Conecte-se conosco

Geral

Assentamentos de Formoso do Araguaia começam a receber as cestas básicas do Governo do Tocantins

Objetivo é garantir a segurança alimentar de pequenos produtores na pandemia

Publicados

em

Sem máquinas para trabalhar a terra, Walmir não conseguiu cultivar a lavoura este ano e viu a renda familiar cair bastante esse ano

As famílias residentes em propriedades rurais da região de Formoso do Araguaia começaram a receber as cestas básicas do Governo do Tocantins nesta segunda-feira, 25. A ação é uma determinação do governador Mauro Carlesse para garantir a segurança alimentar de pequenos produtores que tiveram a renda afetada pela pandemia do novo Coronavírus.

Diante deste cenário, a ação Tocantins Contra o Coronavírus já percorreu milhares de quilômetros entregando cestas básicas em assentamentos rurais da região do Bico do Papagaio e agora na região sul do estado.

O produtor Walmir Souza, 75 anos, foi um dos cidadãos contemplados nessa segunda fase do projeto. Morador do assentamento Gameleira, localizado a 50 km de Formoso do Araguaia, Walmir contou que este ano foi difícil trabalhar na lavoura e que praticamente nada do que foi cultivado chegou a ser vendido pela família.

“Já foi difícil colher para comer, vender então é que não deu. Quase que não trabalhamos com a roça esse ano porque não consegui uma máquina [trator] para gradear a terra. Quando a coisa apertou, tive que vender um dos bezerros”, relatou o produtor.

Seu Walmir Souza mora no assentamento junto com a esposa e sobrevive com ajuda da aposentadoria e do complemento que a terra dá. Contudo, nos últimos anos relatou que as dores na coluna tornaram ainda mais difíceis a vida no campo.

Dificuldades

O pequeno produtor de todo o Brasil ainda encontra muitas dificuldades para tornar suas lavouras rentáveis, e os principais problemas estão na falta de acesso a novas tecnologias e maquinários.

O engenheiro agrônomo do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Marco Aurélio Gonçalves, que faz parte da comitiva que está entregando os alimentos, contou que essa realidade é comum no país.

“Cada região precisa de um tratamento especial para a terra, esses pequenos produtores não têm acesso aos insumos para tratar o solo e nem como fazer as correções necessárias. Além de faltar máquinas agrícolas, as pequenas propriedades também não dispõem de sistemas de irrigação e controle de pragas, tornando o processo ainda mais trabalhoso”, esclareceu Marco Aurélio Gonçalves.

Foi o caso da senhora Maria Rezende Silva, 67 anos, que viu, neste ano, toda a sua plantação de feijão se perder por conta de pragas na lavoura.

“Morreu tudo aqui na roça porque veio uma praga e matou todos os brotos de feijão de uma só vez. Depois disso, não tentamos mais nada. Eu e meu marido já estamos com idade avançada, fica difícil de trabalhar no sol quente assim, então essas cestas vieram em muito boa hora”, contou.

Próximas cidades

Nos próximos dias, a caravana segue viagem para atender pequenos produtores das cidades de Sandolândia e Araguaçu. O roteiro segue também para os municípios de Palmeirópolis, Jaú, São Salvador e Talismã, que finalizam essa segunda etapa da ação Tocantins Contra o Coronavírus.

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

Governo do Tocantins inicia plano de conservação de espécies ameaçadas de extinção no Cerrado

Plano apresenta uma abordagem territorial que permite focar em espécies de flora e fauna

Publicados

em

O presidente do Naturatins, Sebastião Albuquerque, explica que são destinados para ações de preservação das espécies ameaçadas

O Governo do Tocantins por meio do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) aprovou, por meio da Portaria n° 80, que será publicada nesta terça-feira, 7, no Diário Oficial do Estado (DOE), o Plano de Ação para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção do Território Cerrado Tocantins (PAT Cerrado Tocantins). A portaria tem como objetivo a conservação da biodiversidade do Território Cerrado Tocantins, considerando aspectos biológicos, sociais, culturais e econômicos, com ênfase nas espécies focais. A iniciativa vem do Ministério do Meio Ambiente com o projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção.

Foram estabelecidas 16 ações distribuídas em cinco objetivos específicos: Mitigação dos riscos das espécies exóticas invasoras sobre as espécies locais e seus ecossistemas; Aumento de áreas de boas práticas de uso de solo e recursos hídricos; Fomento da criação, estabelecimento e aplicação de políticas públicas para a conservação de espécies ameaçadas; Ampliação e difusão do conhecimento sobre a distribuição das espécies ameaçadas; Atuação de uma rede de atores locais para potencializar as ações do PAT/TO.

O presidente do Naturatins, Sebastião Albuquerque, explica que são destinados para ações de preservação das espécies ameaçadas, recursos financeiros que somam anualmente R$ 40 mil por cada espécie focal. “As ações a serem desenvolvidas pelo Naturatins e diversas outras instituições envolvidas vão principalmente buscar ampliar as áreas do Estado na qual são utilizadas boas práticas de uso de solo, além de levantar informações sobre estas espécies raras e os ambientes nos quais ocorrem”, afirma.

Segundo o biólogo Oscar Barroso Vitorino Junior, inspetor de Recursos Naturais do Naturatins, o projeto “Pró-Espécies: Todos contra a extinção” é uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente que é financiado por recursos do GEF, o Fundo Ambiental Global sendo a WWF a administradora dos recursos no âmbito do pró-espécies. “Inicialmente, foram elencadas as espécies e territórios prioritários em nível federal e devido à amplitude de espécies e territórios atingidos, os órgãos estaduais do meio ambiente colaboram na elaboração e implementação do Plano de Ação de territórios prioritários para a conservação de espécies ameaçadas de extinção”, esclarece.

No Tocantins, foram listadas nove espécies que cumprem os critérios do projeto Pró-Espécies, ou seja, foram avaliadas nas listas nacionais de espécies ameaçadas de extinção na categoria CR (Criticamente ameaçadas) e ainda não foram contempladas em nenhum dos mecanismos já existentes para a conservação de espécies. Estas são denominadas espécies CR Lacunas.

Oscar Barroso Vitorino Junior explica que o Plano apresenta uma abordagem territorial que permite focar em espécies de flora e fauna e unifica metodologias implementadas com sucesso pelo JBRJ e ICMBio. São quatro espécies de flora contempladas no Plano, sendo elas Angelonia alternifolia, Diplusodon gracilis, Bromelia braunii, Polygala pseudo coriacea; e cinco da fauna: Baryancistrus niveatus (peixe), Baryancistrus longipinnis (peixe), Paratrygon aiereba (raia), Scolopendropsis duplicata (invertebrado) e Bachia psamophila (réptil).

PAT Cerrado Tocantins

O biólogo diz ainda que o território Cerrado Tocantins iniciou seus preparativos para a elaboração do Plano de Ação Territorial (PAT), para a conservação de flora e fauna criticamente ameaçada de extinção, nos dias 13 e 14 de novembro de 2019, quando participaram da Oficina Preparatória pesquisadores do Centro Nacional de Conservação da Flora do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ), da Universidade Federal de Tocantins (UFT), Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado de Tocantins (Ruraltins), e representantes do WWF-Brasil.

Posteriormente, a Oficina de Elaboração do PAT Cerrado Tocantins foi realizada, entre os dias 10 a 13 de Fevereiro deste ano, quando pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG), Museu Emílio Goeldi de Belém (PA), do CNCFlora/JBRJ, da UFT, Unitins, Ruraltins e representantes do WWF-Brasil se encontraram no auditório do Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev) para elaborar as ações a serem executadas no primeiro ano de implementação do Plano de Ação, além de fazerem a escolha dos membro do Grupo de Assessoramento Técnico (GAT), uma equipe multidisciplinar e de diversas instituições que vão agir em sinergia para que sejam atingidos os objetivos do Plano de Ação.

 

Continue Lendo

Geral

Governo do Tocantins realiza manutenção na TO-010, entre Araguatins e Buriti do Tocantins

Trecho de 33 km recebe serviços de tapa-buracos e roçagem

Publicados

em

Trecho da TO-010 recebe manutenção do Governo do Tocantins

Governo do Tocantins, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), começou nessa segunda-feira, 6, a manutenção do trecho de 33 km da TO-010, entre Araguatins e Buriti do Tocantins, na região do Bico do Papagaio. O período de chuvas contribuiu para a degradação do asfalto.

A manutenção está sendo realizada por uma equipe da Residência Rodoviária de Tocantinópolis e inclui os serviços de tapa-buracos e de roçagem da vegetação das margens da pista. De acordo com o coordenador da equipe, Túlio Labre, os reparos na pista e a roçada serão executados em todo esse trecho da TO-010. A equipe deve se manter no trecho até finalizar os serviços, ainda sem previsão para conclusão.

Os reparos vão garantir a trafegabilidade e a segurança viária aos usuários do trecho. Essa parte da rodovia é utilizada, especialmente, por moradores do povoado Vila União, que buscam acesso a serviços oferecidos em cidades maiores.

“Os trabalhos de manutenção e reabilitação corrigem defeitos e estragos na pista, dando aos usuários as condições de circulação, segurança e economia. Além disso, evita a degradação acentuada do asfalto e prolonga sua vida útil”, explicou a secretária de Estado da Infraestrutura, Juliana Passarinho, sobre a importância do trabalho periódico de manutenção das rodovias no Estado.

 

Continue Lendo

Geral

Sistemas Penitenciário deflagra quinta fase da Operação Lockdown

Operação visa limitar o recebimento de novos presos às unidades prisionais do Tocantins durante a pandemia do novo Coronavírus

Publicados

em

O superintendente conta que cada fase da operação dura 15 dias

A Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) deflagrou, nessa segunda-feira, 6, a quinta fase Operação Lockdown, que visa limitar o recebimento de novos presos às unidades prisionais durante a pandemia da Covid-19 e assim evitar a disseminação do novo coronavírus entre servidores e pessoas privadas de liberdade.

O superintendente de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional, Orleanes de Sousa Alves, explica que cada fase da operação dura 15 dias. “Esse é o prazo necessário para avaliar se as unidades prisionais selecionadas permanecem aptas a receberem novos presos com a realização de todo o protocolo necessário para preservar a saúde dos já custodiados e dos ingressos no sistema, a quinta etapa irá até o dia 20”.

Regionalização operacional

Nesta fase, 17 estabelecimentos penais foram selecionados sendo elas: Araguatins, Araguaína, Babaçulândia, Tocantinópolis, Colméia, Araguacema, Pedro Afonso, Colinas do Tocantins, Palmas, Lajeado, Paraíso do Tocantins, Miracema, Porto Nacional, Talismã, Gurupi, Dianópolis e Arraias.

Explica-se que a limitação de unidades para receber novos presos, respeita a regionalização operacional e administrativa, ofertando o ingresso de novos presos, em cadeias ou casas prisionais, nas cinco regiões estratégicas conforme orientações do Plano Estadual de Segurança Pública (Pesse).

Outras medidas

A Operação Lockdown integra uma série de medidas adotadas pela Seciju desde o anúncio da pandemia, entre elas estão a suspensão de visitas às unidades, destinação de celas de isolamento para os novos presos, protocolos de limpeza e higienização do ambiente, uso obrigatório de máscara dentro das unidades, triagem em servidores, prestadores de serviços e representantes do judiciário que pretendem entrada as unidades prisionais e ainda foi estipulado o contato mínimo entre agentes e reeducandos.

 

Continue Lendo

Notícias