Conecte-se conosco

Estado

Hospital Geral de Palmas recebe doação de laringes eletrônicas

Projeto facilita reabilitação de pacientes que passaram por cirurgia de remoção total ou parcial da laringe; ação humaniza o tratamento do câncer de cabeça e pesçoco

Publicados

em

A laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata

O serviço de cabeça e pescoço do Hospital Geral de Palmas (HGP) recebeu a doação de cinco laringes eletrônicas, nessa quinta-feira, 4, por meio do projeto Rede+ Voz, da Associação do Câncer de Boca e Garganta (ACBG), com o intuito de amparar e facilitar a reabilitação dos pacientes laringectomizados, cirurgia para que seja removida total ou parte da laringe.

O médico do HGP, Daniel Hiramatsu, explica que algumas pessoas precisam passar pela laringectomia total, que é a remoção de toda a laringe, quando acometidas pelo câncer de cabeça e pescoço, e uma de suas consequências é a perda da fala, contudo é possível viabilizar novamente a comunicação oral por meio da utilização da laringe eletrônica.

O gestor de projetos da ACBG, Eduardo Knoll, explica sobre o projeto Rede+Voz. “É um projeto que tenta formar um controle social do câncer de cabeça e pescoço e fazer um retrato de como está a situação no Brasil. Nós estamos visitando os principais hospitais e os centros de referência de câncer de cabeça e pescoço, pelo menos um em cada estado do Brasil, para conhecer pacientes, profissionais e o que o serviço oferece aos pacientes, na intenção de conhecer qual a situação real da doença no país”.

Ele esclarece ainda como foram viabilizadas as doações da laringe eletrônica. “O projeto Laringe eletrônica uma voz possível é uma parceria da ACBG com a Amucc [Associação Brasileira dos Portadores de Câncer], viabilizado pelo Pronon [Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica], que é uma lei de incentivo fiscal voltado para a oncologia. Nós cadastramos um projeto no Pronon, e se aprovado, a gente pode captar verbas de imposto de renda de outras empresas. Por meio dessa captação, conseguimos comprar 350 laringes eletrônicas, possibilitando a reabilitação de 350 pacientes laringectomizados em situação de vulnerabilidade social”.

A fonoaudióloga e educadora clínica, Andrea Maduro, da ATOS Medical, falou sobre a reabilitação vocal dos paciente que sofreram laringectomização total e os produtos disponíveis. “Não é só a prótese traqueoesofágica que possibilita o paciente falar novamente. Nós temos todos os acessórios para uma reabilitação pulmonar, por exemplo, porque o paciente quando tira a laringe, ele perde a função do nariz. O ar entra muito seco e frio, e o paciente tem muita secreção, então nós temos os acessórios que facilitam o paciente a ter uma vida normal após uma cirurgia tão mutiladora, porque, além de mutilar a voz, ele perde todas as funções do nariz”.

Daiane Francisco, esposa do paciente João Gomes Gontijo, de 63 anos, que passou pela laringectomização total, relatou a situação do seu marido. “Ele foi diagnosticado com câncer de laringe, passou pela primeira cirurgia e ficou três meses sem a doença. Quando voltou, teve que tirar toda a laringe. Há dois meses, ele passou por essa cirurgia, e a possibilidade dele voltar a se comunicar com esse aparelho foi motivo de muita emoção e alegria pra todos nós”.

Laringe eletrônica

São aparelhos pequenos, leves e portáteis e funcionam a base de pilhas ou baterias de 9V. Possui uma membrana na parte superior que vibra e, quando encostada no pescoço ou nas bochechas, gera um som que é transformado em fala por meio da articulação dos lábios e da língua. Um dos benefícios do uso da laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata, ajudando na reintegração social e profissional.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Estado

Primeira feira de touros e cavalos tem resultado positivo e marca registro no calendário do Estado

Publicados

em

O resultado da primeira Feira de Exposição de Touros e Cavalos de Alto Padrão e Geneticamente Melhorados (Pecshow 2019), realizada de 25 a 27 de outubro, superou as expectativas nas comercializações e na participação de expositores, sendo inserida no calendário de evento agropecuário do Tocantins. A expectativa é que a feira seja realizada todos os anos, na segunda quinzena de outubro.

A Pecshow ocorreu no Centro Agrotecnológico de Palmas, saída para Porto Nacional, e é uma uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e parceiros

Para o médico veterinário da Diretoria de Política para Agronegócio e Pecuária da Seagro, Thyago Tulio, o evento proporcionou a difusão de conhecimento e de novas tecnologias ao homem do campo. “A Secretaria da Agricultura encerrou a Pecshow 2019 com boas expectativas para realizar as próximas feiras que virão, pois acreditamos neste segmento agropecuário na intenção de difundir as tecnologias genéticas na pecuária de corte, leite e equinos”.

O médico veterinário disse ainda que a comercialização bovina alcançou 30% de vendas, sendo elas diretas (realizadas diretamente no evento) e indiretas (realizadas pós-evento). Quanto aos cavalos a percentagem de vendas alcançou 17%, o que demonstrou uma nova alternativa de comercialização para os expositores de equinos.

Segundo o gerente da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), Luiz Fernando Salim, é um evento que, inicialmente, já marcou para os pecuaristas, e já está inserido no calendário agropecuário do Estado. “Tenho certeza que vai emplacar, pois o Tocantins é genuinamente voltado ao setor agropecuário e, esse espaço será ideal para apresentarmos aos pecuaristas o potencial genético do rebanho bovino e equino que o Estado oferece”, ressaltou.

Feira

A Pecshow expôs animais de alto potencial genético e com grande valor comercial, sendo eles das espécies equina e bovina. Ao todo foram ofertados 99 animais bovinos, entre eles Senepol, Tabapuã e Nelore; e 12 equinos da raça Mangalarga Marchador.

Pecuaristas

O pecuarista Glauber Kliemann, um dos expositores da feira, falou sobre a sua participação na primeira Pecshow voltada, exclusivamente, para vendas de touros e cavalos de alto padrão. “A abertura de mais esta vitrine é importante para mostrarmos nossos animais. Como foi a primeira feira, superou a expectativa de negociações e apresentação dos animais aos produtores que primam por animais altamente reprodutivos”, pontuou.

Para o criador de cavalo Manga Larga Marchador, Marcelo Honorato, do município de Barrolândia, a feira mostrou que promete crescer nos próximos anos. “Tudo tem seu começo e, tivemos a oportunidade de mostrar nossos produtos, conseguimos muitos contatos com produtores, o que posteriormente poderá gerar bons negócios, em 2020 esperamos que seja ainda melhor,” enfatizou.

Parceria

A feira é uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura e os parceiros Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Ferpam, New Holland, Polli, Astre, Syngenta, OuroFino, Tortuga, SIM, ACCMMTO e PRÓ-Genética.

Continue Lendo

Estado

Proerd de Gurupi certifica 100 alunos em aldeia indígena na Ilha do Bananal

A formatura aconteceu na Aldeia Boa Esperança, com a presença da Banda de Música da Polícia Militar que animou o evento. Ao todo foram certificados 41 estudantes do Ensino Fundamental e 59 pais.

Publicados

em

Na tarde da sexta-feira, 11, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd) do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM) certificou 100 indígenas da aldeia Boa Esperança, localizada na Ilha do Bananal, pertencente ao município de Formoso do Araguaia – TO.

As aulas ministradas na Escola Indígena Watakure atenderam 41 estudantes do 5º e 7º ano do Ensino Fundamental. No intuito de preparar os pais para lidar com as questões das drogas, incentivar a fortalecer a autoestima dos filhos e proteger as crianças e adolescentes da violência, o Proerd/Pais certificou 59 genitores.

A equipe do Proerd, coordenada pela tenente Shirley Rocha Albino, auxiliada pelos sargentos André Vagner Aguiar da Silva, André Américo da Silva e Carlos Alberto Teles teve total apoio do cacique da aldeia, Micael Javaé. As aulas foram ministradas durante duas semanas e nesse período os alunos das etnias Javaés e Karajás foram beneficiados com o programa da Polícia Militar (PM).

A língua oficial da aldeia é o iny rubé, por isso os instrutores do Proerd eram acompanhados em sala de aula por professores que faziam a tradução nos momentos que havia necessidade de repassar as informações de acordo com a língua nativa.

Após início da solenidade, o cacique acompanhado da tribo indígena fez uma apresentação cultural de boas-vindas e demostrou a importância dos índios preservarem as suas tradições. Micael agradeceu a presença da Polícia Militar na aldeia, demostrou satisfação pela parceria e ainda acrescentou: “somos uma comunidade que temos pessoas de bom coração, que tem vontade de aprender e buscar coisas novas”.

Durante a formatura foram doados três kits esportivos, patrocinados pelo Poder Judiciário da Comarca de Formoso do Araguaia. Em cada um dos kits havia uma bola de futebol society, um apito profissional, uma luva de goleiro, 11 coletes reserva, uma bomba e 11 uniformes com short e camiseta personalizados. Os materiais entregues é uma maneira de incentivar os índios a busca de práticas de vida saudável na aldeia.

Ainda no evento, as crianças que se destacaram em primeiro, segundo e terceiro lugar numa redação proposta pela equipe do Proerd, foram homenageadas com brindes.

O chefe do estado-maior da PM, coronel Márcio Antônio Barbosa de Mendonça disse que o projeto acontece pela segunda vez totalmente dentro de uma aldeia indígena e relembrou a primeira edição que aconteceu no ano passado na aldeia Canuanã. O coronel elogiou o cacique pela atitude em buscar conhecimento e novas oportunidades para a tribo e afirmou que o Proerd, presente nas comunidades indígenas, terá continuidade em outras locais do Estado.

Presentes

O chefe do estado-maior da Polícia Militar do Tocantins, coronel Márcio Antônio Barbosa de Mendonça; o subsecretário-chefe da Casa Militar, coronel Álon Nery Amaral; a coordenadora Estadual do Proerd, coronel Alaídes Pereira Machado; o comandante do 4º Batalhão de Policia Militar, tenente-coronel Jaime Porfírio de Souza; o cacique da aldeia Boa Esperança, Micael Javaé; o presidente da câmara de Formoso do Araguaia, Robson Haritianã; a diretora regional de ensino de Gurupi, Claudia Moreira dos Santos e a Banda de Música da PM.

Continue Lendo

Estado

Governo realiza mutirão no HGP e atende 20 pacientes com cirurgias do aparelho digestivo

Ação ocorreu na noite desse sábado, 12, com procedimentos cirúrgicos em pacientes regulados pelo Sistema Único de Saúde

Publicados

em

Mutirão de Cirurgia do Aparelho Digestivo conhecido como “Corujão da CAD”, beneficiou 20 pacientes

Pacientes, devidamente regulados pela Central de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que aguardavam por procedimentos eletivos foram atendidos no Mutirão de Cirurgia do Aparelho Digestivo conhecido como Corujão da CAD, realizado na noite desse sábado, 12, no Hospital Geral de Palmas (HGP). A ação faz parte da estratégia do Opera Tocantins, criada pela Lei nº 3.369/2018, a qual busca dar agilidade na realização das cirurgias eletivas em todo o Estado.

Foram realizadas  20 cirurgias  de colecistectomias (retirada cirúrgica da vesícula biliar), videolaparoscópicas (feitas por meio de pequenas incisões no corpo), hérnias inguinais, hérnias umbilicais, hérnias epigástricas e hérnias femorais.

Uma equipe composta por 26 profissionais trabalharam dentro do PAGH-Cirúrgico, respaldado pelo Opera Tocantins, que contempla os trabalhadores que atuem na realização do procedimento cirúrgico eletivo em horários que não coincidam com o cumprimento de sua jornada ordinária ou extraordinária, podendo o profissional atuar aos sábados, domingos, feriados, dias de ponto facultativo e durante a semana inclusive em período noturno e madrugada.

Segundo o diretor geral do HGP, Leonardo Toledo, a ideia é que o Corujão da CAD seja realizado duas vezes ao mês. “Nesta edição de outubro envolverá diversos profissionais qualificados na assistência ao paciente. A equipe conta com cinco cirurgiões, quatro residentes, dois enfermeiros, quatro instrumentadores cirúrgicos; além de equipe de apoio incluindo recepção, limpeza, maqueiros, entre outros. Nosso objetivo principal é atender o maior número de pacientes em um curto período de tempo”, destacou.

De acordo com o cirurgião, coordenador do Serviço de Cirurgia do Aparelho Digestivo do HGP, Itágores Hoffman, a ação conta com uma equipe especializada que busca diminuir a demanda de pacientes que aguardam por este tipo de cirurgia e são usados equipamentos de laparoscopia, que causam menos incômodo no pós-operatório e garantem uma recuperação mais rápida ao paciente.

 

Continue Lendo

Notícias