Quinta, 14 de dezembro de 201714/12/2017
Folha do Tocantins
ESPECIAIS
"Amigos do Sistema Penitenciário" são homenageados por atuarem na política de reintegração social
Homenageados pela Seciju são de diversas áreas de atuação que se envolvem nos cuidados com os reeducandos tocantinenses
-
Postada em 27/09/2017 ás 00h48

O diácono Marcos Antônio Soares, da Pastoral Carcerária, foi um dos homenageados com a certificação.



Vinte pessoas que atuam na execução de políticas públicas em favor dos reeducandos tocantinenses foram homenageadas pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju). Elas receberam o certificado de reconhecimento público Amigos do Sistema Penitenciário, na manhã desta terça-feira, 26, na abertura do 1° Encontro de Reintegração Social e Alternativas Penais, pelas mãos da secretária Gleidy Braga e demais atores sociais envolvidos na política de reintegração social.


Os homenageados pela Seciju são de diversas áreas de atuação no dia a dia e, em comum, têm como foco, também, a ligação com os cuidados dos reeducandos. São religiosos, advogados, juízes, defensores públicos, promotores de justiça, professores e outros cidadãos que moram ou atuam em todas as regiões do Tocantins onde estão instaladas as 40 unidades prisionais. Entre os homenageados, o juiz Milton Lamenha de Siqueira, da Comarca de Pedro Afonso. “A sacralidade da vida humana não deixa de existir no momento em que o reeducando ingressa no Sistema Penitenciário”, pontuou o magistrado.


Representante da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Tocantins (OAB), a advogada Cibele Biazoto foi homenageada por suas ações no Conselho da Comunidade da Execução Penal e também nos presídios femininos. Ela é autora de um projeto que proporciona sessões de cinema às reeducandas da Unidade de Regime Semiaberto de Palmas (Ursa), focando temas que fortalecem a autoestima e o empoderamento. “Também sou responsável pelo projeto de remissão da pena pela leitura na Ursa”, revelou.


A remição de pena, ou seja, o direito do condenado de abreviar o tempo imposto em sua sentença penal pode ocorrer mediante trabalho, estudo e, de forma mais recente, pela leitura, conforme disciplinado pela Recomendação nº 44/2013 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


Responsabilidade


O próximo passo de Cibele Biazoto deve ser dado em Lajeado, na unidade prisional feminina daquele município, com a execução dos mesmos projetos desenvolvidos na Ursa de Palmas. Para isso, ela aguarda o deferimento judicial. “Ser homenageada é prazeroso, por ver as questões reconhecidas e chamar a atenção da sociedade para que participem mais, que ajudem mais o segmento que fica tão esquecido. A homenagem aumenta a responsabilidade, principalmente por atuar como professora de Direito Penal”, comentou a representante da OAB.


A professora Claudenice Palaci, que atua com a Educação de Jovens e Adultos de Pessoas Privadas de Liberdade (EJAPPL), também foi homenageada. “Como é uma área que está se consolidando, todos os dias penso no que eu tenho a fazer. Sempre acho que preciso fazer um pouco mais. É lógico que me sinto agraciada com a homenagem e lembro todos os colegas que, de alguma forma, trabalham essa pauta para que possamos fazer um sistema mais humanizado e capaz de ressocializar as pessoas de verdade. Essa é nossa maior preocupação”, frisou.


Mais homenagens


As homenagens de Amigo do Sistema Penitenciário do Tocantins foram também para os juízes da área de Execução Penal Allan Martins Ferreira, de Porto Nacional; Gilson Coelho Valadares, de Palmas; Antônio Dantas de Oliveira Júnior, de Araguaína; o defensor público-geral Murilo Costa Machado; o promotor de Justiça, Alzemiro Freitas; os chefes das Centrais de Penas e Medidas Alternativas (Cepema), Brena Layane, de Araguaína, e Lincon Valadares, de Palmas; Talles Andrade e Letícia Maranhão, do Departamento Penitenciário Nacional (Depen); a secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), Wanessa Zavarese Sechim; a missionária Valbenes Sousa Guimarães; a presidente da Associação de Apoio e Recuperação da Família Presidiária, Aldenora Martins; Antônio José Ribeiro da Silva Barros, autor do projeto Gingando para a Liberdade (de capoeira na Casa de Prisão Provisória de Palmas); Djanice Sales de Sena, professora; Marcos Antônio Soares, diácono da Pastoral Carcerária; e Maria do Rosário, vice-presidente do Conselho da Comunidade de Execução Penal de Dianópolis.




 
FONTE: Da Redação
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários