domingo, 22 de julho de 2018
Especiais

11/04/2018 ás 09h53

Romilton

Palmas / TO

Projeto da Unitins leva discussão sobre direitos de crianças e adolescentes para alunos de escola em Palmas
Cerca de 40 estudantes do 8º ano aprenderam sobre direitos de crianças e adolescentes em edição do Cine na Escola
Projeto da Unitins leva discussão sobre direitos de crianças e adolescentes para alunos de escola em Palmas
Cerca de 40 estudantes do 8º ano aprenderam sobre direitos de crianças e adolescentes em edição do Cine na Escola

O Núcleo de Estudos em Direitos Humanos (Nedih) da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) realizou na manhã desta terça-feira, 10, o primeiro encontro do semestre do projeto Cine na Escola, que discute com estudantes do 8º ano de escolas da capital o tema direitos humanos de crianças e adolescentes.


 


Cerca de 40 estudantes da Escola Municipal Beatriz Rodrigues, da Região Norte de Palmas, participaram do encontro. Eles assistiram a um curta metragem que abordou a visão de crianças de diferentes realidade sociais sobre o mundo que vivem e como deveria ser o mundo para elas. A narrativa mostra o trajeto de casa à escola e foi construído a partir de uma conversa sobre o tema com estudantes.


 


Ao fim da exibição do filme, os alunos conversaram com representantes do Nedih, expondo suas avaliações  sobre o curta e o que acreditam que seja direito deles por lei. Ao explicar sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), os alunos citaram que vêem como direitos seus a segurança, proteção, atendimento na saúde e educação. A conversa fluiu com o intuito de apresentar às crianças sobre seus direitos e deveres; houve ampla participação e envolvimento dos estudantes.


 


A professora de História, Glezia Santos, do 8º ano, que acompanhava a turma, afirmou que considera importante o projeto de extensão da Universidade na escola. Ela declarou que muitas crianças que estudam na escola não recebem assistência em casa, alguns por não terem a presença dos pais, outros pela própria condição social que obrigam os pais a passarem o dia fora, trabalhando. O relato também inclui a situação de crianças cujos pais estão presos ou se envolveram com drogas.


 


“Temos várias realidades sociais na escola, da mesma forma que temos crianças assim, também temos famílias bem estruturadas, pois é uma escola de referência. Os alunos trocam experiências e apesar de no cotidiano não aprofundarmos o assunto de diretos humanos, a escola presta assistência em casos diversos, sendo que, quando não consegue por si só resolver a situação, conta com a presença do Conselho”, contou a professora.


 


Na próxima quinta-feira, 12, haverá a segunda edição do Cine na Escola, contemplando estudantes da Escola Municipal Mestre Pacífico, em Palmas. 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium