Conecte-se conosco

Geral

Ruraltins participa de seminário sobre a cadeia produtiva de arroz

Evento reuniu instituições parceiras da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no desenvolvimento dessa cadeia produtiva no Estado

Publicados

em

A integração entre a extensão rural, a pesquisa e o produtor rural proporcionou a implantação de 80 Unidades Demonstrativas de arroz no Estado

O Seminário Arroz do Tocantins, realizado nessa terça-feira, 4, reuniu instituições parceiras da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no desenvolvimento dessa cadeia produtiva no Estado. O evento foi realizado na sede da Embrapa Pesca e Aquicultura, em Pamas.

Há cinco anos atuando em parceria com a Embrapa, por meio da celebração de convênios, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) participou do evento apresentando resultados de ações conjuntas e os benefícios para os produtores rurais. De acordo com o engenheiro agrônomo Edmilson Rodrigues, responsável pela explanação, a integração entre a extensão rural, a pesquisa e o produtor rural proporcionou a implantação de 80 Unidades Demonstrativas (UDs) de Arroz Terras Altas, chamado de arroz sequeiro, alcançando 650 agricultores em todas as regiões do Tocantins, totalizando 80 municípios.

“Essa parceria está sendo fundamental para resgatar e fortalecer a cadeia produtiva do arroz, que muitas vezes é acometida por pragas e doenças, desestimulando o produtor. Então, por meio desse trabalho integrado, implantamos as unidades utilizando variedades de arroz desenvolvidas pelos pesquisadores da Embrapa, tendo em vista a alta produtividade e a qualidade de grãos. Aqui destacamos as variedades BRS Serra Dourada, BRS Sertaneja e BRS Esmeralda, as mais cultivadas entre os agricultores atendidos por nós do Ruraltins, pois são apropriadas ao clima e livres de doenças, como a bruzone”, frisou

Edmilson Rodrigues destacou ainda outras diversas atividades realizadas entre Embrapa e Ruraltins resultando em cursos de capacitação para 50 técnicos, palestras, Dias de Campo, não só no cultivo de arroz como também, feijão e mandioca.

“Nossa proposta com essa parceria é justamente trazer novas formas de produção para os agricultores em todo Estado, visando diversificar a produção nas propriedades rurais, além de propor alternativas para a recuperação de áreas degradas na formação de pastagens, gerando lucro e minimizando custos”, disse o engenheiro agrônomo, ressaltando que os produtores têm todo acompanhamento técnico necessário para a sua atividade, que vai desde a preparação do solo, a correção, a adubação, o plantio, a colheita até a comercialização.

O agricultor Alicio Alves, da Fazenda Cria Bem, localizada no município de Crixás, na região sul do Estado, é um dos exemplos bem sucedidos dessa parceria. Há cerca de três meses, ele implantou uma UD de cinco hectares, adotando o Sistema Barreirão, que é uma tecnologia utilizada para a recuperação de pastagens, consorciada com culturas anuais. Na propriedade, o agricultor, por meio da assistência técnica do Ruraltins, aliou o cultivo de arroz, consorciado com o capim, e já colhe agora os primeiros resultados.

“Já completando 90 dias, o capim está na altura para a entrada dos animais, e o arroz bem cacheado. A UD está bem bonita, tudo perfeito. A área produziu 3.500 kg de arroz por hectare (58 sacos), que, com a comercialização do grão, já cobre os custos de preparo da área, além de ter a pastagem recuperada”, frisou.

Durante o seminário, o pesquisador da Embrapa, Daniel Fragoso, falou da atuação da empresa no Estado, e outras instituições presentes também falaram de suas ações conjuntas.

Na oportunidade, foi assinado um acordo de cooperação técnico financeiro entre a Embrapa e as empresas privadas Uniggel Sementes, Sementes Simão e Sementes Brazeiro no valor de R$ 1,2 milhão distribuído por cinco anos.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Corpo de Bombeiros Militar e Ciopaer realizam buscas a idoso desaparecido na região norte de Palmas

Família não tem contato com o patriarca desde a tarde de segunda-feira, 15, e pede apoio da comunidade na identificação do idoso

Publicados

em

Uma lancha de resgate do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e o helicóptero da Companhia Independente de Operações Aéreas (Ciopaer) realizaram buscas no Lago de Palmas e sobrevoaram as propriedades na região de chácaras no norte de Palmas a procura de um idoso que está desaparecido desde segunda-feira, 15. A ação foi solicitada pela família de Antônio Pinto de Aguiar, 72 anos.

Segundo Dirce Barbosa de Aguiar, filho do idoso, ele perde a memória quando toma medicação. Era por volta de 15h30, de segunda-feira, quando foi notada a ausência de Antônio Aguiar. A família explica que ele estava na região do Rancho Diamante, na via de acesso ao Residencial Polinésia. Desde então não foi mais visto.

No meio da tarde, uma lancha da Companhia Independente de Busca e Salvamento (CIBS), do CBM, percorreu mais de 7 km próximo à margem onde há vários condomínios e chácaras, à procura do idoso. Sem sucesso, a equipe solicitou apoio do helicóptero. A aeronave sobrevoou a região e também não teve êxito.

A família pede apoio da comunidade na identificação de Antônio Pinto de Aguiar. Caso haja informações, o contato é Dirce Barbosa, no celular 63.98127 8083.

 

 

Continue Lendo

Geral

Bonfim começa a receber intervenções para realização de festejo

Além da limpeza do local, as estradas de acesso também estão recebendo intervenção

Publicados

em

Maquinários pesados estão sendo usados na realização dos serviços

O Governo do Tocantins, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), iniciou esta semana a limpeza do terreno onde será montada a estrutura para a realização do tradicional Festejo do Senhor do Bonfim, em Natividade, município localizado  a cerca de 278 km de Palmas.

Uma equipe da residência Rodoviária de Dianópolis composta por cerca de 20 homens, além de maquinário pesado, foi designada para realizar os serviços no local.

De acordo com o presidente da Ageto, Virgílio Azevedo, além da limpeza dos terrenos, os acessos ao povoado do Bonfim também estão recebendo intervenções. “Para garantir a segurança e a trafegabilidade dos romeiros nós estamos realizando a manutenção das rodovias estaduais e das estradas vicinais da região”, explicou.

Os trabalhos começaram na última segunda-feira e devem ser concluídos até o início do mês de agosto. “Nós intensificamos a realização dos serviços com a intenção de facilitar a instalação da estrutura que será montada no local e proporcionar mais conforto aos visitantes do povoado”, finalizou o gestor.

Os festejos acontecem de 7 a 15 de agosto e é realizado há mais de dois séculos. Anualmente, milhares de fiéis percorrem, a pé, os 26 km que separam Natividade do povoado em agradecimento por uma graça alcançada.

 

Continue Lendo

Geral

Juíza condena empresa aérea e banco a indenizar consumidor em 10 mil por danos morais e materiais e a ressarcir valor de passagem

Publicados

em

“Tratando-se o presente caso de responsabilidade civil objetiva, no qual o dever de indenizar surge independentemente da existência de dolo ou culpa, bastando estar configurada a causalidade material (…) Tal fato extrapola o que se pode entender por mero dissabor do dia-a-dia da vida urbana e afeta grande dissabor e desconforto”. Esse foi um dos vários argumentos que a juíza Aline Marinho Bailão Iglesias, atuando em auxílio ao Núcleo de Apoio às Comarcas (Nacom), usou para determinar solidariamente, banco e empresa, a pagamento de indenização por danos materiais e morais a um casal que teve prejuízo relacionado à compra de passagens aéreas.

Motivado por um evento de trabalho, Carlos Augusto Melo de Oliveira teria comprado em março de 2014, no cartão de crédito emitido pelo Banco Bradesco Cartões S/A, no nome de sua esposa, Maria Do Carmo Ribeiro, passagens para Florianópolis (SC). No aeroporto, ele foi impedido de embarcar pela empresa Gol Linhas Aéreas Inteligentes S/A, uma vez que, apesar da passagem ter sido reservada em seu nome, havia sido comprada no nome de sua esposa.

Conforme constam nos autos, Oliveira, que já havia reservado hotel e não poderia perder o seminário, se viu obrigado a desembolsar o valor de outra passagem, já que a empresa estava irredutível quanto ao seu embarque. Para a juíza, “a ré transformou um momento rotineiro no infortúnio apontado na inicial, gerando dano moral indenizável, por violação a atributo da personalidade, em que a ansiedade, frustração e desconforto se presumem suportada”.

Na sentença, a magistrada atendeu em parte aos pedidos dos consumidores, fixando indenização por danos morais de R$ 10 mil e o ressarcimento das despesas com a passagem aérea, totalizando R$ 998,85.

Confira a sentença.

Continue Lendo

Notícias