Conecte-se conosco

Estado

Batalhão Ambiental da PM apreende animais silvestres em três cidades do Estado

Dois tamanduás-mirins foram capturados e, depois de receber denúncia de possível comércio ilegal de animais silvestres, BPMA apreendeu dois filhotes de papagaio

Publicados

em

A equipe da PM fez a captura do animal silvestre

Dois tamanduás-mirins foram capturados pelas equipes do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) no domingo, 11, no interior do Tocantins. Os resgates foram em Gurupi, no sul do Tocantins, e em Tocantínia, na região central do estado.

O primeiro animal foi encontrado por volta das 8 horas, no Setor Pedroso em Gurupi. A captura aconteceu depois que a PM Ambiental recebeu uma ligação de um morador. Como o animal não apresentava nenhum ferimento, ele foi devolvido à natureza.

                                                 O filhote foi encaminhado ao Cetas

O segundo animal foi encontrado por volta das 12h30. O filhote de tamanduá-mirim estava sozinho e foi visto por um morador, do lado da casa dele, no Projeto de Assentamento Água Fria, município de Tocantínia. Ele foi capturado pela equipe da PM Ambiental e levado ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Palmas, para os devidos cuidados e posterior devolução à natureza.

Filhotes de papagaio apreendidos

Também na manhã de domingo, 11, na cidade de Fátima, uma equipe do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), depois de receber denúncia sobre possível comércio ilegal de animais silvestres, apreendeu dois filhotes de papagaio.

Os animais estavam sendo transportados por dois indivíduos que foram autuados por crime ambiental e receberam um auto de infração no valor de R$ 500 cada um. Posteriormente, a guarnição conduziu os indivíduos junto com os filhotes de papagaio até a Delegacia de Polícia de Porto Nacional, onde foram autuados em flagrante delito. Os animais foram levados ao CETAS de Palmas, para os devidos cuidados.

Dicas de segurança

O BPMA adverte que qualquer cidadão, após se deparar com um animal silvestre, jamais deve tentar capturá-lo, machucá-lo ou matá-lo. Primeiramente, o que o cidadão deve fazer é afastar-se desse animal, a fim de evitar um possível ataque, característico de sua autodefesa.

Logo após, deve ligar no telefone 190 (Serviço de Emergência da Polícia Militar) ou no (63) 3218-2761 (telefone do BPMA), quando será designada uma equipe da Polícia Militar Ambiental com profissionais qualificados, que se deslocará até o local indicado e fará a captura do animal com segurança.

O BPMA adverte que quem matar espécime da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida, comete o crime previsto no Art. 29 da Lei nº 9.605/1998 (Lei de Crimes Ambientais), cuja pena é detenção, de seis meses a um ano, e multa. Além disso, quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, também comete crime previsto no Art. 32 da referida Lei, cuja pena é detenção de três meses a um ano, e multa.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Delegado-geral do Tocantins participa de agenda de reuniões em Brasília

Publicados

em

Delegado-geral do Tocantins participa de agenda de reuniões em Brasília

O delegado-geral da Polícia Civil do Tocantins, Rossílio de Sousa Correia, esteve em Brasília e participou de reunião do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC), órgão que congrega os delegados-gerais, chefes e diretores gerais de Polícia Civil dos Estados brasileiros para tratar de assuntos que envolvem o avanço das atividades de Polícia Judiciária em todo país.

Chefes de Polícia Civil de todo o país estiveram reunidos em Brasília nesta semana

A reunião aconteceu na sede do Ministério da Justiça e da Segurança Pública, na Capital Federal, e buscou, entre outros assuntos, a discussão de instrumentos de padronização dos órgãos estaduais, em especial, os relacionados às identidades visual (logomarcas, plotagem de viaturas, etc.) e funcional dos policiais civis.

Pacote anticrime

Durante a reunião, ocorrida com o secretário executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Luiz Pontel, os chefes das Polícias Civis do Brasil apresentaram sugestões para o pacote anticrime, detalhado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro no início do mês. As medidas consistem em três projetos, com ações pautadas no combate à corrupção, ao crime organizado e aos crimes violentos.

Os gestores da Polícia Civil trataram de ações e medidas de fortalecimento institucional para o combate à corrupção e ao crime organizado e debateram assuntos e operações nacionais e votaram modelos de atuação das Polícias Civis em todos os estados, inclusive no fortalecimento institucional por meio de ações padronizadas. “Com ações integradas, a Polícia Civil do Tocantins poderá contar com o apoio de equipes nos demais estados, garantindo a eficiência nas operações policiais realizadas no Tocantins”, afirmou o delegado-geral Rossílio Correia.

Continue Lendo

Estado

Agência de Fomento garante repasse de R$5 mi e aumenta capital disponível para financiamentos no Tocantins

Publicados

em

A Agência de Fomento do Tocantins tem uma boa notícia para os empresários, comerciantes e industriários do Estado. Um novo recurso, no valor do R$ 5 milhões de reais acaba de ser aprovado e já está disponível para financiamentos em todas as linhas de crédito da Fomento TO.
O repasse vem do Basa, o Banco da Amazônia, por meio do FNO, o Fundo Constitucional do Norte, que tem como principal objetivo, a viabilização de empreendimentos na região Norte do Brasil.

Quem pode ter acesso

O novo recurso de R$ 5 milhões será distribuído para todas as linhas de crédito da Agência Fomento do Tocantins. Empresários das áreas do comércio, serviços, turismo, indústria, profissional liberal e Microempreendedores individuais podem recorrer a este crédito para financiar ampliações, reformas, compras de novos estoques, entre outros, já que o recurso é destinado para investimento fixo, capital de giro e investimento misto.

Credibilidade Fomento TO

O novo recurso via FNO, vem sendo negociado desde o primeiro semestre deste ano.
“Batalhamos por esse recurso e agora ele está disponível para todos que precisam alavancar seu negócio. Conseguir um novo recurso federal esse ano, num valor tão significativo, mostra como a Fomento Tocantins tem seguido corretamente seu papel e ganhado credibilidade junto a instituições tão importante, como o Basa”, comemora o presidente da Agência de Fomento do Tocantins, Maurílio Ricardo.
“Saímos do vermelho há pouco tempo, graças a uma gestão mais técnica e econômica. E mesmo em meio a tantas mudanças políticas no Tocantins, buscamos outras alternativas de recursos, para não deixar o empresário que precisa do nosso apoio desamparado”, completou o presidente.

Financiando a Inovação

Além do recurso de R$ 5 milhões, via FNO, destinado a empresários de todos os segmentos, a Agência de Fomento Tocantins garantiu também, neste segundo semestre, o recurso de R$ 8 milhões, via Finep, direcionado para empresas que possuem projetos inovadores, com a taxa de juros entre 6% a pouco mais de 9% ao ano.

Continue Lendo

Estado

Metrologia Estadual verifica balanças industriais na região norte do Tocantins

Trabalhos de verificação serão concluídos nesta quinta-feira, 21, visando garantir segurança do consumidor

Publicados

em

A equipe de instrumentos da Agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Tocantins (AEM-TO), órgão delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Tocantins, conclui nesta quinta-feira, 21, na região norte do Estado, os trabalhos de verificação das balanças rodoviárias, industriais, de frigoríficos e de fazendas, com a vistoria dos equipamentos. A ação rotineira, que teve início no dia 11 de fevereiro, faz parte do Plano de Trabalho pactuado junto ao Inmetro e é um processo normal de fiscalização, haja vista que toda balança utilizada para atividade econômica deve, obrigatoriamente, ser de modelo aprovado pelo Inmetro, em conformidade com a legislação, e ser verificada periodicamente pela Metrologia Estadual. De acordo com o técnico da AEM, Jailes Oliveira, a ação fiscalizatória visa observar o Erro Máximo Admissível (EMA) e a presença dos selos que devem constar em todos os equipamentos, informando se está aferido e adequado para uso. Selos de Identificação Todo equipamento de pesagem deve conter o Selo de Identificação, que pode ser: Inicial, que é o adesivo que vem com a balança nova quando ela é adquirida e que permanece até a primeira visita técnica metrológica; Selo de Verificação Subsequente, que é o adesivo que indica que o equipamento foi verificado pela equipe delegada do Inmetro e que está em conformidade para uso até a próxima visita; Selo Reparado que é o adesivo que indica que o equipamento foi reparado na oficina de manutenção permissionária acreditada pelo Inmetro e que haverá uma nova visita para verificação pós-reparo. Segurança para o consumidor O equipamento verificado e aprovado pelos ensaios metrológicos é uma segurança para o consumidor e, também, para quem vende o produto. “O Inmetro tem por objetivo assegurar a concorrência leal e a legitimidade das relações entre empresas e consumidores para que as transações comerciais sejam realizadas sem o prejuízo de nenhuma das partes”, é o que informa o presidente da AEM, Rérison Antonio Castro Leite. Nesse sentido, o equipamento que foi verificado e aprovado é uma garantia a mais que a empresa atua em conformidade com a legislação metrológica.

A equipe de instrumentos da Agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Tocantins (AEM-TO), órgão delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Tocantins, conclui nesta quinta-feira, 21, na região norte do Estado, os trabalhos de verificação das balanças rodoviárias, industriais, de frigoríficos e de fazendas, com a vistoria dos equipamentos.

Ação rotineira faz parte do Plano de Trabalho pactuado junto ao Inmetro e é um processo normal de fiscalização

A ação rotineira, que teve início no dia 11 de fevereiro, faz parte do Plano de Trabalho pactuado junto ao Inmetro e é um processo normal de fiscalização, haja vista que toda balança utilizada para atividade econômica deve, obrigatoriamente, ser de modelo aprovado pelo Inmetro, em conformidade com a legislação, e ser verificada periodicamente pela Metrologia Estadual.

Ação rotineira faz parte do Plano de Trabalho pactuado junto ao Inmetro e é um processo normal de fiscalização

De acordo com o técnico da AEM, Jailes Oliveira, a ação fiscalizatória visa observar o Erro Máximo Admissível (EMA) e a presença dos selos que devem constar em todos os equipamentos, informando se está aferido e adequado para uso.

Selos de Identificação

Todo equipamento de pesagem deve conter o Selo de Identificação, que pode ser: Inicial, que é o adesivo que vem com a balança nova quando ela é adquirida e que permanece até a primeira visita técnica metrológica; Selo de Verificação Subsequente, que é o adesivo que indica que o equipamento foi verificado pela equipe delegada do Inmetro e que está em conformidade para uso até a próxima visita; Selo Reparado que é o adesivo que indica que o equipamento foi reparado na oficina de manutenção permissionária acreditada pelo Inmetro e que haverá uma nova visita para verificação pós-reparo.

Segurança para o consumidor

O equipamento verificado e aprovado pelos ensaios metrológicos é uma segurança para o consumidor e, também, para quem vende o produto. “O Inmetro tem por objetivo assegurar a concorrência leal e a legitimidade das relações entre empresas e consumidores para que as transações comerciais sejam realizadas sem o prejuízo de nenhuma das partes”, é o que informa o presidente da AEM, Rérison Antonio Castro Leite.

Nesse sentido, o equipamento que foi verificado e aprovado é uma garantia a mais que a empresa atua em conformidade com a legislação metrológica.

 

 

Continue Lendo