Conecte-se conosco

Cidades

Prefeito Laurez recebe certificado de finalista do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor e agradece parceiros

Publicados

em

 

O Prefeito de Gurupi Laurez Moreira recebeu do Sebrae um certificado de finalista da décima edição do prêmio Prefeito Empreendedor. O evento de premiação foi realizado na noite desta quarta-feira (05) em Brasília e reuniu 144 prefeitos de todo o Brasil, que concorreram em oito categorias. Nesta edição foram inscritos ao todo 1.160 projetos de 23 estados.

Finalista na etapa nacional pela segunda vez, o prefeito Laurez representou Gurupi e o Tocantins na categoria Inovação e Sustentabilidade. A chegada a final foi resultado das ações positivas e comprovadas do programa Inova Gurupi, que tem fomentado o surgimento e o fortalecimento dos pequenos negócios de forma inovadora e sustentável.

Feliz por ter sido finalista novamente, Laurez  agradeceu a todos os envolvidos no projeto e valorizou o esforço de toda sua equipe para tornar Gurupi uma cidade modelo em desenvolvimento e sustentabilidade. “Estou muito feliz de ter chegado até aqui e agradeço o empenho de todos, contamos com uma equipe bem qualificada e comprometida com o desenvolvimento econômico, social e sustentável de Gurupi, fazendo do Programa Inova uma referência a nível de Brasil. E vamos continuar trabalhando para avançar cada vez mais”, disse.

Ainda em tom de agradecimento, o gestor acrescentou. “Agradeço as equipes do Sebrae, da Prefeitura de Gurupi, das Instituições de Ensino Superior (IESs), das empresas locais e a professora Adriana Terra coordenadora do Programa Inova Gurupi, todos parceiros em prol de uma Gurupi cada vez melhor”, concluiu Laurez.Em 2014, o prefeito Laurez foi a Brasília e venceu o prêmio na categoria Novos Projetos, também com o programa Inova Gurupi, que na época ainda seria implantado, sendo até hoje o único prefeito do Tocantins a vencer a etapa nacional do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cidades

#GurupiTem terminar com discursos de três possíveis candidatos a prefeito

O encerramento da Feira #GurupiTem – Tecnologia, Serviços e Empreendedorismo, foi marcado pelo sucesso num palanque onde estavam uns dos principais possíveis candidatos a prefeito de Gurupi em 2020, sendo eles Oswaldo Stival (PSDB), Adailton Fonseca (sem partido) e Gleydson Nato (PHS).

Publicados

em

Como há muitos anos não acontecia, Gurupi vive na atualidade um momento de boas perspectiva de futuro na economia, caso for levado em consideração acontecimentos como a consolidação do agronegócio, ferrovias Norte-sul e Fiol, ferrovia, que, segundo o projeto original, vai de Ilhéus, na Bahia, a Figueirópolis, no Tocantins, integrando o Norte, Centro-Oeste e Nordeste. Na parte logística rodoviária espera-se a duplicação da BR-153 e abertura da TO-500, considerada a grande esperança de integração do sul do Tocantins ao Brasil. Fatores estes, que têm atraído novos empreendedores que estão de olho neste potencial, como o exemplo do Grupo Araguaína que promete investir, aproximadamente, R$ 30 milhões na cidade na construção de um Shopping Center e um condomínio fechado de luxo em um área nobre; assim como o grupo G-express, do Mercadão Express, que sinalizou, recentemente, a intenção de implantar em Gurupi uma grande loja atacadista. Outro sinal deste otimismo em relação ao futuro, foi mostrado na Feira #GurupiTem, onde 71 stands foram negociados e ainda houve fila de espera de empresários que de última hora aguardavam alguma desistência, que não aconteceu.

“Em três noites fomentou a economia local em mais de R$ 1,5 milhão. Então, #GurupiTem já tem data marcada para acontecer em setembro de 2020 e hoje nós trouxemos a proposta de ampliar e aumentar para 300 stands”, disse Eliana Castro em discurso de encerramento da feira. Vale lembrar que uma das bandeiras que a levou a Eliana Castro a chegar na diretoria técnica do Sebrae, foi seu empenho em criação de feiras, a exemplo da campanha “Liquida Gurupi” no ano de 2014.

Futuro político e econômico

O sucesso econômico de Gurupi está umbilicalmente ligado a escolha do próximo gestor em que os eleitores terão a responsabilidade de eleger um nome à altura do cargo. Uma mostra do possível cenário político dos palanques de 2020 aconteceu no fechamento da feira Gurupi Tem que contou com a presença do deputado Gleydson Nato (PHS), representando o governador Mauro Carlesse (DEM), o presidente do Sindicato das Indústrias de Carnes Bovinas, Suínas, Aves, Peixes e Derivados do Estado do Tocantins (Sindicarnes) Oswaldo Stival e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Gurupi, Adailton Fonseca. Só faltou o secretário de Saúde, Gutierres Torquato, nome mais próximo do prefeito Laurez Moreira.

 

atitudeto

Continue Lendo

Cidades

Em defesa da TO-500, empresários de Gurupi e lideranças políticas de Mato Grosso fazem travessia da Ilha do Bananal

Faltando menos de um mês para audiência pública que terá a presença do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, por meio de intermediação da senadora Kátia Abreu, um grupo de empresários de Gurupi, representados pelo presidente e vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Gurupi (ACIG), Adailton Fonseca e Marcelo Dominici, respectivamente, percorreram trecho de 90 km que corta a Ilha do Bananal de Formoso do Araguaia (TO) a São Félix (MT).

Publicados

em

O projeto da estrada Ecológica do Araguaia, conhecida como Rodovia Transbananal, ou TO-500, tem como grande defensor do engenheiro Rubens Mazzaro e depois de anos de lutas, caminha para ser concretizado depois de manifestações do presidente Jair Bolsonaro e empenho das classes políticas como a senadora Kátia Abreu, os governadores dos dois estados cortados pela TO-500, Mauro Carlesse, do Tocantins, e Mauro Mendes, do Mato Grosso, e empresarial, como aconteceu neste final de semana quando um grupo de empresários de Gurupi e políticos do estado de Mato Grosso atravessaram a Ilha do Bananal para fortalecer a bandeira da construção da rodovia diante a sua importância para o desenvolvimento econômico dos estados do Tocantins e Mato Grosso e da comunidade indígena.

A última intervenção em defesa da Transbananal aconteceu no sábado, 22, durante um encontro de integração e mobilização de lideranças políticas e empresariais das regiões Sul do Tocantins e Leste do Mato Grosso.

“Estiveram presentes além de vários produtores de Mato Grosso, como Júlio Calixto, os empresários de Gurupi, Marcelo Dominici, Paulo Abreu e João Apaloosa, o prefeito de Alto da Boa Vista, Valtuir Cândido e a prefeita de São Félix do Araguaia, Janailza Leite. O encontro serviu para reforçar a necessidade e a importância da estrada para o desenvolvimento econômico e social das duas regiões”, disse o presidente da ACIG, Adailton Fonseca.

Seca na Ilha do Bananal

Uma das imagens que marcou a viagem foi o registro de uma chuva em parte da Ilha do Bananal, considerada a maior ilha fluvial do mundo, uma reserva da biosfera reconhecida pela Unesco, com cerca de 20 mil quilômetros. Porém, neste ano sofre diante a  intensa estiagem e seus rios, como o Javaés, encontram-se praticamente secos.

Audiência pública

Sugerida pelo vereador de Gurupi, André Caixeta, a senadora Kátia Abreu conseguiu a confirmação do ministro Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para uma audiência pública que será realizada em Gurupi no mês de outubro, que será realizada no âmbito da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal. Na ocasião o prefeito de Gurupi, Laurez Moreria, ficará responsável em montar a estrutura para receber ao autoridades federais e estaduais de Mato Grosso e do Tocantins, como os governadores Mauro Carlesse e Mauro Mendes e os presidentes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que também deverão comparecer, conforme noticiou a senadora Kátia Abreu.

 

 

atitudeto

Continue Lendo

Cidades

Eletricista fica pendurado de cabeça para baixo em poste após levar choque

De acordo com a Energisa um eletricista particular, sem autorização, estava mexendo na rede elétrica em Araguaína na manhã deste sábado, 21, quando aconteceu o acidente. Por questão de segurança, a distribuidora teve que desligar o fornecimento de energia na região. O eletricista foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros.

Publicados

em

Conforme o site Folha do Bico, o eletricista Ilson Pacíco Bento, de 46 anos, prestava um serviço particular para o Colégio Estadual Rui Barbosa, no bairro JK, na cidade de Araguaína, norte do Tocantins quando sofreu uma descarga elétrica. Ao receber a descarga o eletricista ficou dependurado de cabeça para baixo com as roupas em chamas. Em seguida ele foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros e conduzido para o Hospital Regional de Araguaína, onde encontra-se internado.

Em nota, a Energisa alertou que intervir na rede elétrica, sem autorização, é crime e pode causar acidentes fatais. Quando ao caso do eletricista Ilson, a concessionária informou que por uma questão de segurança, desligou o fornecimento de energia na região assim que foi avisada que uma pessoa não autorizada estava manuseando sua rede. “Neste caso, os clientes foram impactados com falta de energia. A empresa informa ainda que já providenciou o boletim de ocorrência para que as medidas legais possam ser tomadas”, informou.

Informou ainda que no caso do Tocantins, apenas a Energisa ou quem ela, após análise técnica, autorizar poderá intervir na rede elétrica.

Guilherme Damiance, gerente de operação da Energisa, explica que quando um particular – a exemplo do eletricista não autorizado que ficou preso no poste em Araguaína, – mexe na rede, ele coloca em risco à vida dele e ainda, compromete a segurança de todos os clientes que recebem energia por aquela fonte. “Intervenção na rede elétrica, por quem não é autorizado tenta fazer qualquer serviço em nosso sistema é crime e impacta diretamente toda a comunidade. O risco de um curto-circuito é muito grande nesses casos e para garantir a segurança, o sistema pode se desligar automaticamente ou, o nosso Centro de Operação Integrada fazer esse desligamento, deixando toda uma região sem energia, para assim detectar onde estão mexendo indevidamente na rede”, destacou.

Falta de energia, curto-circuito e risco de vida são alguns dos impactos causados pelas pessoas não autorizadas que intervém na rede. Apesar desse ato ser uma atitude isolada, ele tem uma consequência coletiva e é por isso, que no Brasil, é considerado um crime, como comenta Fabiano Sant’Anna, gerente jurídico da Energisa. “Por ser uma questão de segurança e que pode ocasionar morte, em nosso país optou-se por configurar como crime a intervenção em rede. Hoje ele está previsto no artigo 265 do Código Penal Brasileiro. Desta forma, a sociedade é alertada para o fato de que uma atitude individual pode provocar um mal coletivo. E temos visto que no Tocantins está se tornando comum esses casos. Aqui, já registramos situações este ano das pessoas subirem no poste em busca de um sinal de celular. Quando isso acontece, registramos o boletim de ocorrência para que todas as providencias legais possam ser tomadas”.

Damiance ressalta que a Energisa tem atuado na orientação e disseminação da informação sobre os cuidados com a rede elétrica. Mas que ainda há muitos casos de pessoas que por conta própria tentam mexer na rede e acabam se colocando em risco. “Ficamos preocupados quando vemos ou ficamos sabendo de uma pessoa, sem equipamentos de segurança e aparentemente sem conhecimento, mexendo na rede de energia. É necessário que o cuidado com a rede seja de todos nós”.

Segurança

As atividades que envolvem energia elétrica devem ser realizadas de forma segura e responsável, por profissionais qualificados e autorizados. Subir em postes, trocar transformadores, fazer instalação de medidores, manobrar chaves seccionadoras na rede de energia são serviços que só as equipes da Energisa podem realizar, pois são preparadas para desenvolver o trabalho com segurança.

Além de serem crime, essas atividades são perigosas e podem causar acidentes fatais. “Essas pessoas estão colocando a sua vida em risco e de todos que estão próximos. Orientamos, novamente, que somente a Energisa pode fazer intervenção na rede, pois possuímos equipes preparadas para realizar os serviços com segurança e qualidade”, Delmindo Antônio Mendes e Souza, coordenador de Saúde e Segurança do Trabalho da Energisa.

Saiba o que não pode ser feito na rede de energia ou próximo a elas:

  • Instalar câmeras de vigilância, placas publicitárias, cabos de rede de internet e demais equipamentos particulares nos postes;
  • Fazer instalações elétricas direto nos cabos dos postes. Além de perigoso é crime;
  • Instalar, retirar ou adulterar medidores de energia;
  • Realizar pintura de faixadas improvisando extensores no rolo de pintura;
  • Fazer cercas ou alambrados sob a rede elétrica sem aterramento e/ou seccionamento;
  • Subir em transformadores ou estruturas de rede de energia. Somente as equipes da concessionária estão habilitadas a fazer intervenções no sistema.

Quer instalar uma antena, como fazer com segurança?

  • Contrate um profissional qualificado e experiente;
  • Garanta que a instalação será feita longe de para-raios e jamais interligue o cabo da antena aos condutores elétricos;
  • Na hora da instalação não arremesse cabos sobre a rede elétrica. Mesmo eles estando encapados, a capacidade de isolamento do material pode não ser suficiente para evitar a passagem da eletricidade;
  • Nunca faça a instalação em marquises. Elas estão próximas às redes elétricas;
  • Não se aproxime ou toque na rede elétrica;
  • O local ideal da instalação da antena é o lado oposto da fiação de energia elétrica.

Manutenção na rede

Toda e qualquer necessidade de manutenção nas redes elétricas de distribuição devem ser realizadas pela Energisa. Para solicitar o atendimento é necessário entrar em contato pelo 0800 721 3330. Também é possível registrar o chamado pelo aplicativo Energisa On.

Caso se depare com as situações abaixo descritas, chame a Energisa:

  • Cabo rompido, baixo ou próximo a marquises, varandas, faixadas, placas de lojas e painéis publicitários;
  • Poste quebrado ou com estruturas visivelmente danificadas/quebradas;
  • Árvores em contato ou muito próximas à rede;
  • Construções/edificações sob a rede elétrica;
  • Montagem de andaimes ou outras estruturas metálicas próximas à rede elétrica;
  • Atividades de aterro ou escavação próximas aos postes;
  • Cercas ou alambrados sem aterramento e/ou seccionamento.

A Energisa lembra que intervir na rede elétrica, sem autorização, é crime e pode causar acidentes fatais, que por isso, apenas profissionais habilitados e devidamente autorizados podem executar serviços.

 

atitudeto

Continue Lendo

Notícias