Quinta, 16 de agosto de 2018
Política

17/05/2018 ás 02h27 - atualizada em 17/05/2018 ás 02h29

Romilton

Palmas / TO

TRE diz que caso de Kátia é diferente por não ser matéria constitucional e aprova sua candidatura
O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) deferiu por unanimidade no início da tarde desta quarta-feira, 16, o registro de candidatura da senadora Kátia Abreu (PDT) ao governo do Tocantins na eleição suplementar.
TRE diz que caso de Kátia é diferente por não ser matéria constitucional e aprova sua candidatura
Senadora Kátia Abreu é candidata pela coligação

O pedido de impugnação de Kátia havia sido feito pelo candidato da Rede, Márlon Reis, e pela coligação “A Verdadeira Mudança”, do ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB).


Eles questionavam o tempo de filiação da senadora, que ingressou no PDT somente no dia 2 de abril, quando a Lei Eleitoral exige seis meses.


Contudo, os desembargadores e juízes consideraram a excepcionalidade da eleição suplementar e admitiram a possibilidade de mitigar o prazo porque se trata de uma norma infraconstitucional.


Os juízes explicaram que a diferença para o caso de Amastha, que teve a candidatura indeferida nessa terça-feira, 15, é que o tempo de desincompatibilização de seis meses é fixado pela Constituição Federal e, por isso, não pode ser mitigado.


A Corte também deferiu o registro de candidatura do vice de Kátia, o empresário Marco Antônio Costa.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium