Conecte-se conosco

Saúde

Projeto com cães no HGP e no Hospital Infantil comemora um ano

Nesta terça-feira, 23, comemoração ocorre no auditório do HGP; serão homenageados os membros do Corpo de Bombeiros, equipe do hospital e voluntários que participam dessa ação

Publicados

em

O paciente Vinícius Pereira foi um dos selecionados para receber a terapia com cães

Um projeto que vem amenizando os sofrimentos físico e emocional, bem como levando autoestima aos pacientes internados no Hospital Geral de Palmas (HGP) e Hospital Infantil de Palmas (HIP), celebra um ano de existência. O projeto Cinoterapia realiza, nesta terça-feira, 23, no auditório do Núcleo de Educação Permanente (NEP) do HGP, comemorações pelo um ano de atividade nas Unidades Hospitalares, onde serão apresentados os resultados, além de homenageados os membros do Corpo de Bombeiros, equipe do hospital e voluntários que participam dessa ação.

O projeto é desenvolvido pelo Corpo de Bombeiros, pelo HGP e por diversos voluntários. A Cinoterapia ou Terapia Facilitada por Cães (TFC) é uma atividade que utiliza o cão com mediador no tratamento e, ao mesmo tempo, humaniza o ambiente hospitalar. De outubro de 2017 a setembro de 2018, foram realizados aproximadamente 600 atendimentos para pacientes e acompanhantes.

De acordo com a psicóloga do HGP, Jaqueline Monteiro, o projeto vem beneficiando pacientes adultos e crianças. “Os pacientes atendidos são selecionados pela equipe multiprofissional, que são beneficiados com a recuperação biopsicossocial dos pacientes, diminuindo a ansiedade, aliviando o estresse causado pela internação e proporcionando um momento relaxante e de descontração”, declarou a profissional.

Objetivos

Esta terapia busca, no HGP e no Infantil, proporcionar um ambiente hospitalar humanizado, aproximando o paciente do seu cotidiano fora da instituição, reduzindo os sintomas de estresse e ansiedade, comuns no paciente hospitalizado. Auxilia no combate à dor e ao sofrimento físico e emocional, favorecendo a manutenção da saúde e o alívio dos sintomas depressivos; e estimula a comunicação, a afetividade e a autoestima no paciente.

As visitas aos leitos são realizadas nas terças-feiras, das 9 às 10 horas, autorizadas pela equipe multiprofissional (médicos, enfermeiros e psicólogos) das unidades hospitalares.

Geral

Saúde busca solução para entraves de atendimento

Governo busca a liberação do bloqueio judicial de R$ 32 milhões que poderão ser usados para a conclusão da obra de ampliação do Hospital Geral de Palmas

Publicados

em

Das 900 cirurgias realizadas por mês, 300 são somente da ortopedia

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) reconhece que há grande demanda de atendimentos no Hospital Geral de Palmas (HGP), em especial na área da ortopedia. Das 900 cirurgias/mês, cerca de 10 mil cirurgias/ano, 300 cirurgias são realizadas somente da ortopedia no mês, ou seja, 3.600 são cirurgias ortopédicas realizadas por ano no hospital, o que demonstra que a equipe está trabalhando diuturnamente.

A maioria desta demanda é de usuários vítimas de acidentes de trânsito. Para conter isso, a SES está trabalhando com os órgãos de Segurança e Trânsito a fim de estimular campanhas de conscientização e educação no trânsito e, consequentemente, reduzir estes índices. Um paciente politraumatizado por um acidente de trânsito leva em média seis meses de internação e realiza diversos procedimentos cirúrgicos, ocupando leitos e salas cirúrgicas por longos períodos.

                                                            Das 900 cirurgias realizadas por mês, 300 são somente da ortopedia

Alguns problemas encontrados na demora dos atendimentos da Unidade é a indicação de órteses e próteses não padronizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o que faz com que tenha que se abrir processos de compra específicos para este tipo de produto, aumentando o tempo de espera para o atendimento ao paciente. A SES está padronizando com as equipes médicas todos os equipamentos utilizados para dar agilidade aos processos de compras.

O HGP, atualmente, conta com seis salas cirúrgicas, o que é insuficiente para atender a demanda, mesmo trabalhando 24 horas por dia. Para sanar este problema, o Governo do Estado está buscando a liberação do bloqueio judicial de R$ 32 milhões retidos na Operação Ápia, da Polícia Federal, que poderão ser usados para a conclusão da obra de ampliação do HGP, que inclui 10 novas salas cirúrgicas que darão rapidez ao atendimento dos pacientes.

O Governo do Estado lamenta a demora no atendimento dos usuários, mas garante que todos os esforços estão sendo realizados para melhor atender a população, exemplo disso é a utilização dos hospitais do entorno da Capital (Porto Nacional e Paraíso do Tocantins) para realização das cirurgias ortopédicas e de outras especialidades nos fins de semana, liberando leitos e salas cirúrgicas no HGP.

Por fim, a Secretaria ressalta que o HGP, junto com sua equipe de profissionais, é referência em atendimentos de alta complexidade e vai continuar realizando todos os esforços para atender a todos da melhor forma possível, dando prioridade às cirurgias de alta gravidade e maior risco de morte como as urgência e emergência. As demais são reguladas de acordo com a classificação clínica de risco, obedecendo a critérios como a complexidade, gravidade do caso, idade e tempo de internação. Enquanto não são realizados os procedimentos os pacientes seguem internados sob os cuidados da equipe multiprofissional da unidade.

Continue Lendo

Cidades

Dona Regina realiza 1° Seminário de Sensibilização à Prematuridade

Objetivo é alertar a sociedade em relação a partos prematuros e discutir sobre medidas de prevenção à prematuridade

Publicados

em

Objetivos são alertar a sociedade em relação a partos prematuros e discutir sobre medidas de prevenção à prematuridade

Com os objetivos de alertar a sociedade em geral em relação a partos prematuros e discutir sobre medidas de prevenção à prematuridade, ocorre nos dias 22 e 23 deste mês, o 1º Seminário de Sensibilização à Prematuridade. O evento que traz como tema Ciência, Arte e Amor é realizado pelo Hospital e Maternidade Dona Regina Siqueira Campos, com apoio da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e ocorrerá no auditório da Assembleia Legislativa.

“Na ocasião, também pretendemos apresentar avanços na qualidade da assistência humanizada prestada ao prematuro; refletir sobre a importância das políticas do Método Canguru; conscientizar sobre direitos e deveres do binômio (mãe-bebê) e sensibilizar quanto ao atendimento individualizado ao binômio”, destacou a coordenadora de enfermagem da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Convencional e Canguru do Dona Regina, Edivani Santos.

O evento também trará dados relevantes para a análise da prematuridade. “Precisamos conhecer a realidade, principalmente do Tocantins, onde só, em 2017, foram 2.540 prematuros, menores que 37 semanas, o correspondente a 10,2% do total de nascidos vivos. Deste total, 717 foram na Maternidade Dona Regina. De janeiro a outubro deste ano, já foram 671 no Dona Regina, o que corresponde a 14% do total de nascidos vivos na maternidade”, destacou a coordenadora.

O evento também trará dados relevantes para a análise da prematuridade

 

Continue Lendo

Estado

Saúde promove encontro com os estados da Região Norte sobre Determinantes Sociais de Saúde

Encontro será realizado nesta terça e na quarta-feira, 20 e 21, no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde, em Palmas

Publicados

em

Saúde promove encontro com os estados da Região Norte sobre Determinantes Sociais de Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Centro de Estudos, Políticas e Informação (Cepi/ENSP/Fiocruz), realiza nesta terça e na quarta-feira, 20 e 21, no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde, em Palmas, o Encontro com os Estados sobre Determinantes Sociais de Saúde na Região Norte.

Os Encontros Estaduais sobre DSS na Região Norte constituem atividade do projeto Desenvolvimento e Governança Territorial da Saúde, desenvolvido pela Fiocruz, sob coordenação do Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde da ENSP, em parceria com a Fiocruz Amazônia, no âmbito do Termo de Execução Descentralizada do Ministério da Saúde, acompanhado pelo Departamento de Articulação Interfederativa da Secretaria Executiva. O projeto tem entre seus objetivos, mobilizar a Região Norte para a temática dos Determinantes Sociais de Saúde (DSS), segundo essa perspectiva.

Nesta etapa do projeto, os encontros sobre DDS na Região objetivam a divulgação, nos estados, dos resultados do Seminário Internacional Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde, ocorrido em Manaus em outubro de 2017, de forma a promover sua contextualização territorial e a priorização de problemas e temas estaduais e regionais, como subsídio à Conferência Regional sobre DSS que se pretende organizar, a exemplo da Conferência Regional sobre DSS, ocorrida na Região Nordeste, em 2013.

O Encontro, organizado com o apoio da Comissão de Articulação DSS na Região Norte, criada em outubro/2017, reunirá cerca de 30 convidados de diversas áreas e setores dos movimentos sociais, academia e gestão governamental, na expectativa de uma interlocução permanente sobre os Determinantes Sociais na Amazônia.

Continue Lendo