Conecte-se conosco

Estado

Hospital Geral de Palmas recebe doação de laringes eletrônicas

Projeto facilita reabilitação de pacientes que passaram por cirurgia de remoção total ou parcial da laringe; ação humaniza o tratamento do câncer de cabeça e pesçoco

Publicados

em

A laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata

O serviço de cabeça e pescoço do Hospital Geral de Palmas (HGP) recebeu a doação de cinco laringes eletrônicas, nessa quinta-feira, 4, por meio do projeto Rede+ Voz, da Associação do Câncer de Boca e Garganta (ACBG), com o intuito de amparar e facilitar a reabilitação dos pacientes laringectomizados, cirurgia para que seja removida total ou parte da laringe.

O médico do HGP, Daniel Hiramatsu, explica que algumas pessoas precisam passar pela laringectomia total, que é a remoção de toda a laringe, quando acometidas pelo câncer de cabeça e pescoço, e uma de suas consequências é a perda da fala, contudo é possível viabilizar novamente a comunicação oral por meio da utilização da laringe eletrônica.

O gestor de projetos da ACBG, Eduardo Knoll, explica sobre o projeto Rede+Voz. “É um projeto que tenta formar um controle social do câncer de cabeça e pescoço e fazer um retrato de como está a situação no Brasil. Nós estamos visitando os principais hospitais e os centros de referência de câncer de cabeça e pescoço, pelo menos um em cada estado do Brasil, para conhecer pacientes, profissionais e o que o serviço oferece aos pacientes, na intenção de conhecer qual a situação real da doença no país”.

Ele esclarece ainda como foram viabilizadas as doações da laringe eletrônica. “O projeto Laringe eletrônica uma voz possível é uma parceria da ACBG com a Amucc [Associação Brasileira dos Portadores de Câncer], viabilizado pelo Pronon [Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica], que é uma lei de incentivo fiscal voltado para a oncologia. Nós cadastramos um projeto no Pronon, e se aprovado, a gente pode captar verbas de imposto de renda de outras empresas. Por meio dessa captação, conseguimos comprar 350 laringes eletrônicas, possibilitando a reabilitação de 350 pacientes laringectomizados em situação de vulnerabilidade social”.

A fonoaudióloga e educadora clínica, Andrea Maduro, da ATOS Medical, falou sobre a reabilitação vocal dos paciente que sofreram laringectomização total e os produtos disponíveis. “Não é só a prótese traqueoesofágica que possibilita o paciente falar novamente. Nós temos todos os acessórios para uma reabilitação pulmonar, por exemplo, porque o paciente quando tira a laringe, ele perde a função do nariz. O ar entra muito seco e frio, e o paciente tem muita secreção, então nós temos os acessórios que facilitam o paciente a ter uma vida normal após uma cirurgia tão mutiladora, porque, além de mutilar a voz, ele perde todas as funções do nariz”.

Daiane Francisco, esposa do paciente João Gomes Gontijo, de 63 anos, que passou pela laringectomização total, relatou a situação do seu marido. “Ele foi diagnosticado com câncer de laringe, passou pela primeira cirurgia e ficou três meses sem a doença. Quando voltou, teve que tirar toda a laringe. Há dois meses, ele passou por essa cirurgia, e a possibilidade dele voltar a se comunicar com esse aparelho foi motivo de muita emoção e alegria pra todos nós”.

Laringe eletrônica

São aparelhos pequenos, leves e portáteis e funcionam a base de pilhas ou baterias de 9V. Possui uma membrana na parte superior que vibra e, quando encostada no pescoço ou nas bochechas, gera um som que é transformado em fala por meio da articulação dos lábios e da língua. Um dos benefícios do uso da laringe eletrônica é a recapacitação da comunicação de forma mais rápida e barata, ajudando na reintegração social e profissional.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Recadastramento obrigatório de propriedades rurais vai até 31 de julho

Toda propriedade localizada no estado do Tocantins deverá ter cadastro atualizado no serviço oficial e deverá realizá-lo no município de origem do imóvel

Publicados

em

O recadastramento, que termina dia 31 de julho, deve abranger todas as propriedades rurais existentes no Estado

O agropecuarista tocantinense precisa ficar atento ao prazo final para o recadastramento obrigatório de imóveis rurais, que encerra no dia 31 de julho. A medida faz parte das exigências previstas no Plano Estratégico de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa). Além disso, servirá para a padronização no Sistema Informatizado de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Sidato). Quem deixar de recadastrar poderá ter a ficha suspensa até que regularize a situação.

Vale ressaltar que toda e qualquer propriedade rural existente no Estado deverá, obrigatoriamente, ser recadastrada se já existir no Sistema da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) ou cadastrada para novo registro, mesmo que tenham ou não criação de animais ou produção agrícola. “Para conseguimos avançar no status sanitário livre da febre aftosa sem vacinação é preciso cumprir as metas estabelecidas, contamos com a colaboração e a conscientização de todos”, disse o presidente da instituição, Alberto Mendes da Rocha.

De acordo com o diretor de defesa, sanidade e inspeção animal, Márcio Rezende, a expectativa é de cerca de 100 mil agropecuaristas façam o recadastramento e/ou solicitem novo cadastro. “Essa medida vem sendo orientada desde o mês de janeiro de 2018, mas infelizmente apenas 60% procuraram a Agência até o momento para regularização”, relata.

Recadastramento

Para fazer o recadastramento, o proprietário ou posseiro do imóvel precisa procurar uma das unidades da Adapec onde se localiza a propriedade rural, munido da documentação pessoal e da propriedade. A documentação necessária e as informações estão disponíveis nos escritórios da Agência ou pelo site da Adapec, no link área animal/cadastro de propriedades e também na Instrução Normativa nº 08.

Novo cadastro

Se o produtor rural for abrir novo cadastro de propriedade para a finalidade específica de exploração pecuária deverá, além de outras documentações, levar a Inscrição Estadual. As propriedades que não irão fazer exploração pecuária devem também realizar o cadastro, porém, não há a necessidade da apresentação desse último documento. Nesse caso, a Adapec fará uma visita in loco para checar os dados apresentados e coletar as coordenadas geográficas.

Para obter mais informações, o produtor também pode ligar gratuitamente no 0800 63 11 22.

 

Continue Lendo

Estado

Juiz absolve usuário de drogas que tentou furtar estabelecimento por entender sua condição de vulnerabilidade social

Publicados

em

Um usuário de drogas que tentou realizar um crime foi absolvido pelo juiz Antonio Dantas de Oliveira Junior nesta quarta-feira (17/7). Segundo a sentença da 2ª Vara Criminal e Execuções Penais de Araguaína, o acusado teria sido preso, logo após cair do telhado do estabelecimento que tentava praticar furto. O magistrado concluiu que a conduta do acusado não se revestiu de periculosidade suficiente para justificar a incidência da norma penal.

Segundo a sentença, o denunciado já havia cometido outro crime doloso, mas a tentativa do crime ocorreu em dezembro de 2018, ocasião em que o acusado, sem praticar qualquer tipo de violência, tentou furtar dois monitores de computadores de um estabelecimento comercial da cidade. Policiais militares abordaram o acusado no interior do estabelecimento e o proprietário não teve prejuízo algum.

O juiz citou ainda um habeas corpus julgado pelo Supremo Tribunal Federal em 2014, que menciona a criminalização da pobreza, a superlotação dos presídios, além da promoção de situações indicativas para o aumento da vulnerabilidade humana e social. O entendimento do HC é que a reincidência não impede o reconhecimento isoladamente de tal lei. Nestes casos, o que deve prevalecer é que todos os fatos dos crimes sejam observados.

Conforme Antonio Dantas, a pena privativa de liberdade aplicada à tentativa de furto cometida por uma pessoa que esteja viciada em droga, portanto em vulnerabilidade social, não é adequada para a prevenção de novos crimes.  E lembrou que os índices de reincidência nestes casos são alarmantes. “É extremamente gravosa na perspectiva repreensiva e ocasiona mais malefícios que benefícios, já que ‘pequenos’ delinquentes tornam-se ‘monstros do crime’ face à desestrutura do sistema prisional e o aumento das facções criminosas”, ressaltou.

Ao julgar a ação improcedente e absolver o acusado, o juiz concluiu que, embora a conduta do réu no âmbito moral fosse totalmente censurável, restou clara a sua irrelevância penal diante da inexistência de reflexos maiores, sendo que “sua incidência gera a atipicidade do fato e afasta a possibilidade de repressão estatal”.

Confira aqui a sentença.

Continue Lendo

Estado

Agência de Trânsito e Obras alerta motoristas para maior atenção ao transitar pelas rodovias em obras 

Trechos onde ocorrem intervenções nas pistas são devidamente sinalizados para a segurança dos usuários

Publicados

em

A Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) alerta os motoristas que vão viajar nesse período de férias, especialmente para as praias tocantinenses, para que fiquem atentos nas rodovias com trechos em obras. São os trechos que exigem maior cuidado dos condutores.

A Ageto divulga a lista das rodovias que se encontram em obras, além de cinco dicas para os motoristas que pretendem trafegar em uma rodovia em obras.

Os locais onde ocorrem intervenções nas pistas são devidamente sinalizados para a segurança dos usuários, entretanto, exigem atenção redobrada dos motoristas. Pois, para a execução de melhorias são necessárias várias intervenções como desvios, redução da velocidade e estreitamento de pista.

Quando passar por um trecho em obras, o motorista deve se atentar para as seguintes dicas: Reduzir a velocidade ao se aproximar do trecho em obras; Manter a distância de segurança do veículo à frente; Não parar sobre a pista para observar as equipes em serviço, pois a atitude aumenta o risco de acidentes, principalmente de colisão traseira; Nos trechos onde há movimentação de máquinas e trabalhadores, o motorista deve aumentar a atenção ao fluxo; Respeitar a velocidade do trecho e a sinalização vigente e manter distância segura do veículo que vai à frente.

“As empresas contratadas e as equipes da Ageto estão trabalhando, de forma simultânea, em todas as regiões do Tocantins e as ações atingem tanto as rodovias pavimentadas, quanto as não pavimentadas”, afirma o presidente da Ageto, Virgílio Azevedo.

Confira a lista completa dos trechos em obras nas rodovias estaduais tocantinenses nesse período:

Reconstrução de asfalto no trecho da rodovia TO-255, que liga Porto Nacional a Monte do Carmo.

Reconstrução de asfalto no trecho da TO-070, entre Porto Nacional (Pinheirópolis) e Brejinho de Nazaré.

Reconstrução de asfalto no trecho Dianópolis a Novo Jardim.

Reconstrução de asfalto no trecho Novo Jardim à divisa TO-GO.

Reconstrução de asfalto no trecho Entroncamento TO-040 a Ponte Alta do Bom Jesus.

Reconstrução de asfalto no trecho Ponte Alta do Bom Jesus ao Entroncamento da BR-242 (Taguatinga).

Reconstrução de asfalto no trecho Taguatinga a Aurora.

Reconstrução de asfalto no trecho Aurora a Lavandeira.

Reconstrução de asfalto no trecho Lavandeira a Combinado.

Reconstrução de asfalto no trecho Combinado a Novo Alegre.

Reconstrução de asfalto no trecho Novo Alegre à divisa TO-GO.

Reconstrução de asfalto no trecho Entroncamento da TO-110 que dá acesso ao balneário turístico dos Azuis, em Aurora do Tocantins.

Obras de alteração no traçado da TO- 387, conhecido como “apertar da hora” ou curva da morte, em Palmeirópolis.

Pavimentação da TO-141 de Palmeirópolis até a divisa com Goiás.

Operação tapa-buracos e serviços de limpeza do trecho da TO- 010, entre Bom Jesus e Santa Maria.

Operação tapa-buracos e serviços de limpeza do trecho da TO-070, entre Dueré e Formoso do Araguaia.

Operação tapa-buracos da TO-181, entre a BR 242 e a Cobrape.

Operação tapa-buracos da TO-445, entre Lajeado e Miracema.

 

Continue Lendo

Notícias