Conecte-se conosco

Geral

Energisa registra mais de 7 mil furtos de energia no ano de 2018 em todo o Tocantins

O total da energia furtada no Estado é suficiente para atender por um ano o consumo de 35.927 casas.

Publicados

em

Energisa fechou o ano passado com 46.794 inspeções feitas em campo

Manipular o medidor de energia para não pagar a conta de luz é crime e pode provocar acidentes fatais. Os desvios e gambiarras realizados para fazer o furto de energia colocam em risco não só quem faz o ‘gato’, mas também vizinhos de onde estão localizadas. Isso porque a energia utilizada naquele local deixa de passar pelo sistema de proteção podendo causar acidentes a partir de curtos-circuitos e até incêndios. O ‘gato’ também compromete a qualidade do fornecimento de energia, pois rouba a energia dos clientes que pagam a conta regularmente, causando oscilações e até falta de energia.

Em 2018, o total da energia furtada no Estado é suficiente para atender por um ano o consumo de 35.927 casas. Número próximo a soma do consumo de energia dos municípios de Porto Nacional e Paraíso do Tocantins. Foram 7.284 casos identificados e autuados como furto de energia, em todo o Tocantins. O trabalho de fiscalização faz parte da rotina da concessionária e segue acontecendo em todo o Estado e fechou o ano passado com 46.794 inspeções feitas em campo.

Desde que assumiu a concessão da distribuição de energia no Tocantins, em 2015, a Energisa ampliou os investimentos em tecnologias para tornar o combate ao furto de energia mais assertivo e eficiente.  “Contamos com um sistema de inteligência que monitora em tempo real o perfil de consumo de cada cliente. Com a análise dessas informações, conseguimos identificar quais os locais suspeitos de furto de energia e enviar equipes em campo para apurar se há de fato uma fraude”, explica Helier. Em média, são identificadas 700 irregularidades por mês.

Para combater essa prática e prevenir situações de riscos para a população, a Energisa, em parceria com a Polícia Civil, vem intensificando suas ações de fiscalização. Helier Fioravante, gerente de Combate a Perdas da Energisa, destaca a preocupação com a segurança. “A nossa maior prioridade é a segurança dos nossos clientes e combatendo essa prática, estamos cuidando para que não haja acidentes, melhorando a qualidade da energia que ele recebe em casa e ainda, reduz o impacto deste prejuízo na conta de luz nas revisões tarifárias.”

Nos primeiros dias deste ano, o dono de um bar no Centro de Palmas foi preso em flagrante após as equipes da Energisa e da polícia técnica constatarem um ‘gato’ em seu estabelecimento, na quadra 204 Sul.

Crime

O furto de energia e as fraudes no relógio medidor são crimes previstos no Código Penal, no Artigo 155. Além disso, podem causar acidentes fatais, interromper a continuidade do serviço aos consumidores, prejudicar a qualidade da distribuição de energia e impactar diretamente na tarifa a ser paga. “Parte do valor da energia furtada é dividida entre todos os outros clientes. Quando alguém furta energia está prejudicando toda vizinhança”, explica Helier.

Para ajudar a combater esses crimes é só denunciar pelo telefone 0800 721 3330 ou por meio do aplicativo Energisa ON, disponível gratuitamente na loja virtual para as versões IOS, Android e Windows Phone.

Canais de atendimento ao cliente:

• Aplicativo para celular Energisa On (disponível para iOS, Android e Windows Phone)

• www.energisa.com.br

• www.facebook.com/energisa

• Agências de atendimento presencial

• Ouvidoria – 0800 646 1196

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Papa pede a bispos que evitem esconder casos de abusos contra crianças

Publicados

em

O papa Francisco vai pedir aos bispos de todos os países, que participarão do encontro “A proteção dos menores na Igreja”, de 21 a 24 de fevereiro, em Roma, que não tolerem abusos contra crianças. Ele adiantou hoje (16) que “nenhum caso” deve ser “encoberto ou sepultado”. A reação ocorre no momento que vem à tona uma série de denúncias de assédio, abusos e violência sexual cometidos por religiosos contra meninos e meninas.

O porta-voz interino do Vaticano, Alessandro Gisotti, disse que o papa Francisco quer uma ação integrada dos bispos para “prevenir e combater o drama global do abuso infantil “. “Um problema global só pode lidar com uma resposta global”.

“Para o Papa Francisco, é essencial que quando os bispos retornem a seus países, estejam cientes das regras a serem aplicadas e cumpram as medidas necessárias para evitar abusos, proteger as vítimas e que nenhum caso é escondido ou enterrado “, disse o porta-voz.

Nesta quarta-feira (16), o papa recebeu a comissão organizadora do encontro, e transmitiu sua mensagem. No encontro no próximo mês, haverá sessões plenárias, grupos de trabalho, momentos comuns de oração com a escuta de testemunhos, uma liturgia penitencial e uma celebração eucarística final.

Alessandro Gisotti ressaltou que há 15 anos a Igreja Católica Apostólica Romana responde às denúncias que são encaminhadas e envolvem religiosos. Segundo ele, o encontro de fevereiro será “uma jornada dolorosa”.

* Com informações da rádio do Vaticano e da Télam, agência pública de notícias da Argentina

EBC

Continue Lendo

Geral

Fundação Pró-Tocantins oferece curso de Gestão de Qualidade a Comandantes Militares

Publicados

em

Autoridades presentes

A Fundação Pró-Tocantins (FPTO) em parceria com Justiça Militar e apoio da Polícia e Bombeiros Militar deu início hoje, 15, na Academia Policial Militar Tiradentes – APMT, o Curso de Gestão de Qualidade e Processos, que está sendo ministrado para todos os Comandantes da Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros Militar (CBM).

Para dar início as aulas, houve uma solenidade de abertura com a presença dos comandantes gerais da PM, coronel Jaizon Veras Barbosa, do CBM, coronel Reginaldo Leandro da Silva e do Juiz de Direito, presidente dos Conselho da Justiça Militar, José Ribamar Mendes Júnior, um dos incentivadores ao projeto.

Juiz de Direito, ao centro, ao lado dos comandantes gerais do CBM e PM

A iniciativa do curso partiu da Fundação Pró-Tocantins, que através da captação de recursos obteve em 2018, verba da Justiça Militar Estadual advindos dos acordos judiciais para investir em capacitação, aperfeiçoamento e treinamento do militar. O curso terá uma carga horária de 20 horas e abordará temas pertinentes a Gestão de Qualidade, tais como: ferramentas de gerenciamento; sistemas integrados de gestão; métodos específicos de gestão; certificação ISO; bem como fatores críticos de sucesso, entre outros.

De acordo com o professor que vai ministrar o curso, Joe Weider da Silva, Mestre em Administração (pela Beulah Heights University (USA) e especialista em gestão executiva, esta especialização é importante para instituições como a PM e BM, pois foca na otimização da gestão a fazer mais com menos. “ Nós estamos vivendo um momento de escassez de recursos no Brasil, dessa forma, quanto mais a instituição se aperfeiçoa em gestão, planejamento, otimização de processos, mais ela tem condições de fazer mais com menos recursos. A ideia é trabalhar com inteligência para tornar a organização mais eficiente, eficaz e efetiva” explica o professor.

FPTO oferece curso de Gestão de Qualidade a Comandantes Militares

Para o comandante geral da PM, coronel Jaizon Veras Barbosa, o curso é de extrema importância, uma vez que é preciso investir nas áreas administrativas assim como nas operacionais. “Foi muito louvável esta iniciativa de nos orientar, pois temos uma grande responsabilidade na gestão dos recursos que são reportados a nosso Estado, por isso é fundamental este curso”, comenta.

Para o major do CBM José Roberto de Oliveira Mendes Júnior, diretor administrativo financeiro da Fundação Pró-Tocantins, que estava representando a diretora-presidente, coronel Jacilene Lopes de Melo, “o objetivo da instituição em oferecer o curso aos comandantes da PM e CBM foi para que possam desdobrar técnicas e ferramentas de gestão que auxiliem os militares a pensar estrategicamente as atividades de comando, a fim de multiplicar aos demais o que será aprendido. Além de compartilhar conhecimentos que possam facilitar a gestão de pessoas, de processos de trabalho e a mensuração de resultados”.

Continue Lendo

Geral

Pai Presente: CGJUS regulamenta procedimentos relativos à paternidade socioafetiva e biológica

Publicados

em

Por meio do Provimento nº 25, publicado no Diário da Justiça desta terça-feira (15/01), a Corregedoria Geral da Justiça (CGJUS) regulamentou a paternidade e maternidade socioafetiva e outros procedimentos relativos à paternidade biológica, no âmbito do programa Pai Presente, desenvolvido pelo Poder Judiciário do estado do Tocantins.

O Provimento autoriza, no âmbito do Programa Pai Presente, o reconhecimento espontâneo da paternidade socioafetiva da pessoa que se achar registrada sem paternidade biológica estabelecida. Fica também estabelecida a competência dos magistrados responsáveis pela execução do programa para decidir sobre as causas relacionadas às averiguações oficiosas de paternidade nas suas respectivas jurisdições.

Com o objetivo de incentivar o reconhecimento espontâneo de paternidade, conforme prevê o Provimento n° 12/2010, do CNJ, o ato da CGJUS determina ainda que o juiz competente notifique as instituições de ensino que se encontrem sediadas em sua jurisdição para que informem, no prazo máximo de 30 dias, a relação com o nome e o endereço de todos os alunos que não possuem paternidade estabelecida. Após a coleta de dados, a serventia providenciará a notificação da genitora do interessado para comparecer a uma audiência e se manifestar acerca da paternidade biológica ou socioafetiva do interessado.

Havendo interesse do requerente, a serventia tomará as providências para notificação do suposto pai biológico ou socioafetivo, que deverá comparecer à audiência de conciliação. Caso manifestem concordância, o juiz determinará então a lavratura e assinatura do termo de reconhecimento espontâneo de paternidade. Havendo dúvidas acerca da paternidade biológica, será concedido prazo de 60 dias para realização do exame de DNA.

Confira aqui a íntegra do Provimento nº 25.

Continue Lendo