Conecte-se conosco

Cultura

Cantor tocantinense de ‘Eu quero Tchu, eu quero tcha’ grava web série

A expectativa é que o material comece a ser disponibilizado para o público já na próxima semana.

Publicados

em

O cantor e compositor Marcelo Martins- conhecido internacionalmente com hits como Eu quero Tchu, eu quero tcha, Louca Louquinha, Joga o Copo pro Alto, Agora é pra valer e Morango e Mel- gravou em Goiânia uma série de vídeos para o seu canal do YouTube.

A web série, que traz composições inéditas de Marcelo , tem direção e a fotografia assinadas pelo diretor Henrique Contijo- que coleciona trabalhados com artistas como Gusttavo Lima, Maiara e Maraisa, Marilia Mendonça, entre outros. A expectativa é que o material comece a ser disponibilizado para o público já na próxima semana.

No stories do seu Instagram, o cantor publicou vários vídeos dando uma prévia do que seria gravado. O detalhe ficou por conta da presença do Ollaf- um cachorro da raça Shihtzu que é o Pet do cantor.

Nas redes sociais, publicou um vídeo agradecendo aos parceiros. O material pode ser conferido no link https://instagram.com/p/BpdSr1Fndtk/

 

Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Aberto edital para uso público da Galeria Municipal de Artes

Poderão solicitar o uso da galeria, pessoas jurídicas e físicas, residentes ou não em Palmas, as quais pretendem realizar exposições de artes visuais, individuais e coletivas, que caracterizem natureza cultural

Publicados

em

Está aberto até o dia 22 de fevereiro o prazo de inscrição para o Edital de Concessão de Pauta para uso público da Galeria Municipal de Artes do Centro Integrado de Leitura e Arte (Nila), no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho. O período de ocupação de que trata o edital é entre os meses de março a dezembro de 2019 e o prazo de duração de cada exposição será de até 30 dias.

Poderão solicitar o uso da galeria, pessoas jurídicas e físicas, residentes ou não em Palmas, as quais pretendem realizar exposições de artes visuais, individuais e coletivas, que caracterizem natureza cultural e que atendam as normas propostas no edital Nº. 001 /2019/ FCP, disponível Aqui ou na aba de editais no site da Fundação Cultural.

As inscrições deverão ser protocoladas em envelope lacrado contendo a ficha de inscrição e o projeto da Exposição de Artes Visuais, na sede administrativa da Fundação Cultural de Palmas (FCP) ou pode ser enviado pelos correios. A FCP está localizada na Avenida Teotônio Segurado, S/Nº, Área Verde da Quadra 202 Sul, Plano Diretor Sul, CEP. 77.021-002, em Palmas/TO.

Os interessados deverão inscrever-se mediante a apresentação da ficha de inscrição, contendo currículos, portfólios, datas e horários do evento, além da cópia dos documentos e seus originais; e do Projeto da Exposição de Artes Visuais, com o resumo descritivo do trabalho, fotos coloridas das obras, citação dos apoiadores e trabalhos suporte.

Critérios de seleção e mais informações disponível no edital ou no telefone (63) 2111-2402.

Continue Lendo

Cultura

Desenvolvimento Econômico encerra ano com várias conquistas e boas projeções para 2019

De acordo com o secretário, as projeções para o próximo ano são ainda melhores, pois envolvem a conclusão de projetos iniciados em 2018 e a previsão de novas ações

Publicados

em

Promoção turística é feita por meio da participação em feiras segmentadas, como Abav e Equipotel

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura é uma pasta de alta complexidade que tem em sua missão desde a atração de investimentos até o fomento à pesquisa científica, passando pela valorização dos atrativos turísticos do Estado e dos nossos expoentes culturais. “Trabalhando dentro desta prerrogativa tivemos várias conquistas em 2018, como a participação em eventos de nível nacional em todos os setores atendidos pela Seden, parcerias com instituições como a UFT e a Fieto, além do Governo Federal, para o desenvolvimento de projetos e financiamento de pesquisas, elaboração dos projetos necessários à implantação do Parque Tecnológico do Tocantins”, resume o gestor da Pasta, Wilson Charles Sousa de Seixas.

De acordo com o secretário, as projeções para o próximo ano são ainda melhores, pois envolvem a conclusão de projetos iniciados em 2018 e a previsão de novas ações. “Para 2019, temos o desafio lançado pelo governador Mauro Carlesse de ampliar nossa demanda de atendimento aos projetos que visarem o crescimento econômico do Estado do Tocantins, fomentando assim a geração de emprego e renda, e dessa forma o desenvolvimento do Estado como um todo”, garante Wilson Charles.

Desenvolvimento Econômico

A Superintendência de Desenvolvimento Econômico tem desenvolvido ações de elevada importância, que terão reflexo crescimento do Estado do Tocantins.

A Diretoria de Desenvolvimento Estratégico e Atração de Investimentos (DDEAI) esteve presente em diversas negociações, eventos nacionais e receptivo a empresários de outros estados e países interessados em investir no Estado. O setor destaca a entrega do projeto executivo para implantação do Parque Tecnológico do Tocantins e seu Centro de Inovação juntamente com o estudo de sua governança, por meio de convênio com a Universidade Federal do Tocantins e a Fundação CERTI, com utilização de recursos descentralizados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Busca-se para 2019, além das ações de atração de investimentos por meio de feiras e exposições, missões nacionais e internacionais, visando a promoção do Estado, dar continuidade às negociações com a Receita Federal e Infraero para o alfandegamento do Terminal de Logística de Cargas do Aeroporto de Palmas (TECA), articulação para viabilização da TO-500 Transbananal, articulação para expansão do hub aéreo para os aeroportos do Tocantins e o início das atividades de navegação do Porto de Praia Norte, entre outros.

Já a Diretoria de Desenvolvimento Econômico (DDE) atuou no fortalecimento de Cadeias e Arranjos Produtivos (APLs) da Cachaça, Piscicultura e do Babaçu, um trabalho que envolve realização de estudos e pesquisas, elaboração de planos de desenvolvimento setoriais e diagnósticos voltados para a identificação e mapeamento de arranjos produtivos, de oportunidades e/ou potencialidades dos segmentos produtivos do Estado, promoção de capacitações profissionais, participação em eventos de promoção e divulgação comercial, como é o caso da Agrotins e da Aguishow 2018, em Santa Fé do Sul (SP), apoio na revitalização de associações e cooperativas.

Um dos destaques nesta atuação foi a assinatura do Termo de Colaboração Técnica entre a Seden e UFT, em abril, para o desenvolvimento de novos produtos a partir de frutos do cerrado tocantinense, agregando valor à nossa biodiversidade, estudo das propriedades físico-químicas, estudo comparativo com outros óleos e pedido de patente junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Também foi firmado acordo para iniciar a elaboração do estudo de mercado para compor o Projeto Escola de Lapidação de Cristal, em Cristalândia e assinado Termo de Colaboração Técnica com o Ceulp/Ulbra para elaboração do Plano de Marketing da APL do Babaçu.

Para 2019, além da continuidade dos projetos em andamento, a projeção é a participação em uma maior quantidade de eventos regionais e nacionais, rodadas de negócios, reestruturação do DAIARA Araguaína e implantação dos Distritos Industriais de Guaraí e Gurupi, estreitamento de relações com a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), entre outros.

Ciência e Tecnologia

Em 2018, o Tocantins tornou-se um dos primeiros estados brasileiros a lançar o novo Marco Legal, que estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, beneficiando os pequenos empreendedores que movimentam a economia do Tocantins. “Para 2019, o objetivo é aprovar o Marco Legal na Assembleia Legislativa, além disso, queremos trabalhar para que o Parque Tecnológico seja realidade no Estado”, afirma Márcio Silveira, superintendente de Ciência e Tecnologia e presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa.

Outras ações de grande relevância para o setor no Estado foram adotadas neste ano, como a realização de encontros com especialistas e instituições de ensino superior; capacitações; visitas técnicas; a liberação de recursos para pesquisadores do Programa de Pesquisa para o SUS (PPSUS), para as áreas de gestão em saúde, educação em saúde, epidemiologia e vigilância em saúde, sangue e hemoderivados, e assistência em saúde; abertura editais em parceria com a FAPT/Capes, anúncio do Programa de Estruturação do Sistema Estadual de Pesquisa, beneficiando cerca de 300 pesquisadores tocantinenses, gestão para abertura de mestrados e licitações para reforma de associações rurais; posse dos novos conselheiros de ciência e tecnologia no Tocantins; entrega de um caminhão para o Centro de Pesquisa Agropecuária da Universidade do Tocantins (Unitins-Agro).

Segundo Márcio Silveira, uma das missões de suas missões é aproximar o Estado da comunidade científica. “Ao assumir a superintendência de ciência e tecnologia e a presidência da FAP fizemos uma reunião com todos os pesquisadores do Estado no Palácio Araguaia, colocamos a situação real e as nossas dificuldades de orçamento, estabelecemos objetivos muito claros com a comunidade científica. E garantimos que lançaremos novos editais em 2019 em áreas estratégicas”, revela.

Turismo

A Superintendência de Desenvolvimento Turístico trabalha para tornar os produtos e roteiros turísticos tocantinenses conhecidos e competitivos no mercado regional, nacional e internacional. Neste sentido, inúmeras ações foram desenvolvidas nas regiões turísticas do Estado este ano. Para 2019, o superintendente de Turismo, Jandy Carvalho Matos, afirma que com o apoio do governador Mauro Carlesse, dos deputados e do Governo Federal, o setor ganhará novo impulso: além de dar continuidade aos projetos e ações em curso, pretende lançar o “Tocantins + Atrativo”, projeto de ações que visam fomentar e dar mais visibilidade ao setor no Tocantins, gerando emprego, renda e esquentando a economia.

A promoção turística é feita por meio de produção e distribuição de material eletrônico e gráfico, como revistas, folderes e mapas, além da participação em feiras segmentadas, como Abav e Equipotel, apoio e participação em eventos regionais, a exemplo da Agrotins e a Festa da Rapadura, no Jalapão. Também apoiando na execução de projetos voltados para a Temporada de Praia.

Dentre os eventos de grande porte, em 2018, o Governo do Tocantins participou da Vakantiebeurs, a Feira de Turismo Holanda 2018, em janeiro. Resultado desta ação, em abril o Estado recebeu um grupo composto por dez operadores de turismo daquele país, que visitaram as regiões do Jalapão e Cantão.

O Estado também marcou presença na 46ª Abav Expo 2018, evento realizado no mês de setembro, em São Paulo. O estande do Tocantins foi prestigiado pela presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Tetê Bezerra e atraiu as atenções de hosted buyers, operadores internacionais de Turismo que trabalham com a venda de roteiros/atrativos brasileiros no exterior e se interessaram, principalmente, por informações sobre o Jalapão e as Serras Gerais.

O ordenamento do turismo no Jalapão foi pauta de discussão entre técnicos da Seden, representantes do setor turístico, do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e das prefeituras de Novo Acordo, Mateiros e Ponte Alta do Tocantins. Deve continuar em 2019.

O ordenamento turístico na Ilha do Bananal foi outro projeto iniciado neste ano e que deverá ter continuidade no próximo. Trata-se de uma iniciativa inédita da Fundação Nacional do Índio (Funai), que conta com a parceria da Seden, visando dar maior controle sobre a presença de turistas na região habitada por indígenas das etnias Javaé e Karajá, bem como desenvolver todas as suas potencialidades culturais e ambientais como produtos turísticos.

A qualificação de profissionais envolvidos no mercado do trade turístico, gestores e técnicos estaduais e municipais é outra ação desenvolvida pela Seden. Para 2019, a meta é atender trabalhadores da região do Jalapão e Serras Gerais, bem como dos municípios com praias.

O lançamento do Tocantins + Atrativo deverá ser o carro-chefe do Governo Carlesse para o setor do Turismo em 2019. Segundo Jandy Carvalho, as ações têm como finalidade trazer soluções técnicas para gargalos históricos, além de aumentar o número de turistas locais, nacionais e estrangeiros, contribuir para melhorar a infraestrutura de destinos tocantinenses, proporcionar o desenvolvimento do Turismo de maneira ordenada e sustentável, gerando emprego e renda. O pacote tem por base seis frentes principais que vão garantir o desenvolvimento ordenado das sete regiões turísticas do Estado: região do Bico do Papagaio, Encantos do Jalapão, Ilha do Bananal, Lagos e Praias do Cantão, Serras e Lago, Serras Gerais e Vale dos Grandes Rios.

Cultura

As ações mais relevantes da Superintendência de Desenvolvimento da Cultura foram voltadas ao fomento à produção, circulação e promoção da arte, da cultura e do turismo cultural. Por meio de edital de seleção, cerca de 12 artesãos circularam pelas principais feiras de artesanato do país, realizadas em Brasília, São Paulo, Pernambuco, Ceará, entre outras localidades, cujos visitantes puderam conhecer e adquirir peças em capim dourado, fibras, madeira, sementes e muitas outras matérias-primas que compõem a riqueza da produção artesanal tocantinense. Em nível estadual, o artesanato local também conquistou os visitantes do Espaço Empresarial na Agrotins.

“O exotismo do capim dourado atrai o público aos estandes, e os visitantes acabam conhecendo e adquirindo as outras peças”, explica a superintendente de Desenvolvimento da Cultura, Noraney de Castro, lembrando que a pasta também atuou na organização e realização de eventos artísticos, culturais e turísticos, cursos e oficinas; investiu em mostras e circulação de produtos artísticos e culturais, encontros, seminários, capacitação e formação para artistas, gestores, agentes e técnicos de arte e cultura, bem como na promoção de seminários, capacitação, investimento em mostras de arte.

Outras ações do setor foram a realização de inventário patrimonial do Estado, com levantamento dos bens culturais em municípios tocantinenses; realização da 12ª Primavera de Museus, no município de Arraias; elaboração de projeto estadual de inventário participativo, de referências culturais; elaboração de projeto de Educação Patrimonial; elaboração de projeto de implementação do Sistema Estadual de Bibliotecas; projeto de reforma do Museu Histórico do Tocantins – Palacinho; desenvolvimento de projetos voltados aos reconhecimento e valorização das culturas quilombola e indígena.

Para 2019, a previsão é de uma extensa lista de atividades, que incluem a realização de festivais de dança, música, teatro e circo; capacitação de secretários municipais de cultura; organização de uma feira regional de artesanato e de oficinas de captação para os municípios do Tocantins, além da continuidade de projetos iniciados neste ano, como o levantamento patrimonial dos municípios e das comunidades quilombolas e indígenas.

 

Continue Lendo

Cultura

Jornalista lança romance em Palmas sobre saga de uma jovem órfã pela China e Tibete

“Que o Oriente me oriente”, da jornalista formada pela UFT (Universidade Federal do Tocantins), Mariana Freitas, será lançado na próxima quarta-feira, dia 28, às 19h30, no Complexo Laboratorial da UFT. Na quinta, dia 29, o lançamento será na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping

Publicados

em

Mariana Freitas é uma curiosa. Nasceu em Brasília, morou do Norte ao Sul do Brasil, incluindo o período que fez faculdade de Comunicação Social no Tocantins, pela Universidade Federal (UFT), morou nos Estados Unidos, China, e, atualmente, França. Foi em busca de novas aventuras que ela desembarcou na China no ano de 2010. Lá concluiu seu doutorado em Comunicação Intercultural pela Universidade Fudan, em Xangai. Dessa experiência, e do seu olhar apurado à cultura milenar chinesa, Mariana trouxe na bagagem o livro “Que o Oriente me oriente” – um romance que conta a estória de Jade, uma jovem brasileira órfã que embarca numa viagem sozinha pela China. O livro tem agenda concorrida de lançamento no Brasil: nesta quarta-feira, dia 28, às 19h30, será lançado no Complexo Laboratorial da UFT,em Palmas, dentro da programação de comemoração dos 22 anos do curso de Jornalismo da UFT . Na quinta, dia 29, o lançamento será na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping, também em Palmas. Dia 1 de dezembro o lançamento será em Brasília, terra natal da autora.

Explorando mundos desde que saiu de sua cidade natal, aliando curiosidade, interesse social e paixão por culturas diferentes, Mariana trabalhou como jornalista, professora universitária e pesquisadora acadêmica. É também professora de idiomas e fotógrafa profissionalmente amadora. Seu primeiro romance “Que o Oriente me oriente” foi inspirado em uma viagem de trem que cruzou a China até chegar ao monte Everest. Através do olhar de Jade, o livro revela um pouco da sua ampla visão de mundo, construída a partir de estudos e experiências acumuladas nos cinco anos em que morou na Ásia. “Que o Oriente me oriente surgiu da minha necessidade de escrever sobre esse país tão fascinante e misterioso que é a China. E também do desejo de mostrar um pouco das culturas chinesa e tibetana de uma forma interessante e mais acessível do que os trabalhos acadêmicos”, diz a autora.

Sobre a obra

O livro é uma viagem cultural pela China e pelo Tibete por trás de uma história de superação emocional. A protagonista Jade, uma jovem brasileira de 23 anos, órfã e filha única de pai chinês e mãe tibetana, embarca em uma viagem sozinha pela China para tentar se curar do luto da morte da mãe e aprender mais sobre ela mesma e sobre sua família. “Que o Oriente me oriente” conta a saga de Jade desde sua partida de São Paulo até a chegada ao Tibete de trem, a partir de Xangai. O próprio trem é uma metáfora sobre as contradições da China moderna e a vulnerabilidade da vida, manifestada através de mistérios protagonizados pelas pessoas que cruzam o seu caminho.

Na longa viagem de Xangai a Lhasa, Jade convive não apenas com a fascinante cultura oriental e com a espiritualidade do budismo tibetano, mas também com diferentes personagens que se interconectam numa trama de fé, amor, desapego e superação. Mesmo de luto, contrariada e com medo, Jade embarca com tudo nesta jornada interna, que lhe permite evoluir, se transformar e experimentar o amor. “Que o Oriente me oriente” é uma história sobre a vida e a morte, sobre a magia dos encontros, sobre amor e a importância do autoconhecimento e da fé. Política, religião e sociedade se misturam com esperança e efemeridade neste romance que é o resultado de um longo trabalho de pesquisa sobre a China e o Tibete.

Em “Que o Oriente me oriente”, o leitor é transportado para modernidade de Xangai e para a espiritualidade dos templos budistas tibetanos, passando por paisagens exuberantes como os Himalaias e o Monte Evereste. É um livro sobre amor, fé e recomeços, em um ambiente pouco explorado na literatura brasileira: a Ásia. Além disso, todos os cenários representados são reais. Ou seja, apesar dos personagens e enredo serem fictícios, os lugares existem de fato (inclusive o trem) e foram visitados pela autora, por isso as descrições são ricas e detalhistas, fazendo com o que o leitor “viaje” para a China e para o Tibete e possa, inclusive utilizar o livro como roteiro para uma eventual visita aos países.

Serviço

Obra: Que o Oriente me oriente

Autora: Mariana Freitas

Gênero: Romance

Editora: Letramento

Venda: no site da editora (http://grupoeditorialletramento.com/) e nas principais livrarias nacionais.

Lançamento: Dia 28/11/18, às 19:30, no Complexo Laboratorial da UFT, em Palmas. O evento contará com a participação musical de Piettro Lamonier.

Dia 29/11/18, às 18h, na Livraria Leitura do Capim Dourado Shopping, em Palmas.

Dia 01/12/18, às 18h, na Livraria Leitura do Terraço Shopping, em Brasília.

Continue Lendo