Conecte-se conosco

Cultura

Jornalista lança romance em Palmas sobre saga de uma jovem órfã pela China e Tibete

“Que o Oriente me oriente”, da jornalista formada pela UFT (Universidade Federal do Tocantins), Mariana Freitas, será lançado na próxima quarta-feira, dia 28, às 19h30, no Complexo Laboratorial da UFT. Na quinta, dia 29, o lançamento será na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping

Publicados

em

Mariana Freitas é uma curiosa. Nasceu em Brasília, morou do Norte ao Sul do Brasil, incluindo o período que fez faculdade de Comunicação Social no Tocantins, pela Universidade Federal (UFT), morou nos Estados Unidos, China, e, atualmente, França. Foi em busca de novas aventuras que ela desembarcou na China no ano de 2010. Lá concluiu seu doutorado em Comunicação Intercultural pela Universidade Fudan, em Xangai. Dessa experiência, e do seu olhar apurado à cultura milenar chinesa, Mariana trouxe na bagagem o livro “Que o Oriente me oriente” – um romance que conta a estória de Jade, uma jovem brasileira órfã que embarca numa viagem sozinha pela China. O livro tem agenda concorrida de lançamento no Brasil: nesta quarta-feira, dia 28, às 19h30, será lançado no Complexo Laboratorial da UFT,em Palmas, dentro da programação de comemoração dos 22 anos do curso de Jornalismo da UFT . Na quinta, dia 29, o lançamento será na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping, também em Palmas. Dia 1 de dezembro o lançamento será em Brasília, terra natal da autora.

Explorando mundos desde que saiu de sua cidade natal, aliando curiosidade, interesse social e paixão por culturas diferentes, Mariana trabalhou como jornalista, professora universitária e pesquisadora acadêmica. É também professora de idiomas e fotógrafa profissionalmente amadora. Seu primeiro romance “Que o Oriente me oriente” foi inspirado em uma viagem de trem que cruzou a China até chegar ao monte Everest. Através do olhar de Jade, o livro revela um pouco da sua ampla visão de mundo, construída a partir de estudos e experiências acumuladas nos cinco anos em que morou na Ásia. “Que o Oriente me oriente surgiu da minha necessidade de escrever sobre esse país tão fascinante e misterioso que é a China. E também do desejo de mostrar um pouco das culturas chinesa e tibetana de uma forma interessante e mais acessível do que os trabalhos acadêmicos”, diz a autora.

Sobre a obra

O livro é uma viagem cultural pela China e pelo Tibete por trás de uma história de superação emocional. A protagonista Jade, uma jovem brasileira de 23 anos, órfã e filha única de pai chinês e mãe tibetana, embarca em uma viagem sozinha pela China para tentar se curar do luto da morte da mãe e aprender mais sobre ela mesma e sobre sua família. “Que o Oriente me oriente” conta a saga de Jade desde sua partida de São Paulo até a chegada ao Tibete de trem, a partir de Xangai. O próprio trem é uma metáfora sobre as contradições da China moderna e a vulnerabilidade da vida, manifestada através de mistérios protagonizados pelas pessoas que cruzam o seu caminho.

Na longa viagem de Xangai a Lhasa, Jade convive não apenas com a fascinante cultura oriental e com a espiritualidade do budismo tibetano, mas também com diferentes personagens que se interconectam numa trama de fé, amor, desapego e superação. Mesmo de luto, contrariada e com medo, Jade embarca com tudo nesta jornada interna, que lhe permite evoluir, se transformar e experimentar o amor. “Que o Oriente me oriente” é uma história sobre a vida e a morte, sobre a magia dos encontros, sobre amor e a importância do autoconhecimento e da fé. Política, religião e sociedade se misturam com esperança e efemeridade neste romance que é o resultado de um longo trabalho de pesquisa sobre a China e o Tibete.

Em “Que o Oriente me oriente”, o leitor é transportado para modernidade de Xangai e para a espiritualidade dos templos budistas tibetanos, passando por paisagens exuberantes como os Himalaias e o Monte Evereste. É um livro sobre amor, fé e recomeços, em um ambiente pouco explorado na literatura brasileira: a Ásia. Além disso, todos os cenários representados são reais. Ou seja, apesar dos personagens e enredo serem fictícios, os lugares existem de fato (inclusive o trem) e foram visitados pela autora, por isso as descrições são ricas e detalhistas, fazendo com o que o leitor “viaje” para a China e para o Tibete e possa, inclusive utilizar o livro como roteiro para uma eventual visita aos países.

Serviço

Obra: Que o Oriente me oriente

Autora: Mariana Freitas

Gênero: Romance

Editora: Letramento

Venda: no site da editora (http://grupoeditorialletramento.com/) e nas principais livrarias nacionais.

Lançamento: Dia 28/11/18, às 19:30, no Complexo Laboratorial da UFT, em Palmas. O evento contará com a participação musical de Piettro Lamonier.

Dia 29/11/18, às 18h, na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping, em Palmas.

Dia 01/12/18, às 18h, na Livraria Leitura do Terraço Shopping, em Brasília.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Netflix grava série em Natividade: conheça cinco curiosidades sobre o município histórico do Tocantins

Além de “O Escolhido”, Natividade também já serviu de cenário para outras produções; a mais recente foi a novela “O Outro Lado do Paraíso”

Publicados

em

O belo conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico de Natividade foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1987

A Netflix escolheu o município de Natividade no Tocantins para gravar sua primeira série original de suspense sobrenatural. A série O Escolhido é baseada na história mexicana Niño Santo, possui sete capítulos e traz no seu elenco principal a atriz Paloma Bernardi e o ator Renan Tenca.

Parte dos figurantes foi formada por moradores nativitanos trazendo mais naturalidade para a ambientação da série. A história gira em torno de três médicos que são enviados para um vilarejo no Pantanal para vacinar a população contra uma mutação do vírus da zika. Porém, eles acabam presos em uma comunidade que segue um líder que prega a cura por meio da fé, e não de medicamentos.

A série ainda não tem data de estreia, mas está prometida para chegar ao streaming ainda em 2019. Além de O Escolhido, Natividade também já serviu de cenário para outras produções, sendo a mais recente a novela das nove da TV Globo, O Outro Lado do Paraíso.

Para descobrir os segredos que encantam em Natividade, listamos abaixo cinco curiosidades sobre o município:

Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

O belo conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico de Natividade foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1987. A cidade faz parte do programa Monumenta, do Ministério da Cultura (MinC), que visa à recuperação e à preservação do patrimônio histórico brasileiro.

Natividade se destaca pela sua charmosa arquitetura colonial, festas religiosas, folclore e gastronomia. Sua história começa no ciclo do ouro, por volta de 1734, quando ocorreu a ocupação da região por bandeirantes, escravos, mineiros, sertanistas, missionários e criadores de gado. Natividade chegou a ser um dos maiores arraiais da então Capitania de Goiás.

Os visitantes podem conhecer um pouco da história da cidade visitando o Museu Histórico de Natividade. No local, funcionava uma antiga cadeia, da época do Império. A construção abriga o Centro de Artesanato e Apoio ao Turista, a Oficina de Ourivesaria Mestre Juvenal, uma loja de comercialização de produtos artesanais, além de uma exposição permanente com artefatos encontrados na região.

Festas Religiosas

A religiosidade é uma importante marca de Natividade com festejos como a Romaria de Nosso Senhor do Bonfim, considerada a maior festa religiosa do Estado, e a Festa do Divino Espírito Santo de Natividade. A cidade guarda ainda as ruínas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, construção iniciada pelos escravos no século XVIII, mas que não chegou a ser concluída.

Região das Serras Gerais

A região das Serras Gerais é conhecida como a nova rota turística do Tocantins. O local engloba além de Natividade, os municípios de Almas, Arraias, Aurora, Dianópolis, Paranã e Taguatinga (região sudeste do Estado).

As Serras Gerais fazem parte da maior cadeia de serras do Brasil e, além das maravilhas naturais, guardam tradições, arquitetura colonial, história e cultura como as Cavalhadas, as festas do Senhor do Bonfim e do Divino Espírito Santo, entre outras festas folclóricas e religiosas herdadas do colonialismo e da era do ciclo do ouro, como em Natividade, quando o município era grande produtor de joias.

Em toda a região, o ecoturismo é propiciado por uma profusão de rios, canyons, cachoeiras e cavernas. A Cachoeira Paraíso, em Natividade, possui diversas quedas d’água de médio e pequeno porte, em meio a pedras e paredões rochosos formando, ao longo do percurso, piscinas naturais de águas verdes e transparentes.

Em meio à fauna, à flora e outras belezas naturais, o visitante pode apreciar também os centros históricos de Natividade, Dianópolis e Arraias, que em suas ruas estreitas e muros de pedra construídos por escravos guardam memórias da história do Tocantins.

Joias

As joias de Natividade são famosas por sua tradição, seu design e sua originalidade. O conhecimento técnico vem sendo passado por várias gerações e promovendo a inclusão social de jovens, dando oportunidade a eles de construírem uma carreira e terem sua renda.

As joias artesanais de Natividade já foram reconhecidas em diversos projetos de apoio à cultura no país. Uma das técnicas que mais chama atenção nas peças é a filigrana, um trabalho ornamental herdado dos portugueses, feito de fios muito finos e pequeninas bolas de metal, soldadas de forma a compor um desenho. O metal é geralmente ouro ou prata, mas o bronze e outros metais também são usados.

Amor Perfeito

O famoso biscoito Amor Perfeito é feito de polvilho de mandioca tradicional. A receita foi criada há mais de cem anos e permanece a mesma. O biscoito ganha forma todos os dias em uma cozinha construída no quintal da casa da doceira Tia Naninha. O processo permanece artesanal com os biscoitos sendo moldados manualmente e assados em forno de barro. Na época da festa do Divino Espírito Santo, são feitos em forma de pomba e servidos de graça aos visitantes.

 

 

Continue Lendo

Cidades

Carnaval de Gurupi encerra com balanço positivo dos foliões e da organização

Publicados

em

O Melhor Carnaval do Norte do Brasil encerrou nesta terça-feira (05), ao som de bandas regionais e com a entrega da premiação da Rainha e do Rei momo do Carnaval 2019. Foram cinco dias de muita folia que deixarão saudades nos foliões e um gostinho de quero mais para 2020.

Segundo a organização aproximadamente 200 mil pessoas participaram dos cinco dias do Carnaval de Gurupi 2019. A avaliação do evento foi positiva, tanto pela organização quanto pelos foliões. O prefeito Laurez Moreira disse estar muito satisfeito com tudo que viu.

“Foi uma bela festa em todos os sentidos, onde percebemos os foliões muito satisfeitos com as bandas, com a estrutura oferecida e a segurança. Toda a família participou, desde a criança até o idoso. Valorizamos mais uma vez as bandas locais e também movimentamos a economia do município de forma muito positiva. O investimento no Carnaval de Gurupi tem valido muito a pena”, destacou o gestor.

Já a secretária municipal de cultura, Zenaide Dias, revela que as expectativas foram superadas. “Balanço extremamente positivo, estou muito feliz com o resultado, a comunidade local participou da festa, bem como os turistas e todos se sentiram acolhidos, com muita segurança, estrutura de qualidade e tudo muito organizado. Toda equipe envolvida na organização está extremamente satisfeita porque sabemos que demos nosso melhor”, afirmou a secretária.

No mesmo embalo, os foliões também elogiaram a organização do carnaval. O estudante Danilo Lopes foi um deles, que aproveitou para curtir a última noite. “O carnaval foi muito bem organizado, festa muito segura e animada. Prova disso é que encontrei muitas pessoas que vieram de fora para brincar o carnaval aqui e conversando com alguns, ouvi que gostaram muito da cidade”, comentou.

A também estudante Rafaela Alencar, foi outra foliã que curtiu a última noite e elogiou o evento. “A festa foi tão boa que não poderia deixar de vir na última noite, e já estou ansiosa para o carnaval do ano que vem. Gurupi sem dúvidas sabe fazer Carnaval”, frisou.

Programação da última noite

A programação desta última noite de carnaval iniciou com a participação da Aliança dos Ministros Evangélicos de Gurupi (AMEG), ao som da banda H2O Purificados. Na oportunidade, o grupo levou aos presentes canções e palavras sobre o amor de Deus.

Em seguida, no camarote oficial foi realizada a entrega das premiações à Rainha e ao Rei momo do Carnaval de Gurupi 2019 pela secretaria municipal de cultura. A Ingrid Sousa e o Pedro Igor receberam o valor de mil reais cada e se despediram do evento com muito samba no pé.

Para encerrar a noite e a programação de 2019, duas bandas regionais animaram os foliões, com um repertório bem diversificado. A primeira foi a Banda Amigos do Samba e por último a Banda Forró Xamego Meu.

Segurança e saúde

O quesito segurança é sempre prioridade na organização do Carnaval de Gurupi. Para isso a Prefeitura contou com o apoio do Corpo de Bombeiros, que além de fiscalizar e aprovar o projeto da estrutura da festa, dispôs de uma equipe com 10 militares por noite no circuito da folia.

Outra parceira, a Polícia Militar também fez policiamento com 45 policiais por noite no circuito, no entorno e nos bloqueios de trânsito. Além disso, a Prefeitura ainda contratou uma empresa de segurança especializada com reforço de 60 pessoas. Uma central de vídeo monitoramento foi montada e 16 câmeras foram distribuídas em pontos estratégicos do circuito.

Houve também 12 brigadistas que ficaram de plantão na avenida, preparados para situações de princípio de incêndio, atendimento pré-hospitalar e orientação sobre saídas de emergência. A avenida também contou com uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde e do SAMU para atendimento aos foliões e possíveis casos de urgência e emergência. Tudo isso garantiu a segurança e o bem estar dos foliões durante a festa.

Continue Lendo

Cidades

Blocos tradicionais do carnaval de Gurupi são premiados na folia de Gurupi

Publicados

em

Como manda a tradição, diversos blocos tradicionais do carnaval de Gurupi desfilaram durante os dias de folia esbanjando alegria e muita animação. Este ano cinco blocos competiram. Os filhos de Gurupi, Los compadres, Os enforcados, Pega pra capá e os Pé de Porco. Cada um apresentou o seu melhor no circuito carnavalesco.

Os vencedores do desfile foram revelados nesta segunda-feira (04), penúltima noite de carnaval, e todos fizeram a festa durante a premiação.

O troféu do terceiro lugar foi para o bloco Los compadres. O grupo está no seu segundo ano de competição e pela segunda vez ficou na terceira colocação.

Para Tânia Oliveira, presidente do bloco, o que importa não é a competição, mas sim a alegria de estar no carnaval. “O Los compadres não visa a premiação, estamos felizes de poder participar. O nosso bloco a cada ano que passa cresce mais, ano passado éramos apenas 30 integrantes e hoje já somos mais de 150 participando dessa festa linda, e é isso o que nos deixa feliz, é essa alegria contagiante de brincar o carnaval”, declara.

A segunda colocação foi para o bloco Pega pra capá, que levou para a pista uma homenagem às vítimas das tragédias em Brumadinho e Mariana, ambas cidades mineiras, que sofreram um crime ambiental que matou centenas de pessoas.

“Foram muitos dias de ensaios, suamos a camisa pra fazer uma apresentação bonita e estamos muito contentes com o título de vice-campeão, é uma prova de que estamos no caminho certo, e ano que vem vamos participar novamente e darmos o nosso melhor nesta festa linda”, declarou o integrante Wiliam Alves de Souza, que representou o presidente do bloco, Joice Avelino.

E finalmente, o campeão do carnaval de Gurupi 2019, foi o bloco Os Enforcados, que trouxeram muita ginga e sincronismo. O coreógrafo do bloco, Eberson Gomes falou da alegria de ver o grupo vitorioso. “A felicidade é muito grande. Essa é a primeira vez que estou como coreógrafo em um bloco de carnaval, e terminar com o 1° lugar me dá uma satisfação imensa. E o mais incrível de tudo isso é sentir a energia do público, que fica juntinho da gente na pista compartilhando a alegria”, afirmou.

A secretária de Cultura e Turismo de Gurupi, Zenaide Dias, avalia a participação dos blocos de forma positiva. “A competição foi linda, os jurados tiveram muita dificuldade para escolherem os vencedores. Os três primeiros colocados foram um melhor que o outro”, ressaltou.

Para o prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, o desfile dos blocos valoriza o carnaval gurupiense. “O nosso carnaval é referência para o norte do Brasil e o que o deixa ainda mais bonito são os blocos tradicionais, que resgatam a cultura de Gurupi, debatem temas atuais, bem como faz a diversão de quem participa”, afirma.

4° noite de folia

A 4° noite do melhor carnaval do Norte do Brasil contou com a presença do Governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse e sua esposa, a primeira dama Fernanda Carlesse, que foram prestigiar o evento.

As atrações da folia foram os músicos regionais Paulo Braga, com a participação de Chico Chokolate, Joan Alessandro, Banda Eclipse e a atração nacional Guilherme e Santiago.

Programação

Na noite de hoje, 5, último dia de folia, a programação contará com a entrega da premiação da Rainha e Rei Momo 2019, que será às 22h, no Camarote Oficial, com a presença do prefeito Laurez Moreira.

A agitação no circuito da folia será por conta das atrações regionais Amigos do Samba, que sobe no trio às 21h; e Forró Xamego Meu a partir das 22h30.

Continue Lendo