Quinta, 16 de agosto de 2018
Cidades

03/08/2018 ás 03h41

Romilton

Palmas / TO

Projeto oportuniza banho no lago para pessoas com deficiência física
O projeto piloto será desenvolvido na capital do Estado, na Praia do Prata, e inicia nesta quinta-feira, 02, às 10 horas.
Projeto oportuniza banho no lago para pessoas com deficiência física
O projeto piloto será desenvolvido na capital do Estado, na Praia do Prata. Divulgação Semarh

Com a finalidade de promover a acessibilidade e a inclusão social das pessoas com deficiência física e/ou mobilidade reduzida, o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coede-TO), vinculado à Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), elaborou o projeto “Praia Acessível” que visa oferecer infraestrutura nas praias tocantinenses utilizando cadeiras anfíbias e equipe técnica capacitada. O projeto piloto será desenvolvido na capital do Estado, na Praia do Prata, e inicia nesta quinta-feira, 02, às 10 horas.


O “Praia Acessível” tem o objetivo de promover, mediante parceria entre os setores público e privado, uma infraestrutura acessível nas praias tocantinenses para as pessoas com deficiência física, principalmente cadeirantes, ou com mobilidade reduzida. “O Projeto Praia Acessível, por se tratar de um projeto piloto, será, inicialmente, implantado somente na Praia do Prata, no município de Palmas, com o intento de futuramente expandir para as demais praias do estado”, explicou o gerente de Políticas de Proteção à Pessoa com Deficiência da Diretoria de Direitos Humanos da Seciju, Willima de Jesus.


O gerente explicou ainda que, além de gerar a acessibilidade de pessoas com deficiência física e/ou mobilidade reduzida, o projeto também promoverá a ressocialização dos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa do Estado do Tocantins. Os adolescentes, juntamente com a equipe técnica, irão ajudar na segurança dentro da água, além de contribuir com a realização de atividades de educação ambiental na areia.


 “A Secretaria da Cidadania e Justiça é fomentadora e entusiasta deste tipo de ação, pois acredita que ações sociais desta natureza, além de pedagógicas, introjetam nos adolescentes características éticas e morais indispensáveis, como empatia, compaixão e esperança”; acrescentou a diretora de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Seciju, Izabel Ribeiro.


Público-alvo


Neste primeiro momento de execução do projeto piloto, o público participante será composto de 15 alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). No entanto, é possível a participação de pessoas com deficiência que estejam em visita à praia durante o evento.


Parceiros


São realizadores do “Praia Acessível” o Conselho Estadual de Proteção à Pessoa com Deficiência (Coede/TO), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), a Secretaria da Cidadania e justiça Social (Seciju), o Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBMTO) e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae – Palmas).

FONTE: Da Redação

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium