Conecte-se conosco

Estado

Hospital Geral de Palmas recebe doação de laringes eletrônicas

Projeto facilita reabilitação de pacientes que passaram por cirurgia de remoção total ou parcial da laringe; ação humaniza o tratamento do câncer de cabeça e pesçoco

Publicados

em

A laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata

O serviço de cabeça e pescoço do Hospital Geral de Palmas (HGP) recebeu a doação de cinco laringes eletrônicas, nessa quinta-feira, 4, por meio do projeto Rede+ Voz, da Associação do Câncer de Boca e Garganta (ACBG), com o intuito de amparar e facilitar a reabilitação dos pacientes laringectomizados, cirurgia para que seja removida total ou parte da laringe.

O médico do HGP, Daniel Hiramatsu, explica que algumas pessoas precisam passar pela laringectomia total, que é a remoção de toda a laringe, quando acometidas pelo câncer de cabeça e pescoço, e uma de suas consequências é a perda da fala, contudo é possível viabilizar novamente a comunicação oral por meio da utilização da laringe eletrônica.

O gestor de projetos da ACBG, Eduardo Knoll, explica sobre o projeto Rede+Voz. “É um projeto que tenta formar um controle social do câncer de cabeça e pescoço e fazer um retrato de como está a situação no Brasil. Nós estamos visitando os principais hospitais e os centros de referência de câncer de cabeça e pescoço, pelo menos um em cada estado do Brasil, para conhecer pacientes, profissionais e o que o serviço oferece aos pacientes, na intenção de conhecer qual a situação real da doença no país”.

Ele esclarece ainda como foram viabilizadas as doações da laringe eletrônica. “O projeto Laringe eletrônica uma voz possível é uma parceria da ACBG com a Amucc [Associação Brasileira dos Portadores de Câncer], viabilizado pelo Pronon [Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica], que é uma lei de incentivo fiscal voltado para a oncologia. Nós cadastramos um projeto no Pronon, e se aprovado, a gente pode captar verbas de imposto de renda de outras empresas. Por meio dessa captação, conseguimos comprar 350 laringes eletrônicas, possibilitando a reabilitação de 350 pacientes laringectomizados em situação de vulnerabilidade social”.

A fonoaudióloga e educadora clínica, Andrea Maduro, da ATOS Medical, falou sobre a reabilitação vocal dos paciente que sofreram laringectomização total e os produtos disponíveis. “Não é só a prótese traqueoesofágica que possibilita o paciente falar novamente. Nós temos todos os acessórios para uma reabilitação pulmonar, por exemplo, porque o paciente quando tira a laringe, ele perde a função do nariz. O ar entra muito seco e frio, e o paciente tem muita secreção, então nós temos os acessórios que facilitam o paciente a ter uma vida normal após uma cirurgia tão mutiladora, porque, além de mutilar a voz, ele perde todas as funções do nariz”.

Daiane Francisco, esposa do paciente João Gomes Gontijo, de 63 anos, que passou pela laringectomização total, relatou a situação do seu marido. “Ele foi diagnosticado com câncer de laringe, passou pela primeira cirurgia e ficou três meses sem a doença. Quando voltou, teve que tirar toda a laringe. Há dois meses, ele passou por essa cirurgia, e a possibilidade dele voltar a se comunicar com esse aparelho foi motivo de muita emoção e alegria pra todos nós”.

Laringe eletrônica

São aparelhos pequenos, leves e portáteis e funcionam a base de pilhas ou baterias de 9V. Possui uma membrana na parte superior que vibra e, quando encostada no pescoço ou nas bochechas, gera um som que é transformado em fala por meio da articulação dos lábios e da língua. Um dos benefícios do uso da laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata, ajudando na reintegração social e profissional.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Estado

Governo do Tocantins regulamenta fluxo de óbitos que agilizará o serviço prestado às famílias

Portaria inédita entrará em vigor 60 dias após a publicação

Publicados

em

O Instituto Médico Legal é responsável por óbitos de vítimas por mortes violenta

Definir responsabilidades e agilizar o atendimento às famílias de pessoas que vêm a óbito são os principais objetivos da Portaria Conjunta n° 001, das secretarias de Estado da Segurança Pública (SSP) e da Saúde (SES), a ser publicada no Diário Oficial do Estado, edição desta terça-feira, 7, na qual institui-se o Fluxo de Óbitos no Estado do Tocantins.

A diretora do Instituto Médico Legal (IML) – órgão ligado à SSP -, Georgiana Ramos, explica que até então não havia um instrumento que regulasse o fluxo de óbitos, o que dificultava o trabalho prestado tanto pelo IML quanto pelo Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), ligado à SES.

Georgiana Ramos explica que, apesar de ambos lidarem com cadáveres, os mesmos têm funções distintas. “O IML é responsável por vítimas de morte violenta, já o SVO é responsável por vítimas de morte natural. Então, a causa da morte é que vai dizer para onde o corpo será destinado. Por exemplo, quando é vítima de homicídio, vem para o IML e é feito o Boletim de Ocorrência, sendo que a delegacia requisita o exame do IML. Quando é morte natural, quem é responsável por dar o atestado de óbito é o médico do hospital, ou quando a causa não é definida vem para SVO para que o médico do serviço possa dar essa declaração de óbito”, esclarece.

A diretora complementa que, sem a regulamentação, ocorria que muitas vezes o IML era acionado e quando chegava ao local constatava que se tratava de um óbito por causas naturais, assim como SVO era acionado e encontrava no local um óbito por causas violentas. “Essa portaria vai definir as responsabilidades dos órgãos envolvidos, agilizando o atendimento, diminuindo despesas do Estado com remoções indevidas, como também diminuindo as despesas com funerárias pagas pelas famílias que precisam muitas vezes buscar seu familiar morto em locais distantes, melhorando dessa forma a nossa prestação de serviço à sociedade”, pontua.

O coordenador técnico do SVO, médico Artur Alves Borges, ressalta que a Portaria Conjunta é inédita e inovadora e tem o objetivo de aprimorar os serviços. “Permitirá estabelecer fluxos bem definidos e claros para emissões de declarações de óbitos e para investigação necroscópica de causas externas e naturais mal definidas orientarão profissionais de saúde que lidam com óbitos estaduais. Sobretudo, a portaria com seus fluxos de óbitos reduzirá o estresse do cidadão tocantinense enlutado que necessita de documentação obituária para fins de sepultamento de seus familiares e aprimorará informações estatísticas vitais utilizadas para elaboração de políticas públicas sanitárias para o Estado do Tocantins”, destaca.

A portaria entrará em vigor 60 dias após a sua publicação.

Portaria

Conforme a Portaria, o Fluxo de Óbitos contempla quaisquer cadáveres humanos, vitimados por quaisquer tipos de morte, sejam violentas ou não, com interesse policial ou não, inclusive acidental ou a esclarecer, devendo ser observado por servidores dos órgãos públicos e entidades privadas no Estado do Tocantins.

Caberão a ambas Secretarias adotar providências para que haja a efetiva colaboração de seus agentes, de modo a garantir o normal funcionamento dos procedimentos atribuídos ao SVO e ao IML.

Continue Lendo

Estado

Meio Ambiente disponibiliza mapas com a frequência de queimadas nas proximidades das rodovias do Tocantins

Mapas apresentam a quantidade de vezes que as áreas próximas das rodovias estaduais queimaram nos últimos cinco anos

Publicados

em

Mapas apresentam a quantidade de vezes que as áreas próximas das rodovias estaduais queimaram nos últimos cinco anos

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) em parceria com Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf), da Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Gurupi, realizaram um mapeamento das áreas próximas das rodovias do Estado que apresentaram elevados índices de queimadas nos últimos cinco anos.

Os mapas estão disponíveis no site institucional da Semarh e norteiam os trabalhos dos órgãos ambientais que integram o Comitê Estadual do Fogo. A Agência Tocantinense de Transporte e Obras (Ageto), e as equipes de brigadistas realizam nas rodovias estaduais o aceiro negro, que é uma faixa de fogo usada para proteger um território específico. A ação está contida no planejamento estratégico do Comitê e já foi realizada na altura do Km 30, da TO-010, a caminho de Lajeado.

O supervisor administrativo da Semarh, Luis Paulo, frisa que “através do aceiro negro será possível saber onde iniciaram as queimadas, se partiu das rodovias, por meio dos resíduos como cigarro ou combustível na pista e de lá seguiram para dentro das propriedades rurais, ou se começaram na zona rural com algum manejo do fogo e fizeram o caminho inverso, seguindo para as rodovias”.

Segundo Secretário da Semarh, Renato Jayme “existe a preocupação com as queimadas que acontecem nas proximidades das rodovias do Tocantins, e pensando nisso foi desenvolvido um trabalho em parceria com o Cemaf para a elaboração de mapas com informações precisas sobre essas regiões, e assim auxiliar as equipes que estão atuando na prevenção dos incêndios”.

A classificação sobre o número de vezes que houve incêndio na região vai de 0 a 5. De acordo com o mapa, o número 5 representa as regiões mais críticas onde foram identificados focos de incêndios durante os últimos 5 anos, e as regiões classificadas com o número 0 não apresentaram indicadores de queimadas no período dos levantamentos.

A Semarh também disponibiliza diariamente Boletins que servem como orientadores para a população sobre as queimadas. Os Boletins Diários informam sobre as variáveis de velocidade do vento, umidade do ar e a temperatura nas regiões norte, sul e centro do Estado. Com essas informações será possível classificar como alto e moderado o risco de queima em cada região. Os interessados em receber esses informativos podem enviar nome, contato e a cidade para o e-mail: [email protected]

Cemaf

O Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf) atua desde 2016 desenvolvendo trabalhos técnicos científicos para suprir demandas na área de monitoramento ambiental. O Centro foi implantado através de uma parceria firmada entre a Semarh e a UFT, campus de Gurupi.

Desde a sua implantação, o Centro já desenvolveu diversos planos de prevenção e combate a incêndios orientando os municípios, além de realizar o mapeamento das áreas degradadas pelas queimadas. Isso gera um avanço para o Estado, que conta com um cálculo mais realista das situações de cada município.

 

 

Continue Lendo

Estado

Governo do Tocantins inicia entrega de kits de alimentos para alunos da rede municipal de ensino de Araguaína

Distribuição vai atender as famílias de alunos da rede municipal dos 139 municípios

Publicados

em

Kits de alimentos serão entregues para cerca de 16 mil famílias de alunos da rede municipal de Araguaína

A partir desta sexta-feira, 19, as famílias dos 21.154 alunos da rede municipal de ensino de Araguaína receberão kits de alimentos doados pelo Governo do Tocantins. A iniciativa atende ao pedido feito pelos deputados araguainenses durante reunião com o governador Mauro Carlesse, no último dia 9, e visa suprir a carência momentânea dessas famílias nesse período de pandemia da Covid-19.

O governador Mauro Carlesse ressalta que concordou com a solicitação dos deputados devido à dificuldade enfrentada no município que concentra o maior número de casos. “Como nós entregamos os kits alimentação para toda rede estadual, nós fizemos esse compromisso com os deputados de entregar para cada família de aluno da rede municipal de Araguaína também um kit de alimentação. É um momento de dificuldade que as pessoas estão vivendo, dificuldade de trabalho, de não estar tendo condições de levar o pão para suas casas”, explica.

O governador Mauro Carlesse esclarece ainda como será a distribuição. “Esse quantitativo de alunos da rede municipal de Araguaína corresponde a cerca de 16 mil famílias e para facilitar a distribuição, de forma a não haver aglomeração durante a entrega, respeitando sempre as normas recomendadas pelos órgãos de saúde pública, as escolas estaduais servirão de polos de distribuição para as municipais. E por isso, pedimos também o apoio dos diretores das escolas municipais na hora da entrega”, complementa. Um cronograma estipulado por ordem alfabética será divulgado para evitar aglomeração nos polos.

O pedido feito pelos deputados araguainenses despertou no governador Mauro Carlesse o olhar para as demais cidades do Tocantins, cujas às famílias de alunos das redes municipais de ensino também irão receber kits de alimentos. “Parabenizo, pela excelente iniciativa, os deputados Elenil da Penha, Olyntho Neto, Jorge Frederico, Valderez Castelo Branco, Issam Saad e também o presidente da Assembleia Antônio Andrade que acompanham in loco a dificuldades dessas famílias e que acertadamente pediram esse apoio e nós vamos ajudar”, ressalta.

A entrega de kits de alimentação é uma ação integrada do Governo do Tocantins que envolve a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), a Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas), a Polícia Militar (PM), e o Corpo de Bombeiros Militar (CBM).

Logística

Como meio de facilitar o recebimento dos kits por parte das famílias, a entrega será feita nas escolas estaduais, que servirão de polos para as unidades municipais de ensino.

Abaixo, segue a relação dos polos de distribuição para cada família, conforme a unidade ensino municipal:

Escola CAIC (Setor Coimbra) – será polo para as Escolas Municipais Ver. Arnon Ferreira Leal e Domingos Sousa Lemos e o CEI Dona Joaquina Mota.

Escola ASPA (Setor São Miguel) – será polo para a Escola Municipal Olavo Bilac e CEI Boanice Botelho Kalil.

Colégio Estadual Ademar Vicente Ferreira (Bairro JK) – será polo para a Escola Municipal José Gomes Sobrinho e os CEIs Nossa Senhora da Natividade, Profª Lusineide dos Santos Nascimento e Sítio da Dona Benta.

Colégio Estadual Adolfo Menezes (Setor Araguaína Sul) – será polo para a Escola Municipal Dr. Simão Lutz Kossobutizki e CEI Arnon Ferreira Leal.

Colégio Estadual Guilherme Dourado (Setor Central) – será polo para a Escola Municipal Profª Josefa Dias da Silva e os CEIs Criança Feliz e Natalina Maria de Jesus.

Colégio Estadual Henrique Cerqueira Amorim (Setor Barros) – será polo para as Escolas Municipais Luiz Gonzaga e Moderna.

Colégio Estadual Jardim Paulista (Setor Jardim Paulista) – será polo para as Escolas Municipais de Tempo Integral Joaquim Carlos Sabino dos Santos e Maria da Conceição Costa Luz.

Colégio Estadual Jorge Amado (Setor Noroeste) – será polo para as Escolas Municipais Gentil Ferreira Brito e Zeca Barros e o CEI Antônio Raimundo Costa.

Colégio Estadual Marechal Rondon (Setor Neblina) – será polo para a Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda Ferreira e os CEIs Dona Regina Siqueira Campos e Profª Maria de Fátima Santos.

Colégio Estadual Silvandra (Vila Couto) – será polo para as Escolas Municipal Benedito Canuto Braga e Paroquial São Vicente de Paulo e o CEI Cora Coralina.

Colégio Estadual Campos Brasil (Bairro de Fátima) – será polo para a Escola Municipal Cabo Luzimar Machado e os CEIs Otaerson Souza Lima, Nossa Senhora da Natividade e Tenente José Martins dos Santos.

CEM Castelo Branco (Vila Aliança) – será polo para as Escolas Municipais Léia Raquel Dias e Tomaz Batista, o CEI Raimundo Alves Lira e a Creche Criança Esperança.

Colégio Militar do Estado do Tocantins (Setor Coimbra) – será polo para as Escolas Municipais José Ferreira Barros e Tereza Hilário Ribeiro e o CEI Glória Moraes.

Escola Estadual Alfredo Nasser (Bairro Araguaína Sul) – será polo para a Escola São Vicente de Paula.

Escola Estadual Aplicação (Setor Couto) – será polo para a Escola Municipal João Sousa Lima e CEI Pedro Carreiro.

Escola Estadual Francisco Máximo (Setor Santa Terezinha) – será polo para Escola Paroquial São Domingos e a Creche Normando de Sousa Linhares.

Escola Estadual João Guilherme Junze (Setor São Miguel) – será polo para os CEIS Elizabeth Alves Carvalho e Prefeito João Batista de Jesus Ribeiro.

Escola Estadual Manoel Gomes (Novo Horizonte) – será polo para as Escolas Municipal São Miguel e Paroquial Dom Cornélio Chizzini e o CEI José Xavier.

Escola Estadual Modelo (Centro) – será polo para o CEI Tereza Hilário Ribeiro e Creche Mãe de Deus.

Escola Estadual Norte Goiano (Entroncamento) – será polo para os CEIs William Castelo Branco Martins e Constantino Pacífico de Oliveira e a Escola Municipal William Castelo Branco Martins.

Escola Estadual Vila Nova (Setor Vila Norte) – será polo para a Escola Municipal Francisco Bueno de Freita e o Educandário Espírita Francisco Thiesen.

Escola Estadual Welder (Bairro Eldorado) – será polo para a Escola Municipal Joaquim de Brito Paranaguá e o CEI Santa Clara.

Escola Espírita André Luiz (Morada do Sol 2) – será polo para a Escola Municipal Dr Cezar Belmino Barbosa Evangelista e o CEI Profª Edília Moraes Soares.

Escola Estadual José Alves de Assis (Setor São Miguel) – será polo para a Escola Municipal Meu Castelinho e o CEI Vovô Jorge Frederico.

Escola Estadual Rui Barbosa (Bairro Jk) – será polo para a Escola Municipal Manoel Lira.

Escola Paroquial Luiz Augusto (Bairro São João) – será polo para as Escolas Municipais Santa Luzia e Salomão Cardoso e o CEI Nossa Senhora dos Milagres.

Escola Estadual Girassol de Tempo Integral Sancha Ferreira ( Setor Tenorte) – será polo para as Escolas Municipais Casemiro Ferreira e Vereador Raimundo Falcão Coelho.

Escolas da Zona Rural – A entrega será feita obedecendo a rota dos ônibus escolares, nos pontos onde os alunos embarcam. As escolas da Zona Rural são: Escola do Campo; Fazenda Bavisa; Cândido Barreira Guimarães; Duque de Caxias; José Dias Carneiro; José Nogueira; José Ribeiro dos Santos; Núcleo de Produção Agrícola; Pedro Segundo da Rocha; Santa Rosa; Santa Tereza; Santos Dumont; União; e Divino Pai Eterno.

 

Continue Lendo

Notícias