estado, com maior participação”.

 

Continue Lendo

Cidades

Agência Tocantinense de Saneamento  realiza visita técnica a municípios

Visitas têm por objetivo realizar um mapeamento técnico dos serviços de abastecimento de água e ouvir as demandas da comunidade e do poder público

Publicados

em

Presidente Romis Alberto participa de reunião realizada em Presidente Kennedy

O presidente da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), Romis Alberto, realizou, na última semana, visita técnica a sete municípios tocantinenses atendidos pela autarquia. As visitas aos municípios têm por objetivo realizar um mapeamento técnico dos serviços de abastecimento de água e ouvir as demandas da comunidade e do poder público a fim de estabelecer uma comunicação cada vez mais próxima às comunidades atendidas.

Foram visitados os seguintes municípios entre a quarta-feira, 13, e sexta-feira, 15: Presidente Kennedy, Itaporã, Tupiratins, Aragominas, Muricilândia, Brasilândia e Novo Acordo. Acompanhou o presidente, a assessora jurídica da Agência, Laila Amaral.

O presidente da ATS  destaca que além de fortalecer ações e estratégias que auxiliem na melhoria da prestação destes serviços foi realizado um levantamento de medidas mais urgentes que devem ser adotadas. Em Muricilândia e Tupiratins, foram realizados serviços imediatos que restabeleceram o abastecimento total.

 

Continue Lendo