Conecte-se conosco

Esporte

Goleira do Tocantins que sonhava em jogar na seleção falece vítima de leucemia

Kleane Alves chegou a ser convocada para um período de treinamento na Granja Comary, mas poucos dias depois descobriu a doença

Publicados

em

Kleane faleceu no dia 9 de dezembro, aos 20 anos, em decorrência da leucemia

A morte de uma jovem goleira de Araguaína, no Norte do Tocantins, foi destaque nesta quinta-feira, 3, em obituário do jornal de circulação nacional Folha de São Paulo, que homenageou a atleta. Nascida em 1998, Kleane Alves tinha apenas 20 anos e seu maior sonho era jogar na seleção brasileira de futebol feminino.

Na adolescência, a atleta se mudou do Tocantins para Goiânia (GO), para morar com o pai. Na capital goiana, com seu talento, ela conquistou uma vaga no Aliança, clube local, como goleira. Sua principal referência na posição era Bárbara, destaque da seleção nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Kleane teve o maior reconhecimento de seu trabalho na metade de 2018, quando foi convocada para um período de treinos na seleção brasileira Sub-20. Mas após poucos dias de treinamento, a jovem sofreu um desmaio e foi submetida a exames médicos, que apontaram uma leucemia.

A jovem goleira fez o tratamento confiante na cura e em Deus, sempre forte e bem-humorada. Ela chegou a conseguir uma doação de medula óssea, mas o doador desistiu do transplante. Passou seus últimos dias no hospital recebendo o carinho de amigos, familiares e da equipe de enfermagem que dela cuidava.

Kleane faleceu no dia 9 de dezembro, aos 20 anos, em decorrência da leucemia. Deixou saudades em sua esposa, Hewellin, em sua mãe Kleire, no pai Leonizar, na irmã Juliana, em inúmeros admiradores de seu trabalho e em amigos que nunca a esquecerão. Nas redes sociais, várias postagens estão sendo publicadas e compartilhadas, manifestando profundo pesar pela partida precoce da atleta.

 

Fonte: T1 Notícias

Esporte

Governo do Estado irá economizar cerca de 20% em alimentação de adolescentes do Sistema Socioeducativo

Nova empresa fornecerá as seis refeições diárias das oito unidades socioeducativas por um valor médio de R$ R$ 4,84 por refeição

Publicados

em

Nova empresa fornecerá seis refeições diárias para adolescentes e servidores plantonistas das unidades socioeducativas a R$ R$ 4,84 por refeição

O Governo do Estado do Tocantins, por meio da Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju), irá economizar cerca de 20% em valor médio de refeição em contrato de fornecimento de alimentação para o Sistema Socioeducativo do Estado. A nova empresa fornecerá seis refeições diárias para adolescentes e servidores plantonistas das oito unidades socioeducativas do Tocantins, com valor médio de R$ R$ 4,84 por refeição.

A empresa NutriBrasil – EPP, que venceu o processo licitatório na modalidade de Pregão Eletrônico Compras Net nº 127/2018, procedimento iniciado em 29 de janeiro de 2018, irá fornecer seis refeições diárias, totalizando R$ 29,06 por dia de um socioeducando, resultando numa economia de 19,73% em relação a empresa Vogue – Alimentação e Nutrição LTDA que mantinha o valor médio por refeição de R$ 6,03.

O secretário da Seciju, Heber Fidelis, explica que o montante de R$ 4.205.563,20 é o valor estimado do contrato a ser pago e dependerá da quantidade de refeições fornecidas pela empresa que varia de acordo com o quantitativo de adolescentes internados. “A empresa fornecerá seis refeições por dia, com estudo nutricional, ofertando aos adolescentes os suprimentos necessários para manutenção e crescimento do corpo, de acordo com padrões estabelecidos nacionalmente”, disse.

Heber Fidelis ressaltou que o contrato de licitação exige que a empresa emita Nota Fiscal mensal, anexando relatório de registro diário das refeições, onde deverá estar descrito o quantitativo de refeições fornecidas e valor por unidade, e que a execução dos serviços será fiscalizada por servidores devidamente designados para esta finalidade. A empresa assumirá o fornecimento das refeições para o Sistema Socioeducativo neste sábado,16.

 

 

Continue Lendo

Esporte

Metrologia Estadual verifica balanças comerciais e dá dicas a varejistas

Publicados

em

Com as ações para 2019 já pactuadas junto ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), a Agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Estado do Tocantins (AEM-TO), órgão delegado no Tocantins, inicia o processo de Verificação das Balanças Comerciais, vistoriando o dispositivo em farmácias de manipulação, supermercados, açougues e restaurantes, lanchonetes, sorveterias e demais empresas que utilizam do equipamento para medição de produtos. A verificação de balança é um processo normal para o dia a dia dos varejistas que contam com produtos vendidos a peso em suas lojas.
Toda balança utilizada para atividade econômica deve, obrigatoriamente, ser de modelo aprovado pelo Inmetro, em conformidade com a Portaria 236/94, e ser verificada periodicamente pela Metrologia Estadual. Isso significa também que o equipamento não pode ser pirata ou de uso doméstico, cujos modelos não são apropriados para uso comercial.
Conferência de peso
A verificação das balanças faz parte das ações rotineiras da área de instrumentos, realizada periodicamente pelos agentes de fiscalização da AEM, e tem por objetivo verificar se as informações do equipamento estão corretas, bem como averiguar o Erro Máximo Admissível (EMA) e os selos que devem estar presentes em todos os equipamentos.
De acordo com o técnico de instrumentos da Metrologia Estadual, Luís Fernando da Silva Lima “toda balança comercial tem adesivo de identificação que informa se o equipamento está aferido e adequado para o uso”.
São três tipos de Selo de Identificação: Inicial, que é o adesivo que vem com a balança nova quando ela é adquirida e que permanece até a primeira visita técnica metrológica; Selo de Verificação Subsequente, que é o adesivo que indica que o equipamento foi verificado pela equipe delegada do Inmetro e que está em conformidade para uso até a próxima visita; Selo de Verificação de Reparação que é o adesivo que indica que o equipamento foi reparado na oficina de manutenção permissionária acreditada pelo Inmetro e que haverá uma nova visita para verificação pós-reparo.
Segurança para o varejista e para o consumidor
A balança aferida nos ensaios metrológicos é uma segurança para quem vende e quem compra o produto.  O Inmetro atua visando a concorrência leal e assegurando a legitimidade das relações entre empresas e consumidores. “Nosso trabalho assegura que as transações comerciais são realizadas sem que nenhuma das partes envolvidas tenha prejuízo em uma compra ou venda de algo medido pelo peso”, pontua o presidente da AEM, Rérison Antonio Castro Leite. Além disso, o equipamento verificado e aprovado atesta que a empresa está atuando em conformidade com a legislação metrológica, assegurando que prioriza também o respeito ao cliente.
 O consumidor deve ficar atento ao selo Inmetro e à portaria de aprovação do modelo do equipamento. A balança legal, adquirida no comércio formal, consta com uma placa na lateral com a etiqueta que tem a Portaria de Aprovação de Modelo (PAM). E, quem quiser ver o lacre de cor amarela, que indica que a balança está verificada e própria para uso, pode observar logo abaixo da bandeja do equipamento. Vale ressaltar que o equipamento sem lacre tem a grande possibilidade de ser pirata e de não estar com os dados legais, podendo inclusive ludibriar o consumidor.
Equipamento Pirata
Infelizmente, ainda existem comerciantes que fazem uso de Balanças Comerciais piratas, ou seja, equipamentos não condizentes com o uso e que não são aprovados pelo Inmetro. No caso da vistoria da Metrologia Estadual identificar um equipamento impróprio, o mesmo é objeto de apreensão e é aplicada sanção administrativa à empresa.
Vistorias em Palmas
Durante o mês de janeiro serão realizadas cerca de 157 ações de vistorias em instrumentos de medir – balanças comerciais. Os ensaios metrológicos são realizados no próprio estabelecimento comercial, verificados com os padrões de massa devidamente calibrados. As balanças são verificadas e certificadas quando aprovadas para o uso. São realizados testes de nivelamento, repetibilidade, pesagem de canto e carga máxima.
Se algum equipamento estiver com irregularidades, como, por exemplo, modificar o peso visando apropriação indébita para o comerciante, o equipamento será lacrado na cor vermelha e será aplicada sanção à empresa, por enganar o consumidor.
Após o erro identificado, o equipamento deverá ser reparado em oficina de manutenção permissionária credenciada e acreditada pelo Inmetro para posterior visita e verificação da balança junto à equipe técnica da AEM.
A validade da verificação deve ser determinada em anos, após a expiração do ano calendário no qual o instrumento foi verificado pela última vez.
Dicas para comerciantes
• O Inmetro recomenda que o comerciante jamais utilize equipamento pirata e sem a Portaria de Aprovação de Modelo.
• Equipamento sem selo e sem lacre é passível de sanção e de multa.
• Balança é um equipamento de medição e de precisão. A manutenção corretiva ou preventiva só deve ser realizada em Oficinas Permissionárias Acreditadas.
• Mantenha o equipamento em local nivelado, com superfície plana e forte para suportar o peso colocado.
• Instale a balança em local iluminado e de livre acesso ao consumidor, em plataformas sólidas, niveladas e sem calço.
• Não instale ventilador de teto direcionado para a balança, pois este pode influenciar nas pesagens.
• Na dúvida se o equipamento está apropriado, solicite a visita técnica da Metrologia Estadual.
Continue Lendo

Cidades

Tocantins fatura 12 medalhas e quebra recorde no primeiro dia das Paralimpíadas Escolares 2018

No primeiro dia de competições, os tocantinenses faturaram 12 medalhas, sendo seis ouros, três pratas e três bronzes

Publicados

em

Os atletas do Tocantins começaram bem nas Paralimpíadas Escolares 2018. No primeiro dia de competições, os tocantinenses mostraram as habilidades e faturaram 12 medalhas, sendo seis ouros, três pratas e três bronzes. O evento acontece em São Paulo até esta quinta-feira, 22. Ao todo, 16 alunos do Tocantins estão competindo nas modalidades de atletismo, tênis de mesa e natação.

                                                             Irla Maria quebrou o recorde da prova do arremesso de peso

“É um resultado excelente. Além de termos 10 medalhistas, tivemos também um grande destaque com a Irla Maria, que foi ouro e ainda quebrou o recorde da prova do arremesso de peso, alcançando a marca de 3,83 m. Temos dois dias de disputas pela frente e esperamos conquistar outras vitórias”, relatou a chefe da delegação do Estado, Keilla Cristine Gonçalves.

Para Irla, o feito de superar o recorde anterior de 2,84 é resultado da muita dedicação. “Precisa treinar bastante pra conseguir fazer melhor. E muito legal quando a gente se esforça e consegue o primeiro lugar, ainda mais com recorde”, comemorou a atleta de Goiatins.

                                                                          Bárbara Cruz foi destaque com duas medalhas de ouro

Quem também se destacou foi a estudante Bárbara Cruz com uma dobradinha de ouro. A paratleta de Araguaína foi a melhor da categoria sub 17 em duas provas de atletismo: arremesso de peso e 100 metros.

Outro tocantinense que esteve no topo do pódio foi Luiz Fernando Pereira, de Palmas, ouro no lançamento de dardo. O porta-bandeira do Estado havia antecipado, na cerimônia de abertura, que conquistaria a medalha dourada. O Tocantins faturou mais dois ouros com Vitória Reis, da Capital, no arremesso de peso, e Alan César Souza, de Miranorte, no arremesso de pelota.

                                                       Bárbara na prova do arremesso de peso que rendeu a medalha de ouro

Com muita garra, Kauany da Silva Alves, de Araguanã, garantiu a prata no arremesso de peso para deficientes visuais. A última prata do dia veio com Sâmyla Vitória, na natação. A jovem palmense atingiu o segundo melhor tempo na prova dos 50 metros costas. “Estar aqui já é uma conquista, mas com essa medalha eu já sonhava há muito tempo. Vou me empenhar mais pra tentar o ouro nas outras provas”, planejou.

Carlos Henrique, de Paraíso, também fez bonito na competição com duas medalhas: prata no arremesso de pelota e bronze no salto a distância. Os outros dois bronzes do Tocantins foram conquistados pelos paratletas Guilherme Almeida e Gustavo Henrique Ferreira no tênis de mesa.

 

 

Continue Lendo